Tales of Herding Gods – Capítulo 01

3886
Tales of Herding Gods - Capítulo 02

? Ative o Modo Noturno ?


Tradução: Denn | Revisão: Denn

Não saia quando estiver escuro!

“Não saia quando estiver escuro.”

Essa frase circulava pela Vila dos Idosos com Deficiência por anos, mas exatamente quando ela começou a fazer isso nunca foi descoberta. Apesar disso, a verdade desta frase nunca esteve em dúvida.

Na Vila dos Idosos Com Deficiência, a Vovó Si começou a ficar ansiosa enquanto observava o pôr do sol se esconder lentamente atrás das montanhas. Quando o sol se pôs, o último de seus raios desapareceu, deixando de repente o mundo inteiro em absoluto silêncio. Nenhum som pode ser ouvido. A única coisa que podia ser vista era a escuridão que se aproximava lentamente do oeste, engolindo todas as montanhas, rios e árvores em seu caminho antes de finalmente chegar à Vila dos Idosos com Deficiência e engolfá-la.

Quatro estátuas de pedra antigas foram erguidas nos quatro cantos da vila dos idosos com deficiência. Essas estátuas eram tão antigas e manchadas que nem a Vovó Si sabia quem as esculpiu ou quando foram construídas lá.

Quando a escuridão caiu, as quatro estátuas emitiram um brilho fraco na escuridão. Vendo as estátuas acenderem como sempre, a Vovó Si e o resto dos idosos da vila soltaram suspiros de alívio.

A escuridão lá fora começou a ficar cada vez mais espessa, mas com a luz das estátuas, a Vila dos Idosos com Deficiência ainda era considerada segura.

De repente, os ouvidos da Sovó Si tremeram quando ela soltou um grito de espanto. “Todo mundo, ouça! Uma criança está chorando lá fora!”

A seu lado, o Velho Ma sacudiu a cabeça e respondeu: “Impossível. Você deve estar ouvindo coisas… Ah, realmente tem um bebê chorando!”

Com exceção de Surdo, o resto dos idosos se entreolharam ao ouvir os gritos de um bebê ecoando na escuridão do lado de fora da vila. Como um bebê poderia aparecer nas proximidades quando a Vila dos Idosos com Deficiência estava localizada em uma área tão remota?

“Eu vou dar uma olhada!”

A Vovó Si ficou excitada enquanto andava na ponta dos pés e depois corria para o lado de uma das estátuas da vila. O velho Ma imediatamente se apressou também. “Você ficou louca, Velha Si? Sair da vila quando está escuro significa morte!”

“As coisas no escuro têm medo da estátua de pedra. Não morrerei tão rápido se carregar esta estátua para fora da vila!”

A vovó Si se inclinou enquanto tentava carregar a estátua de pedra. No entanto, como ela era corcunda, não conseguiu carregá-la nas costas.

O Velho Ma balançou a cabeça. “Me deixe fazê-lo. Vou ajudá-lo a carregar a estátua!”

Outra pessoa idosa ao lado se aproximou mancando e disse: “Velho Ma, você não será capaz de carregar aquela estátua de pedra por muito tempo apenas com o seu braço restante. Com os dois braços intactos, será melhor me deixar fazer isso.”

O Velho Ma apenas o encarou. “Você ainda pode andar com a perna coxa, maldito Aleijado? Posso ter apenas um braço, mas há força mais do que suficiente!”

Ele estabilizou o pé enquanto carregava a estátua de pedra incrivelmente pesada com o único braço. “Velha Si, vamos lá!”

“Pare de me chamar de velha amaldiçoada! Aleijado, Mudo e o resto devem estar vigilantes. Já que a vila terá uma estátua de pedra a menos, não deixem que as coisas na escuridão entrem!”

[Denn – 老太婆 (Velha Mulher Si) é um trocadilho para 老太婆 (Velha Amaldiçoada)]

***

Enquanto o Velho Ma e a Vovó Si saíam da vila dos idosos com deficiência, coisas estranhas e desconhecidas flutuavam na escuridão ao redor deles. No entanto, quando a estátua de pedra brilhou com raios de luz, todos eles gritaram estranhamente e recuaram de volta para a escuridão.

