Tales of Herding Gods – Capítulo 37

149
Tales of Herding Gods - Capítulo 36
Tales of Herding Gods - Capítulo 38

Tradução: Denn | Revisão: Denn

Tão alto que até os surdos podem ouvir

O peito do Velho Ma se moveu para cima e para baixo. Aparentemente, ele não estava de bom humor e respondeu friamente: “Eu cortei meu braço e o enviei ao Grande Monastério do Trovão, retornando as artes divinas de volta. Por que o monastério teve que me caçar e fazer com que minha família fosse assassinada? Como o monastério quer tanto a minha morte, por que não posso divulgar a arte divina do Grande Monastério do Trovão?”

[Denn – Ou seja, “VÃO SE FODER SEUS FILHOS DA PUTA!” Velho Ma tá pistola agora.]

O velho monge balançou a cabeça: “Irmão júnior, um braço não representa todas as artes divinas.”

O velho Ma riu baixinho: -“As artes divinas que tenho também não são do Grande Monastério do Trovão. Você também quer depor minhas outras artes divinas? Eu posso ter sido originalmente do Grande Monastério do Trovão, mas confiei em minhas mãos para lutar. Naquela época, nenhum de vocês se atreveu a me parar. Você esperou até eu ter uma esposa e um filho, então você veio para mim. Eu estava disposto a sacrificar um braço pela segurança de minha esposa e filho e devolvi a você as artes divinas do seu Grande Monastério do Trovão!”

Seu rosto ficou sombrio. – Mas o que aconteceu depois? Todos vocês continuaram me caçando e destruindo minha família!

As sobrancelhas brancas do velho monge deram de ombros: “Regras são regras, o que pode ser alterado não são regras. O mundo vulgar dos mortais interrompeu seu cultivo. Irmão júnior, nosso objetivo não era matá-lo, mas salvá-lo do abismo dos sofrimentos mundanos e retornar ao Grande Monastério do Trovão para continuar o cultivo, alcançar o estado de Buda através de seus esforços e discernimento. Se você não tivesse movido seu coração mortal naquela época e saído do Grande Monastério do Trovão, o cargo de Rulai do Grande Monastério do Trovão seria seu. Se você estiver disposto a voltar comigo, o Velho Rulai ficará muito satisfeito. O cargo de Rulai ainda será seu.”

“Retorna?”

O velho Ma ficou estupefato: “Desde que eu havia massacrado meu caminho naquela época, se eu voltasse, naturalmente teria que massacrar meu caminho de volta!”

A expressão do velho monge afundou e ele suspirou: “Rulai ficaria muito decepcionado. O jovem na arena é seu discípulo? Você deu a ele Oito Golpes da Palma Trovão e ainda assim não deu o método de cultivo do Grande Monastério do Trovão, o Mahayana Sutra de Rulai.

Olhando para Qin Mu que estava lutando contra outro jovem na arena, ele declarou: “O Mahayana Sutra de Rulai é a técnica para subjugar demônios. Sem cultivar esse método de cultivo, por mais forte que seu Oito Golpes da Palma Trovão se torne, ele pareceria impressionante, mas não vale nada. Hoje trouxe meu discípulo para a frente, venha conhecer seu tio mais velho, Ming Xin!”

Atrás dele, um jovem monge esbelto avançou com uma conta de oração budista na mão enquanto juntava as palmas das mãos: “Tio mais velho.”

[Denn – Conta de Oração é tipo um colar feito de bolinhas que normalmente tem inscrições nela. Budista adora esses bagulhos. Não consigo pensar em nada melhor para traduzir, então é isso aí mesmo.]

As sobrancelhas brancas do velho monge se agitaram para cima enquanto ele continuava: “Ming Xin também é praticante do Reino do Embrião Espiritual. Com meu cajado de monge como uma aposta, o irmão mais novo corresponderia à minha aposta?”

Vovó Si ergueu as sobrancelhas e estava prestes a dizer algo quando o velho Ma respondeu com um rosto inexpressivo: “Todas as regras e disciplina monástica são besteiras. Eu vou combinar com sua aposta. Como está o valor minha cabeça para o seu cajado de monge khakkhara?”

