Re:Zero – Arco 4 Capítulo 4

572
Re:Zero - Arco 4 Capítulo 3
Re:Zero - Arco 4 Capítulo 5

O Próximo Lugar

Parte 1

 

— — Após Beatrice tê-lo expulsado da Biblioteca Proibida, Subaru retornou para onde todos estavam reunidos com as mãos vazias, olhando um pouco envergonhado de si mesmo. Aguardando-o, a sala de estar estava tal como quando ele tinha saído. A única diferença era que Otto agora estava sentado no banco do Subaru e parecia ter acabado de discutir algo com Emília. Colocando uma expressão em seu rosto, rosto que deixaria sem dúvida a impressão na mente de qualquer um o quanto ele ressentia ter outro cara falando com Emília em algo vagamente semelhante a uma forma íntima, Subaru caminhou em direção a Otto.

Subaru: Vejo que você está alegremente conversando com minha Emília-tan enquanto estive fora, seria bom se você se fosse e caísse morto agora.

Otto: Não é da minha natureza apenas sentar em silêncio e deixar o tempo passar…. Mais importante, que tipo de pessoa sã diz uma linha assim imediatamente após voltar!? É muito desagradável quando você sempre descarregar sua raiva em mim sabia!

Subaru (voz feminina): N-não fale como você pudesse me entender! Assim que eu comprar o seu óleo e cumprir minha promessa, estará tudo acabado entre nós! Então não tenha a ideia errada aqui!

Otto: Poderia por favor não falar que há algo entre nós que pode causar um mal-entendido!?

No curto espaço de tempo que levou Otto para gritar com ele por ser uma tsundere, Subaru, como se de repente completamente estivesse a perder o interesse, voltou-se para Emília. Mantida fora da conversa, ela claramente estava esperando por ele e Otto terminarem de falar, e vê-lo olhando para ela, ela olhou de volta para ele e perguntou:

Emília: — — Você foi capaz de se encontrar com Beatrice?

Uma pergunta surpreendentemente difícil. Por um lado, a resposta a sua pergunta foi Sim, mas a resposta para a real pergunta era mais como um não. Enquanto ele tinha sido capaz de fazer contato com ela, ele realmente não tinha conseguido abordar o tópico mais essencial. Ele quase queria rir de si mesmo por ser um coxo, indeciso, covarde protagonista de RPG de aventura, que ele era.

Subaru: Não, simplesmente não aconteceu.

Emília: Ah… Oh, bem, acho que era de se esperar. Quando Beatrice se oculta usando ‘Porta Intercambiável’, acho que não há nenhuma maneira de encontrá-la. Nem Ram nem eu conseguimos encontrá-la de jeito nenhum, então….

Subaru: Ehm, na verdade, eu consegui encontrá-la. Mas ela foi, como eu poderia dizer isso… Acho que ela estava de mau humor, um pouco triste… De qualquer forma, eu não fui capaz de obter uma resposta dela. Estúpido, não sou?

Emília: Você… achou ela?

Tendo pensado que ele nunca tinha sido capaz de fazer contato com ela em primeiro lugar, os olhos Emília se arregalaram com espanto. Um pouco surpreso com a reação dela, Subaru soltou um “Ah?” e acenou com a cabeça.

Emília: Estive pensando nisto por um tempo, mas… Você e Beatriz são na verdade muito próximos, não é?

Emília murmurou em voz baixa, tocando levemente seu lábio inferior com o dedo, como se algo a ponderar. Em resposta, Subaru, pôs sua melhor carranca de desaprovação, trabalhando duro para melhorar ainda mais a expressão que ia aos poucos se moldando em seu rosto para algo que ninguém poderia mal interpretar.

Subaru: Eu e a Beako, amigos? Por favor… Ela é como minha arqui-inimiga, desde o momento que nos conhecemos. A primeira vez que nos conhecemos ela sugou tudo o que eu tinha da minha mana sabia!? Eu não acho que há tempo suficiente no mundo para aquela primeira impressão horrível ir embora!

Emília: Mas você fez pazes até mesmo com o Julius? Depois de tudo que aconteceu entre vocês? Subaru esqueci que você é assim às vezes, sendo teimoso em um de um jeito muuuuuuuito sem sentido.

Subaru: Sendo teimoso sem uma especifica razão é o que mede um homem! Eu sou o tipo de cara que continua a carregar essa ideia meio estúpida, mesmo sabendo que é um monte de porcaria. Além disso, ainda não fiz as pazes com Julius. Eu, odiarei, aquele cara para, SE-M-PRE

Emília: Claro, claro.