Depois de seguir o choro do bebê por algumas centenas de passos, o Velho Ma e a Vovó Si avançaram e chegaram a uma enorme margem do rio. Era de onde vinham os gritos do bebê. O brilho fraco da estátua de pedra não alcançou o suficiente, então os dois tiveram que ouvir atentamente a direção da qual o som vinha, movendo-se rio acima. Depois de dezenas de passos, o grito pôde ser ouvido nas proximidades. Ao mesmo tempo, o único braço do Velho Ma quase alcançara seu limite. A Vovó Si usou os olhos brilhantes e viu um pequeno brilho fluorescente à distância. O brilho veio de uma cesta que havia parado na margem do rio. Era também de onde vinham os gritos.

“Realmente era uma criança!”

A vovó Si avançou para pegar a cesta, mas ficou surpresa ao perceber que não podia. Debaixo da cesta havia um par de mãos brancas e pálidas inchadas pela água do rio. Essas mãos estavam apoiando a cesta e a criança dentro dela, empurrando-as até o leito do rio.

“Não se preocupe. A criança está segura agora.” Disse Vovó Si gentilmente para a mulher debaixo d’água.

Como se o cadáver da mulher tivesse ouvido suas palavras, suas mãos afrouxaram seu aperto. Ela desapareceu na escuridão quando foi arrastada pelo rio.

A Vovó Si levantou a cesta e dentro dela havia um bebê enrolado em um pano. Um pingente de jade que emitia um brilho fluorescente repousava sobre a roupa. Tanto o brilho do pingente de jade quanto o brilho da estatura da pedra eram muito semelhantes, mas o brilho do pingente de jade era muito mais fraco. Foi esse pingente de jade que protegeu a criança na cesta da invasão das coisas na escuridão.

Como o brilho do pingente de jade era fraco, ele só foi capaz de proteger a criança e não a mulher.

“É um menino.”

Voltando à vila dos idosos com deficiência, todos os aldeões reunidos eram idosos, fracos, doentes e deficientes. Vovó Si arrancou o pano para dar uma olhada no bebê, e os restos de seus dentes secos e dispersos começaram a sorrir. “Finalmente, há uma pessoa saudável na nossa vila dos idosos com deficiência!”

Aleijado, que tinha apenas uma perna restante, surpreendentemente perguntou: “Você planeja criá-lo, Velha Si? Não podemos nem cuidar de nós mesmos! Acho que devemos entregá-lo…”

A Vovó Si irrompeu de raiva. “Eu, uma velha, recuperei essa criança com minhas próprias forças. Por que devo entregá-lo?”

O grupo de aldeões ficou submisso e não ousou se opor a ela. Carregado em uma maca, o chefe da vila se aproximou. Ele era um pouco pior que o resto dos idosos; pelo menos os outros tinham membros, mesmo que fossem inferiores aos de um humano normal. Ele, por outro lado, não tinha membros. No entanto, todos eram muito respeitosos com ele. Até a Vovó Si, parecida com um demônio, não se atrevia a ser insolente.

“Já que vamos criá-lo, devemos dar-lhe um nome?” Ela perguntou.

O Chefe da Vila respondeu: “Velha, você vê mais alguma coisa na cesta?”

A Vovó Si passou pela cesta e balançou a cabeça. “Não há nada aqui além deste pingente de jade. A palavra “Qin” está no pingente. O jade não possui impurezas e também possui um poder estranho. Definitivamente, não é um objeto comum… poderia ser de uma família rica?”

“Ele deve se chamar Qin ou seu sobrenome é Qin?”

O Chefe da Vila pensou um pouco antes de dizer: “Qin será o sobrenome dele, e o nome dele será Mu. Qin Mu. Uma vez que ele cresça, será pastor. Isso deve ser suficiente para ele sobreviver pelo menos.”

“Qin Mu.” Vovó Si olhou para o bebê enrolado no pano que não tinha medo dela e estava inesperadamente rindo sem se importar.

***

O som de uma flauta ecoou pela margem do rio. Um pastor estava sentado em uma vaca, tocando uma melodia na flauta. O pastor parecia ter entre onze e doze anos de idade e tinha traços delicados, como lábios vermelhos e dentes brancos. Com a camisa entreaberta, um pingente de jade pendia na frente do peito.

Na verdade, esse menino era o bebê que a Vovó Si havia apanhado na margem do rio, onze anos atrás. Os idosos da vila dos idosos com deficiência criaram o menino cuidadosamente ao longo dos anos. A Vovó Si encontrou uma vaca para que, quando Qin Mu ainda fosse bebê, ele pudesse tomar leite todos os dias e viver o período em que os bebês morreriam jovens. No entanto, ninguém sabia de onde ela conseguiu.