O velho monge acenou com a cabeça e respondeu: “Eles valem o mesmo.”

Cego, vovó Si e Boticário franziram as sobrancelhas, querendo convencer o Velho Ma a não fazê-lo. Mas ele estava decidido: “Se Mu’er perder, você levará minha cabeça de volta ao Grande Monastério do Trovão para conhecer Rulai. Se Mu’er vencer, você deixará seu cajado de monges aqui e ficará o mais longe possível.”

“Excelente.”

O velho monge encarou o jovem monge Ming Xin e disse-lhe: “Hoje, seu mestre, recuperará do traidor as artes divinas do Grande Monastério do Trovão. Se você ganhar, será seu mérito.”

Ming Xin assentiu e caminhou em direção à arena.

Na arena, o jovem que lutava contra Qin Mu era um especialista em habilidades com espadas e percorreu um caminho semelhante ao irmão mais velho Qu, dos cinco discípulos do rio Li. Sua espada do tesouro não estava a mais de três pés de distância de seu corpo, no entanto, o que era diferente era que sua espada não era tão grande. Era mais como uma pequena adaga que tinha oito centímetros de comprimento, mas era muito mais perigosa!

Essa pequena espada sempre voava de lugares estranhos, como axilas e virilhas. Às vezes, até voava nas roupas do oponente e disparava pelas mangas quando Qin Mu se chocava cara a cara com ele.

Com suas técnicas de controle de espadas atingindo esse nível elevado, ele não era mais fraco que o discípulo da Seita do Rio Li, Qian Qiu, e na verdade era muito mais forte que o irmão mais velho Qu.

Além disso, essa pessoa também obteve grandes resultados nas técnicas de batalha. Suas habilidades com as mãos eram muito complexas e seu porte era como uma montanha imponente. Com a força saindo da palma da mão, surgiam veias da montanha.

No entanto, a vitória já foi decidida na arena. Com a grande força e o trabalho ágil de Qin Mu, o jovem já havia sofrido uma desvantagem durante seu primeiro confronto: o denso qi vital de Qin Mu esmagara diretamente seu qi vital!

Qin Mu havia executado Tempestade dos Nove Dragões e, embora apenas três camadas de força tivessem explodido, ele já havia danificado o fundo do coração de seu oponente, portanto, por mais requintado que fosse seu domínio de espada, o resultado já estava definido.

Qin Mu correu desordenadamente, assim como milhares de cobras deslizando aleatoriamente na grama. Ele estava subitamente indo pro leste e então subitamente indo pra oeste, às vezes para a frente e às vezes para trás, confundindo o jovem sobre a origem de seu ataque. No instante seguinte, o homem sentiu uma dor no fundo do coração ao ser atingido por Qin Mu.

Quando o jovem caiu no chão, ele ficou perplexo por um tempo antes de se curvar em direção a Qin Mu, que estava na arena, e expressou sua gratidão: “Obrigado, irmãozinho, por ser indulgente comigo.”

Embora a palma de Qin Mu tenha pressionado a parte de trás de seu coração com uma grande força agora, a força não era violenta e não machucara seu coração. Caso contrário, com a força de Qin Mu, ele poderia facilmente quebrar todos os seus órgãos!

“O irmão mais novo precisa descansar?” Ming Xin, que estava esperando silenciosamente lá, perguntou apenas depois que Qin Mu derrotou esse jovem.

O olhar de Qin Mu caiu sobre seu corpo. O monge era muito jovem e usava uma túnica budista branca, livre de poeira. Até os sapatos nos pés também eram brancos, enquanto ele também estava muito limpo. Apesar de ter o cabelo raspado, ele ainda parecia bonito, fazendo as pessoas terem uma impressão favorável ao olhá-lo.

Quando ele estava prestes a responder que não, a voz da vovó Si de repente soou: “Descanse, você definitivamente precisa descansar!”