Emília levemente pôs de lado suas objeções dissimuladas com uma pequena risada. Vendo isso, Subaru distorceu seu rosto para mostrar sua insatisfação. No entanto, por dentro, ele se sentiu aliviado que o assunto tinha sido deixado para trás. Ele ainda não teve tempo para processar a sua conversa com Beatrice. A expressão triste no rosto dela, no final, ele não fazia ideia de como sequer começar a entender o sentido disso tudo.

Subaru: A propósito, para onde a Frederica se foi? Como poderia o bom juízo dela ser tão carente que ela deixaria minha Emília-tan e Otto em paz juntos…

Emília: Deixando de lado a questão de que eu supostamente pertenço a qualquer um para outra hora… Frederica se foi a preparar um dos quartos… Já que vamos precisar de um lugar para que a Rem-san descanse.

Subaru: Ah, entendi…

Subaru respondeu num sussurro baixo. Emília, parecendo aflita, estreitou os olhos dela. Enquanto ele se odiava por causar essa expressão no rosto dela, ele simplesmente não podia segurar a dor que enchia o peito dele toda vez que ele se lembrava de Rem. No entanto, com um piscar de olhos e uma sacudida de sua cabeça, ele extinguiu o sofrimento na sua expressão para prevenir que a sua própria dor aumentassem as da Emília. Relaxando os lábios, ele disse:

Subaru: Nesse caso, melhor eu ir buscar a Rem de dentro da carruagem. Ela não devia estar deitada afora por aí sozinha… Oh, me desculpe pelo o que eu disse antes, Otto.

Otto: Não, não, não te culpo. Afinal, eu sinto que… muita coisa tem acontecido entre ela e Natsuki-san. Eu dificilmente poderia lhe pedir para que mantivesse as suas emoções sob controla dadas as circunstancias.

Subaru: É só que quando eu penso em você tocando na minha Rem com as suas mãos sujas, gananciosas, não consigo me controlar… Me desculpa mesmo.

Otto: De jeito nenhum que você diria algo assim se você estivesse realmente dizendo que sente muito pelo que fez! Também não acho que essa é uma frase de alguém que facilmente acabou de rotular outra garota totalmente diferente como sendo dele, deveria estar dizendo!!!!

Subaru: Isso é somente eu te usando para fazer Emília-tan apaixonar-se em ciúmes por mim. Não me faca dizer isso em voz alta, seu besta!

Otto: Você disse isso em voz alta por conta própria!!!!

Rindo da confiante reação de Otto, Subaru lançou de leve um olhar para o rosto de Emília. Tendo observado atentamente a conversa deles, os lábios de Emília pareciam estar um pouco menos tensos do que antes, e a tristeza de momentos atrás tinha desaparecido por completo. Confirmando isso, Subaru soltou um pequeno suspiro de alívio.

Emília: Subaru e Otto-kun parecem ser beeeeeeem próximos. Mesmo que vocês só se tenham conhecido recentemente…

Subaru: É isso do que você tem ciúme!? Em comparação com meus sentimentos por você, Otto é apenas um brinquedo, um brinquedo jogado de lado! Eu quero um relacionamento verdadeiro e apaixonado com você, Emília-tan!

Otto: Por que eu estou sendo descartado!? Mesmo que tudo isto não tenha base na realidade, ainda não gostei disso!!!!

Vendo o clima entre os dois ficar mais e mais complicado, Emília de repente começou a rir. Cobrindo a boca com a mão, seus ombros tremendo com o riso, em meio a isso, Emília conseguiu espremer um “me desculpe” antes de que ela finalmente fosse capaz de continuar.

Emília: Não acho que este é o tipo de situação onde eu deveria estar rindo assim, mas eu não pude aguentar… Tem certeza de que vocês dois realmente já se conhecem há muito tempo?

Subaru: Ele é um comerciante viajante sabe? Uma vez que seu negócio acabou, ele vai sair daqui antes que você perceba… Na verdade, só o pensamento de um personagem masculino “un-shipped” além de mim se aproximar de Emília-tan, aaah eu não aguento!

[Un-shipped: No Brasil ultimamente o pessoal está usando o pessoal esta usando o termo, “shippar” alguém, aqui o esquema é o mesmo, Subaru esta dizendo que ter outro personagem pelo qual ninguém “shipparia” ou apoiaria ou toreceria pela relação dele com qualquer moça alem do Subaru, ele não poderia aguentar, por que realmente ninguém quer ver o Subar se dar bem KKKK eu so “shippo” uma relação dele com a REM por que a Rem é a personage que mais merece e a mais fofa, não por causa do Subaru.]

Otto: Não sei o que isso significa, mas mesmo nesse pouco tempo que pude te conhecer já posso dizer que provavelmente é algo realmente horrível então não gostei — —!