Embora os aldeões da Vila dos Idosos com Deficiência fossem todos diabólicos, todos eles foram muito gentis com Qin Mu. Vovó Si era alfaiate e, na maioria dos dias, Qin Mu aprendia a costurar com Vovó Si, como coletar e refinar ervas com Boticário, como usar as habilidades das pernas do Vovô Aleijado, como usar a ecolocalização do Vovô Cego e como inspirar e expirar adequadamente com o Chefe da Vila sem membros. Como resultado, cada dia passava rapidamente.

A vaca era sua ama de leite desde que ele era bebê, Vovó Si planejava vendê-la, mas Qin Mu estava relutante. Portanto, o trabalho de pastorear vacas foi deixado para ele.

Qin Mu frequentemente conduzia vacas à beira do rio, contente com as montanhas verdes e as nuvens brancas azuladas.

“Qin Mu! Qin Mu, me salve!

De repente, a vaca em que Qin Mu estava sentado começou a falar, chocando-o muito antes dele pular de suas costas. Ele só podia ver os olhos da vaca brotando de lágrimas e, em uma língua humana, dizia: “Qin Mu, você consome meu leite desde que era bebê. Eu posso ser parcialmente considerada sua mãe, então você precisa me salvar!”

Qin Mu piscou e perguntou: “Como eu salvo você?”

A vaca disse: “Há uma foice na sua cintura. Cortar minha pele e você pode me salvar de ser presa.”

Qin Mu hesitou.

“Você esqueceu a graça com a qual eu o nutri?” A vaca perguntou.

Qin Mu levantou a faca e cortou cuidadosamente a pele da vaca. Era estranho, mas quando a pele de vaca foi cortada, nenhuma gota de sangue escorreu. Além disso, o interior da pele de vaca estava inesperadamente vazio – nenhuma carne ou osso podia ser visto.

No meio do processo de cortar a pele da vaca, uma mulher que parecia ter entre vinte e trinta anos desenrolou-se, com as duas pernas ainda envolvidas nas da vaca. Sua pele e a pele da vaca estavam conectadas, mas a parte superior do corpo já havia sido separada da pele da vaca.

Com os cabelos desgrenhados, a mulher pegou a faca das mãos do espantado Qin Mu e cortou a pele de vaca das pernas em três movimentos. Sua coragem se transformou em maldade quando ela olhou para Qin Mu e apontou a faca para ele, rindo friamente. “Criaturinha vil! Fui transformado em vaca por sua causa e, durante onze anos, só consegui comer capim e até tive que lhe dar leite! Eu acabara de dar à luz ao meu pobre filho antes que a bruxa conspirasse contra mim e me transformasse em uma vaca apenas para te alimentar com o meu leite! Agora estou finalmente livre! Eu vou te matar, então eu matarei todos os seres maligno nesta vila!”

Qin Mu ficou pasmo e não tinha ideia do que a senhora da pele de vaca estava falando.

Quando a dama estava prestes a cortá-lo até a morte, de repente sentiu um calafrio no meio das costas. Ela olhou para baixo e viu a lâmina de uma faca saindo do peito.

“Mu’er, seu avô Boticário quer que você vá para casa para tomar seus remédios.” O cadáver da dama caiu no chão. Atrás dela, sorrindo agradavelmente para Qin Mu e segurando uma faca que pingava sangue, estava o vovô aleijado da aldeia.

“Vovô aleijado…” O corpo de Qin Mu ficou mole quando ele olhou para a pele de vaca e o cadáver da dama em transe.

“Volte agora.” Aleijado deu um tapinha no ombro dele e riu.

Quando Qin Mu tropeçou de volta para a vila, ele voltou a olhar e viu Aleijado jogando o cadáver da dama no rio.

O impacto dessa cena foi tão grande que ele nem percebeu quando voltou para a vila.

“Qin Mu! Pirralho maldito, o que eu te disse? Não saia quando estiver escuro!”

Quando a noite caiu, as estátuas de pedra nos quatro cantos da Vila dos Idosos com Deficiência começaram a acender automaticamente novamente. Vovó Si parou Qin Mu, que estava planejando sair da vila para checar a pele de vaca e o arrastou de volta.

“Vovó, por que não podemos sair quando o céu escurece?” Qin Mu perguntou, levantando a cabeça.

“Quando o céu escurece, algumas coisas assustadoras se movem na escuridão. Sair significa morte certa.” Disse vovó Si, solenemente. “As estátuas de pedra da vila nos protegem, e as coisas na escuridão não se atrevem a entrar na vila.”