Qin Mu não entendeu a razão da vovó Si, mas ele ainda seguiu o que a vovó havia dito e sentou-se para descansar, cuidando de si mesmo de volta às melhores condições. Sua Técnica do Corpo Supremo dos Três Elixires era adequada para cultivar enquanto corria, portanto, apesar de enfrentar mais de uma dúzia de praticantes, seu qi vital não estava muito esgotado e ainda estava no auge, no entanto, seu corpo apresentava um leve cansaço.

A vovó Si pegou um copo de água e deu a Qin Mu enquanto ela sussurrava para ele: “Mu’er, não importa qual método você use, você deve vencer e definitivamente não pode perder! Seu avô Ma apostou a própria vida contra aquele velho careca!”

O coração de Qin Mu pulou uma batida e imediatamente olhou para o Velho Ma. O Velho Ma tinha um rosto indiferente e sua voz viajou: “Mu’er, o incomparável Corpo Supremo nunca perde! Eu acredito em você.”

Apesar do Velho Ma ter dito isso, Qin Mu ainda estava um pouco em pânico. Todos na vila eram sua família, mas o Velho Ma era a pessoa mais próxima a ele, depois da vovó Si. Era o Velho Ma naquela época que usara um braço para levar a estátua de pedra com a vovó Si para buscá-lo no rio, salvando sua vida!

Se ele perder, não será ele quem causaria a morte do Velho Ma?

Nesse momento, Boticário também franziu a testa. O Velho Ma acreditava que Qin Mu era o inigualável Corpo Supremo e confiava nele, mas Qin Mu não era um Corpo Supremo, afinal.

Agora ele estava começando a se arrepender de ajudar o Chefe da Vila a encobrir a mentira branca. Se ele tivesse contado a verdade antes, o Velho Ma não teria apostado sua vida.

Simplesmente porque o Velho Ma confiava em Qin Mu, ele apostaria sua vida com aquele velho monge!

De repente, Boticário revelou um olhar ameaçador: “Se Mu’er perder, vamos ter que matar o velho careca e o jovem careca. Não podemos deixar o Velho Ma morrer assim!”

Na arena, Qin Mu tentou o seu melhor para estabilizar suas emoções, mas quando esta batalha dizia respeito à vida de seus parentes mais próximos, como ele poderia acalmar suas emoções?

Mudo deu alguns sinais e sons enquanto Cego se apoiava na muleta, dizendo apressadamente: “Não há necessidade de lembrá-lo. A feira do templo é um teste. Uma vez terminado, ele teria crescido. Se ele não se provar, ainda será uma criança pequena.”

Depois de um momento, Qin Mu levantou-se lentamente e olhou para o jovem monge magro à sua frente: “Monge, Buda existe em seu coração?”

Ming Xin juntou as palmas das mãos e respondeu solenemente: “Buda está sempre em meu coração.”

Phoosh!

Qin Mu deixou escapar um suspiro sombrio. Seu qi vital tornou-se dominador e intenso. Na verdade, tinha um espírito indisciplinado e descontrolado emanando de seu corpinho.

“EU!”

Ele deu um passo à frente e o espírito que fluía de seu corpo deu às pessoas uma sensação heroica como um deus imponente. Sua voz era tão alta que até os surdos ouviram: “NÃO TENHO DEUS, BUDA E NEM O DIABO NO MEU CORAÇÃO! EU SOU DEUS, BUDA E O DIABO!”

Uma vez que ele disse isso, o velho monge sentado na frente do Velho Ma revelou uma expressão de espanto e virou a cabeça para olhar Qin Mu!

[Denn – Caralhoooo! O bagulho ta muito doido na moral! Qin Mu já ganhou quando saiu na vantagem com essa frase, certeza! Velho Ma não vai morrer assim. Certeza! Tá muito foda pqp!]

[Denn – Quero muito ver o resto, mas a dor de cabeça ta me matando. Amanhã tem mais. Vlw pessoal e boa leitura.]


[Não esqueçam de comentar e recomendar]

[Leiam BEYOND?! O Denn finalizou a novel!]

Ei, você gosta desta novel? Acha que tem pontos a se melhorar? Ou acha que o autor já conseguiu expor toda sua experiência com esta obra? Diz pra gente lá no novo site da Central Novels!

Tales of Herding Gods - Capítulo 36
Tales of Herding Gods - Capítulo 38