Ver Otto colocar suas mãos sobre a cabeça com uma expressão um pouco traumatizada no rosto, Subaru bufou ruidosamente, torcendo a boca. De certa forma, esses exageros eram na verdade seus verdadeiros sentimentos. Desde que ele entregou o seu coração para a Emília, Subaru perseguiu-a com um ar de invencibilidade indomável, e seu coração é incendiado com ciúme sempre que outro cara se aproxima dela. Isto é certamente porque a profundidade de sua possessividade e ciúme, ambos são muitas vezes a mais do que as de qualquer pessoa normal.

 

«««««««««« »»»»»»»»»»

Parte 2

 

A conversa desenfreada na sala de estar estava vindo à um fim assim que Frederica retornava da preparação do quarto de convidados.

Frederica: “Eu estava pensando, eu gostaria de checar como as coisas estão na vila ao lado. Eu tenho em posse os certificados para os outros mercadores concernentes à compra de sua mercadoria, e eu posso, até certa extensão, tomar conta de sua distribuição para a vila. Embora eu vá exigir do Marquês o pagamento de tais custos, é claro.

 

Depois de dizer isso, como se a fadiga da longa jornada não o afetasse de maneira alguma, Frederica partiu em direção à vila. Não importa o quanto ele mostrasse a face de um mercador calculista, sua proposta era, desde que 60% dos refugiados ainda não haviam retornado, nada menos que o fornecimento de ajuda e suporte para a todavia não-funcional vila Arlam.

 

Observando Frederica esconder todo esse altruísmo atrás de sua atitude faminta por dinheiro, Subaru foi forçado a encobrir seu senso de gratidão por fingindo cuspir no chão.

 

Frederica: ” Eu preparei o quarto na área de serviçais assim como instruído… estranhamente, parecia haver apenas um quarto que havia sido completamente limpo.

Subaru: ” Completamente limpo… O quarto ao fundo do segundo andar?

Frederica: ” —Sim, exatamente. Apenas esse quarto estava limpo, e tudo parecia haver sido jogado fora exceto pela cama… Você saberia algo sobre isso?

 

Assim que Frederica falou sobre o quarto que recém havia sido preparado, Subaru sofreu grandemente para impedir que seu pesar emergisse em seus olhos. O quarto de ela falou sobre —— O quarto do extremo interior do segundo andar da mansão na ala leste, era o quarto que Rem usava. Ouvindo essa explicação de que todo no quarto havia sido organizado, Subaru profundamente sentiu o soberano poder da autoridade de “Gula”: A erradicação da existência.

 

Subaru: ” … Não. Eu só tive um palpite; não tem nenhum real significado por trás disso.

 

Frederica, que viu a verdade através das palavras de Subaru, não disse outra palavra a respeito.

 

Ela também, parecia possuir uma extraordinária e excelente disposição como uma empregada. Aparentemente, Rem e Frederica eras as duas quem mantiveram a excessivamente espaçosa mansão de Roswall funcionando… Ram não conta.

 

Caminhando através da parte de trás da mansão, um suave ronco recebeu Subaru assim que ele se dirigia para a carruagem de dragão. Olhando para onde a carruagem estava estacionada, ele viu uma construção não familiar que parecia com um armazém——aparentemente era um lugar usado para  abrigar carruagens, como uma garagem. Ele viu a garagem, e Patrasche parado no celeiro adjacente. O dragão-terra com sua pele negra soltou um valente rugido, estendendo seu pescoço em direção à Subaru em um gesto de ternura.

 

Colocando um dedo contra as narinas que se aproximavam, ele fez cócegas na rígida pele.

 

Subaru: ” Me desculpe por nunca ter te agradecido apropriadamente, Patrasche. Um monte de coisas aconteceram, eu sei que já é tarde demais, mas, eu estarei contando contigo daqui em adiante também, companheira.

……….

 

Em resposta às palavras de Subaru, Patrasche lambeu a palma de sua mão com sua rugosa língua. Observando à essa terna troca de sentimentos, Frederica inclinou sua cabeça

 

Frederica: ” Ela realmente te adora. Um olhar, e qualquer um diria que ela é uma competente dragão-terra, contudo, ao ver o quão domada ela é… é assombroso.

Subaru: ” Eu não fiz nada comparavelmente similar à domar ela. Se dragões-terra normais são difíceis de dar carinho e abraçar, então acredito que é simplesmente por que Patrasche possui uma maior profunda capacidade emocional do que os outros, Ou, talvez, eu seja tão incapaz, que ela não pode me deixar sozinho.

 

Não era como se Subaru estivesse sendo humilde, este era simplesmente a única maneira que ele podia evaluar a amabilidade de Patrasche. Dentro do curto período de 3, 4 dias de havê-la encontrado, quantas vezes ele teve sua vida salva por essa dragão-terra de coração mole. A propósito, Subaru não havia feito nada em troca à ela todavia. Ele não podia reter o sentimento de que encontrar ela especificamente era nada menos que uma benção.