“As outras aldeias também têm estátuas de pedra como essa?” Qin Mu perguntou por curiosidade.

Vovó Si acenou com a cabeça. No entanto, ela continuou olhando para fora da vila com uma expressão preocupada, murmurando para si mesma: “O Aleijado deve voltar em breve… eu realmente não deveria ter deixado o Aleijado sair. Ele só tem uma perna sobrando…”

“Vovó, algo estranho aconteceu hoje…”

Qin Mu hesitou por um momento antes de contar a vovó Si sobre a mulher que emergiu do estômago da vaca. Vovó Si respondeu com indiferença: “Você está falando sobre essa mulher? Aleijado me falou sobre isso. Ele acertou tudo. Quando você foi desmamado aos quatro anos, eu queria vender a vaca, mas você não queria. No final, eu deixei você cuidar disso. Você vê o que aconteceu? Eu disse que você definitivamente desenvolveria sentimentos pela vaca se você bebesse o leite até os quatro anos de idade.”

Qin Mu corou. Definitivamente, quatro anos de idade era tarde demais para afastar uma criança do leite, mas essa não era a coisa importante aqui, certo?

“Vovó, vovô Aleijado matou aquela senhora…”

“Foi uma boa matança.” Vovó Si riu. “Ela fez uma barganha. Ela teria morrido onze anos atrás. Se não fosse por nossa necessidade de cuidar de você, ela poderia ter vivido até hoje?”

Qin Mu não sabia do que estava falando.

Vovó Si olhou para ele e disse: “Essa mulher era a esposa do senhor da Cidade Borda do Dragão, que fica a milhares de quilômetros de distância daqui. O Senhor da Cidade Borda do Dragão é lascivo, e essa mulher ficou com ciúmes facilmente. O Senhor da Cidade Borda do Dragão adora sair com mulheres e sequestrar donzelas de famílias respeitáveis. Toda vez que o Senhor da Cidade Borda do Dragão contaminava a pureza de uma donzela, sua esposa enviava seus homens para espancá-la até a morte. Inicialmente, eu entrei na Cidade Borda do Dragão planejando assassiná-la, mas quando vi que ela tinha acabado de dar à luz uma criança com apenas três meses de idade e vi que ela tinha o leite que você precisava, eu a transformei em uma vaca. Não achei que essa mulher realmente conseguisse se libertar do selo, falar e quase machucá-lo.”

Totalmente espantado, Qin Mu gritou: “Vovó, como você transformou um humano em vaca?”

Vovó Si riu, revelando seus dentes secos. “Você quer aprender? Eu vou te ensinar… Oh, Aleijado está de volta!”

Qin Mu olhou por cima e viu Aleijado mancando de volta, segurando uma muleta com uma mão e carregando um animal nas costas com outra. A escuridão veio à tona na vila como uma maré furiosa, fazendo a vovó Si gritar preocupada: “Mova-se mais rápido, maldito aleijado! Mais rápido!”

“Qual é a pressa?”

Aleijado continuou caminhando em direção à vila em um ritmo constante, e no exato momento em que entrou na vila, a densa escuridão inundou toda a vila. O animal nas costas dele, um feroz tigre multicolorido, ainda estava vivo. A escuridão roçou sua cauda e de repente uivou de dor. Qin Mu correu para trás para dar uma olhada e viu que a única coisa que restava da cauda do tigre era o osso. Toda a pele, pelo e carne da cauda haviam desaparecido como se algo tivesse mastigado tudo.

Qin Mu olhou para a escuridão do lado de fora da vila, curiosa, incapaz de ver qualquer coisa no escuro.

“O que existe na escuridão?” Ele pensou.

[Denn – E começamos essa novel foda demais! Eu viciei demais nela. Fiquei dias só lendo ela sem conseguir fazer mais nada além disso. Agora que colei no inglês eu resolvi traduzir ela, pois o mundo inteiro precisa conhecer essa novel. Espero que gostem dela tanto quanto eu gosto.]


[Não esqueçam de comentar e recomendar]

[Leiam BEYOND?! O Denn finalizou a novel!]

Ei, você gosta desta novel? Acha que tem pontos a se melhorar? Ou acha que o autor já conseguiu expor toda sua experiência com esta obra? Diz pra gente lá no novo site da Central Novels!

Tales of Herding Gods - Capítulo 02