Tal como compreendendo os pensamentos pessoais de Subaru a respeito dela, Patrasche estendeu sua cabeça, cuja estava lambendo as mãos de Subaru, e coçava seu focinho contra as bochechas do distraído Subaru. Surpreso pela investida ofensiva, Subaru sorriu ironicamente à áspera sensação em seu rosto.

 

Frederica: ” Eu; acho que entendo que tipo de pessoa Subaru-sama é. —Você, teve seus próprias provações.

Subaru: “…..”

 

Invés de Subaru,que estava com suas mãos cheias com Patrasche, as palavras de Frederica e seu doce olhar estavam redirecionadas à Patrasche, que estava  brincando com ele. Patrasche parou seus movimentos pela profunda emoção por trás das palavras de Frederica. Olhando para ela com suas pupilas répteis, antes de resumir sua brincadeira de Subaru.

Naquele momento, as mulheres de alguma forma entenderam umas às outras, e Subaru estava completamente inadvertido.

 

De qualquer modo,

 

Subaru: ” Me desculpe por te fazer esperar, Rem. Eu tenho certeza que estava apertado e escuro aqui, certo? Eu vou te carregar para o seu quarto agora, okay?

 

Depois de passar um tempo brincando com Patrasche, ele dirigiu-se para onde a carruagem estava estacionada——em outras palavras, para onde Rem havia sido deixada dormindo. Não haviam quaisquer mudanças, Rem estava ainda em seu sono profundo. E ela não ergueu nenhuma objeção. Aborrecida por ter sido deixada para trás, sua cabeça voltando para o outro lado, bochechas estufadas de ar…dizendo, “Subaru, você é tão maldoso!”, ou dando risada para as desculpas dadas por ele—nada disso aconteceria.

 

Subaru: ” —Eu ouvi sobre isso antes, mas ainda assim estou surpresa.

 

Por trás de Subaru que estava imerso em nostalgia, Frederica, que avistou Rem pela primeira vez, estava incapaz de esconder sua surpresa. Quando Subaru, inclinou sua cabeça à resposta de surpresa de Frederica, ela quietamente balançou sua cabeça.

Frederica: ” Nada não. É só que, o rosto dela é tão similar ao da Ram que eu conheço. A única diferença é a cor de seu cabelo… gêmeas, assim como você o disse.

Subaru: ” Estou seguro de que seria difícil de acreditar, por ter suas memórias apagadas e tudo mais, mas estou grato por você ter acreditado em mim. Me faria inmensamente feliz se você ainda a recordasse, sem que você pensasse que fosse algum tipo de piada cruel.

 

Acenando para a surpresa de Frederica, Subaru esticou a palma de sua mão para tocar as bochechas da Rem. De alguma forma, não se podia sentir calor ou frio provenientes dela. Não havia dúvidas de que todas as suas funções vitais estavam ativas, mas não lhe restava nada com vida presentes nela. Conforme com o que ele já havia checado incontáveis vezes, Subaru mais uma vez recebeu uma incurável ferida nas profundezas de seu coração. Ainda que o soubesse, ele não podia fazer nada a não ser checar.

 

Frederica: ” Subaru-sama. Estaria bem se você me deixasse carregá-la.”

Subaru: ” Eu quero fazer isso eu mesmo. Por favor me deixe, eu quero ser aquele quem vai carregá-la até a mansão… para o quarto dela. Me desculpe, eu estou sendo egoísta.

Frederica: ” Mas é claro que não, é realmente comovente. Seus olhos parecem com os de um assassino, mas você é gentil, entendo.

Subaru: ” Eu também tenho um coração que se sente ferido por tal provocação!

 

Respondendo às palavras de Frederica, Subaru susteve Rem em seus braços. Ele estava carregando ela diversas vezes até agora para movê-la, mas ainda assim, ele se lembrava em cada uma dessas vezes de o quão leve ela era. Era com esse mesmo corpo que ela esteve em frente à ele, lutando duro e protegendo a inútil existência. O quanto mais ele permanecia nesses pensamentos, o tanto quanto seus sentimentos de o quão preciosa ela era o sufocavam.

 

Subaru: ” Eu vou te acordar, o quão cedo quanto possível. Então, por favor, me dê broncas cheia de raiva por sentir a suavidade de seu corpo com esses dedos meus.”

Frederica: ” Essa foi uma frase tão boa, até você ir e arruinar ela inteiramente.

 

Subaru saiu da carruagem, deixando as palavras descontentes de Frederica para trás. Ele acenou uma rápida despedida para a Patrasche, que havia cutucado a cabeça dela através da cerca do estábulo. Subaru então entrou na mansão, guiado por Frederica.

Guiou-o para o quarto das empregadas ao leste——O quarto, o lugar que outrora pertencia à Rem.

 

Frederica: ” Você conversou, com a Beatrice-sama?”

A declaração foi dita abruptamente, enquanto eles caminhavam. Subaru, que estava cuidadosamente subindo as escadas, observou as costas de Frederica. Ela estreitou as pupilas de seu olhar afiado, e olhou abaixo para Subaru com um olhar que continha intimidação. Embora, Subaru entendia que era somente um mau-entendido, como ele tinha o mesmo tipo de olhos, com uma área branca maior que o normal. Vindo à assumpção correta através de seu silêncio como uma afirmação à sua pergunta, Frederica disse;

 

Frederica: ” Ela está andando bem? Eu pergunto por que, desde a minha visita à mansão, ainda estou esperando por encontrá-la.

Subaru: ” Eu já o disse para Emília-tan, mas ela está bem…Eu acho. Embora, Eu não tenha tido a oportunidade de falar com ela tanto quanto eu normalmente faço, já que ela estava de mais mau humor que o normal.

Frederica: ” É… mesmo…

 

Tal qual angustiada, sua expressão para a resposta de Subaru não era a de uma radiante Observando esse olhar, Subaru nada pôde fazer além de perguntar-se sobre algo. Era sobre o papel que a garota chamada Beatrice realmente era, na mansão.

Até então , Subaru não havia escavado ao fundo em questão à sua posição ou histórico. A garota , na Mansão do Marquês Roswall, permanecia em um estranho espaço mágico, a Biblioteca Proibida, e era tratada por Rem e Ram ambas como visitante e nobreza. Ainda assim, ela parecia infantilmente adorar Puck, um espírito em contrato com Emília, uma candidata para a Eleição Real, tal como se ele fosse seu irmão mais velho. Também, a maneira como ela agia para com Subaru parecia inapropriada para a sua idade, ainda que suas ações durante seu último encontro, eram todos mistérios.

 

Subaru: ” Frederica, você esteve trabalhando na mansão por um razoável período de tempo, não é?

Frederica: “Oh, curioso? Emília-sama, a garota em seus braços…e Beatrice-sama… você parece ter bastantes interesses.

Frederica: ”  Pare de misturar a Beako assim tão fácil, eu não estou interessado em crianças. Você consegue ver  que minhas mãos estão cheias o suficiente com a Emília-tan e Rem não é? E Frederica você… honestamente, faz pouco tempo que nos conhecemos, e você não é o meu tipo.

Frederica: ” Oh, eu sou odiada” disse Frederica colocando uma performance, pondo as suas mãos em sua testa tal como uma atriz mostrando sua infelicidade.

Subaru: ” Não está certo, você estar tentando mover as correntes dos meus sentimentos como uma das empregadas da mansão Roswall o faria. Oh, e isso é somente uma questão de preferência pessoal; não é como se eu te odiasse ou coisa parecida.

 

Os olhos de Frederica dançaram, e ela riu para a resposta de Subaru, enquanto cobria a boca com suas presas, cruéis ao olhar.

 

Frederica: ” eu não estou muito preocupada com isso. Você, também parece ser alguém bastante preocupado com tudo ao redor.

Subaru: ” É porque eu te magoei quando recém havíamos nos conhecido. Você simplesmente riu de deixou por assim mesmo, mas isso magoou um pouco, não?

Frederica: ” …….”

 

Para as palavras de Subaru, os olhos de Frederica tremeram com uma expressão de surpresa nesse momento. O sorriso foi varrido de seu rosto, ela encarou-o. O olhar dourado de seus olhos cintilando, ela deslizou seu olhar para encontrar o dele, e Subaru encontrou-se com a sensação de que ela estava tentando ver através de sua pessoa.

Lentamente deixando um pequeno suspiro, Frederica disse:

 

Frederica: ” Não acontece frequentemente de alguém conseguir ver através do meu coração. Eu apreciaria mais, se você se retivesse em fazê-lo.

Subaru: ” Eu só estava tentando arrumar a bagunça que eu havia feito mais cedo. Além do mais, é o mesmo comigo, com meu olhar feroz e intimidador… só que no meu caso, era a família inteira.

 

Desde que ambos seus pais tinham expressões ferozes , seu filho também o tinha.

Durante o jantar, todos eles possuíam a mesma expressão enquanto eles jorravam maionese de seus tubos pessoais, e isso provavelmente, ao olhar alheio, tal como se eles estivessem conjurando algum tipo de magia negra na mesa de jantar.

Franzindo assim que ele mencionou suas próprias memórias objetivamente, Frederica afinou e afundou seu olhar ainda mais.

 

Frederica: ” Você não é uma pessoa ao estar desconfortável de estar junto, somente, muito estranho. Eu acho que compreendo o por que de Emília-sama comportar-se tal como ela o faz contigo.

Subaru: ” O quê, o quê sobre a Emília-tan?

Frederica: ” Não é nada demais. Desta vez, Emília-sama estaria verdadeiramente chateada comigo, o que você faria se soubesse por quanto tempo eu estive trabalhando nesta mansão?

 

Balançando sua cabeça, Frederica havia posto o assunto de lado. Por mais que ele não tenha sido capaz fazer qualquer sentido nas palavras dela, Subaru retornou ao tópico original.

 

Subaru: “Então o assunto é, Eu gostaria de poder falar com  a Beako… Beatrice. Se você trabalhou como um das empregadas da mansão, então…  eu gostaria de saber a quanto tempo ela está na mansão.

 

Ele não o havia dito com a intenção de soar como uma pergunta ou coisa parecida, mas pela estimação de Subaru, Frederica era vários anos mais velha —— Por volta dos 23 ou 24. Mesmo se ela fosse uma empregada veterana de mais de 10 anos, e já que Beatrice era por volta dos 12, tudo o que ele teve de fazer foi vir à tona com uma estimativa.

Mas, para a pergunta de Subaru, Frederica balançou a cabeça.

 

Frederica: ” Sinto muito, mas eu não sei. Beatrice-sama se trancou por um longo tempo, até mesmo antes de eu ter começado a trabalhar nessa mansão.

Subaru: Ah, bem, acho que não podemos fazer nada sobre isso. Seu histórico como empregada não necessariamente significa que isso diretamente se correlaciona com o quanto tempo você trabalhou como uma empregada doméstica profissional então…

Frederica: Não, esse não é o caso, Subaru-sama.

 

Frederica interrompeu Subaru, que sentiu que sua conclusão havia sido negada por uma razão bastante plausível. Assim que Subaru franziu suas sobrancelhas, ela endireitou suas costas, e complementando pela seu semblante maligno e uma notável preocupação, ela disse:

 

Subaru: … Espera, isso não te parece estranho? Porque calculando, isso significaria que Beako tem estado trancada naquele mofoso quarto desde que ela era uma criança.

Frederica: ” Você, já não sabia?

 

Tal como critanco a teimosia de Subaru, Frederica balançou a sua cabeça. Coma  sua atitude confirmando a dúvida que ele a houvera mantido em seu coração, Subaru entendeu o que ele esteve evitando em pesar tão profundamente.

Em outras palavras, a garota na biblioteca——

Subaru: A aparência dela não mudou desde então, … Eu acho que ela não é mesmo humana no final das contas.

Frederica: Desde o começo da família Mathers, a bibliotecária que tomou um juramento de continuar supervisionando a biblioteca proibida —— Essa é quem ela é, a Grande Espírito, Beatrice-sama.

 

Incapaz de detectar quaisquer mentiras em suas palavras, Subaru foi deixado sem escolha, a não ser as de aceitar. A verdadeira identidade com quem ele têm interagido até então, era uma existência que pertencia à uma dimensão totalmente diferente.

Subaru: Grande Espírito… esse título é o mesmo como o de Puck, mas ela se parece bem diferente e tudo mais.

Frederica: Está relacionado com a falta de um contrato e um juramento… não, isso já é mais do que eu deveria estar dizendo. Por favor. Esqueça disso.

Subaru: IMPOSSÍVEL, totalmente impossível,

 

Quantas vezes tinha já a ignorância de Subaru causado ele à ser carregado de um lado à outro pelo que outras pessoas sabiam mas o compartilham. Frederica não ligava para o olhar de desdém de Subaru, e fechou seus lábios. Parecia que ela não tinha quaisquer intenções de tocar no assunto novamente. Para a sua atitude e comportamento, Subaru suspirou, reconhecendo que ele seria incapaz de continuar uma conversa que envolvesse a Beatrice.

Lembrando que a conversa deles havia continuado enquanto as suas pernas haviam deixado de moverse.

 

Subaru: Frederica.

Frederica;  Me perdoe, Subaru -sama. Minha língua estava um tanto quanto frágil. Eu só estava contente por alguém ter aparecido que se preocupasse com Beatrice-sama.

Subaru: Está tudo bem. Mas meus braços estão já no limite. Os superiores do seu braço, tremendo, Subaru olhou para Frederica com uma rígida expressão em seu rosto. Ele estava se fazendo de forte porque “é um copo leve leve” e “qualquer coisa é possível com amor”, mas coisas como a força de seus braços, vitalidade de seus músculos, e ademais, ignoraram essas frases e atacaram ele com toda a força.

Frederica: Oh, Oh

Subaru: Então saiu da frente do caminho, por favor.

 

Subaru jurou para si mesmo de que elo nunca faria nada tão estúpido como deixar Rem acomodada no chão, ou deixar ela aos cuidados de Frederica, ; então deixou a oferta de trocar a responsabilidade com ela, e moveu-se para o quarto de convidados com passos apressados.

Os sons de macios passos correndo ecoaram por trás; parecia que Frederica estava o seguindo logo atrás. Refletindo na maneira horrível como ele terminou a conversa, ele chegou à frente do quarto de Rem.

 

Emília: —- Você realmente tomou o seu tempo.

 

Emilia disse. Sua expressão séria mostrando o quão monótona a sua espera por Subaru tem sida.

 

«««««««««« »»»»»»»»»»

Parte 3

 

Deitando Rem na cama, Subaru puxou a coberta até seu peito. O batimento do coração dela, e a erguida e baixa de seu peito enquanto respirava, dava o testemunho de que ela ainda vivia. Até o dia em que seus olhos se abrissem outra vez, ele se perguntava quanto tempo ela teria que passar aqui.

Subaru: Eu acho que isso vai depender do tamanho do meu esforço, huh?

Fazendo de seus sentimentos um novo juramento, Subaru gentilmente afastou o cabelo de Rem que pousava sobre suas sobrancelhas, e então, ele deu meia volta para olhar para Emília, que estava esperando em pé silenciosamente atrás dele.

Subaru: Me desculpe por te fazer esperar. Frederica e eu acabamos conversando conversando sobre todo tipo de coisas, e eu terminei juntando um monte de ácido láctico em meus bíceps.

Emília: É incrível que tenha se perdido na conversa. O que você e Frederica estavam conversando sobre?

Subaru: Eu comecei fazendo algumas perguntas relacionadas à reabilitação da loli enfurnada naquela biblioteca. Por quanto tempo ela ter sido uma neet, quando que isso começou, como ela tratava as pessoas depois que isso aconteceu… tudo era relativamente relacionado com a sua recuperação.

Emília: Hmmm, Entendo. Subaru, você é muito bem informado quando se trata de NEETs. É incrível.

Subaru: Emília-tan, eu sei que não foi de má intenção mas… suas palavras às vezes me me machucam até as profundezas do meu coração. Assim como agora.

Era um pouco desconcertante como genuinamente ela parecia estar elogiando ele. Emília, sua expressão puramente inocente, inclinou sua cabeça e olhou para Subaru, que franziu suas sobrancelhas. Ele respondeu com um sorriso irônico, e deu de ombros.

Emília: Então você não foi capaz de fazer Beatrice te dizer algo?

Subaru: A boca dela estava firmemente fechada e ela não deu sinais de mudar de ideia. A propósito, eu sei que já já te perguntei isso milhões de vezes agora mas… onde está o Puck?

Emília: —Estou sem sorte, ainda não consegui nenhuma resposta dele. Isso acontece de vez em quando, a hora que ele escolheu para sumir foi beeeem horrível dessa vez. Aff, isso é muito estressante.

Alcançando dentro de sua camisa, ela puxou um cristal verde. Encaixado em um pendante, a pedra fracamente brilhava. Adentro, uma encantadora luz rodeava onde o Grande Espírito residia. Isso era o link que selava o contrato entre Emília e Puck, e Subaru, tendo visto a sua forma materializada indo e saindo de dentro do cristal quase diariamente, sabia disso também. Só, assim como qualquer um poderia deduzir da sua conversa, não houve quaisquer sinais de sua presença de dentro do cristal pelos últimos dias. Ele se havia ido —— Era difícil de acreditar, mas ele não estava respondendo aos seus chamados.

Subaru: Isso, acontece às vezes? Mas, isso deve ser bastante exasperante para você.

Emília: Sempre quanto eu realmente, realmente preciso da ajuda do Puck, ele sempre vem. Assim que, eu não acho que ele não esteja observando… Eu perguntei à ele o que ele não faz quando ele não está por perto, mas ele nunca me disse.

Ouvindo as desculpas de Emília, Subaru coçou a cabeça, [Isso… ]. Ele não pode esconder seu desapontamento ao fato de que Puck, quem estava ciente de tudo, escolheria permanecer em silêncio. Com isso, todas as figuras importantes com quem ele contava que poderia auxiliar-lhe com suas dúvidas, todos se retiraram em silêncio ao mesmo tempo.

Subaru: Puck e Beako pararam de falar comigo ao mesmo tempo… Isso dói.

Emília: Eu sei… … Ei, Subaru, o que deveríamos fazer?

Subaru, descansando a sua mão sobre sua testa, estava em profundo pensamento quando Emília lhe fez a pergunta sobre sua decisão.

Ele olhou abaixo, simplesmente para encontrar a confiança e expectativas que provinham do olhar dela, ele desprezava a si mesmo por sentir-se feliz em um momento como este. Realizando que ela estava confiando nele,l em meio à esses sentimentos sentimentos sufocantes, ele entendeu o que ele deveria fazer

Subaru: Já que os únicos que poderiam ter quaisquer respostas de repente entraram em silêncio, nós realmente não temos escolha nenhuma a não continuarmos adiante. … Embora, mesmo que encontremos aquele cara, se ele vai nos contar qualquer coisa é outros quinhentos.

Emília: Você está falando do Roswal, certo?

Subaru: Sim, já é passada a hora dele cuspir tudo fora e nos contar tudo o que está acontecendo, eu acho.

Vendo Emília entender a situação, Subaru acenou sua cabeça. Desde que reconheceu a sua linha de pensamento, ela provavelmente estava pensando o mesmo também.

Emília pôs uma mão sobre seu peito, e parecia aliviada que suas opiniões se alinhavam.

Emília: Estou tão feliz, que você concorda comigo. Eu estava me perguntando o que eu faria se você se opusesse às propostas assim como Roswall e Ram sempre o fazem.

Subaru: Eu talvez desconcorde dependendo dos detalhes, mas no geral, eu estou cem porcento te apoiando, você sabia? E mesmo que eu desconcorde contigo, isso será sempre por causa do meu amor por você, eu espero que você possa acreditar em mim.

Emília: Amor… — Subaru, você sabe meeeeesmo como encontrar uma oportunidade para cortejo.

A irresposável frase clichê de subaru pegou Emília por surpresa, e ela rapidamente virou seu rosto. As bochechas de Subaru estavam corando um pouco também enquanto ele fechava seus punhos, enquanto Emília, ainda recusando-se à olhar para ele, disse,

Emília: Então, eu tenho uma proposta para você, Subaru, já que você está sempre do meu lado.

Subaru: Beleza, vamos ouví-la então, qualquer coisa que você queira.

Subaru colocou uma mão em seu peito em respeitosa subserviência. Olhando para isso, Emília fechou um de seus olhos dizendo “Desde que você o pediu tão educadamente”, franzindo os lábios e olhando para ele.

Então, tomando um momento para soltar um longo respiro, Emília encarou diretamente às pupilas negras de Subaru.

Emília: Há coisas das quais precisamos conversar sobre com Roswall, e nós também temos que saber o que aconteceu com os aldeões. Certo? Por isso que, eu quero ir para o “Santuário”.

Subaru: Santuário?

Era o nome de um lugar que ele escutou inúmeras vezes dentro da mansão Roswall. Subaru infelizmente nunca teve a oportunidade de descobrir onde era, mas os evacuados guidos pela Ram tinham ido lá para evitar que os Seguidores da Bruxa. Pelo menos agora que os seguidores da bruxa guidos por Betelgeuse haviam sido aniquilados, o level de ameaça no “Santuário” deveria ser não mais do que era na mansão.

Emília: Eu fui dita que é um lugar que eu preciso visitar algum dia de qualquer forma, assim eu pensei que não há melhor hora para fazê-lo.

Subaru: E, es, espe, espera aí um segundo! Você não está pensando em me deixar para trás, está?

Emília: Eh?

Segurando suas mãos em frente á ele mesmo em frente às palavras entusiásticas de Emília. Subaru colocou um amortecedor em sua decisiva declaração.

Subaru: Emilia-tan, eu sei que você está ficando animada, e eu estou completamente de acordo, mas você não pode simplesmente me deixar para trás. Eu sei que sou fraco e idiota, eu sei que é egoísta, mas por favor entenda?!

Escutando às ardentes e impecáveis palavras de Subaru, os olhos de Emília se arregalaram.

Mas eles eram os seus mais sinceros pensamentos. Se Subaru não estivesse com ela, ele não poderia proteger ela. Ele não poderia fazer nada por ela. Não havia nenhuma pretensão para com os seus sentimentos. Isso não tinha nada a ver com ele querer algo em troco, era simplesmente o que ele queria fazer.

A expressão de Emília ainda mostrava seu espanto à força das palavras de Subaru. Decidindo isso agora era o melhor momento para tirar ela de equilíbrio, então ele continuou.

 

Subaru: Não adianta de nada você tentar me impedir. Eu estou indo com você. Eu não tenho quaisquer intenções de ser deixado para trás. Seja lá esse “Santuário” ou Roswall que vamos enfrentar, nada vai estar no caminho entre o meu ardente amor por—

Emília: Claro que não tem como eu deixar você para trás. Venha comigo.

Subaru: Eu não quero ser deixado para trás, não não não NÃO! — espera, o que foi que você disse?

Subaru ainda na metade do caminho baixo ao chão, e pronto para começar a rastejar e implorar, perguntou à Emília.

Vendo sua exibição, Emília colocou uma mão sobre seus lábios, e seu rosto avermelhava-se levemente.

Emília: Assim como eu disse, venha comigo. Eu estaria ansiada demais se fosse somente eu.

Subaru: Eh, Emília-tan… …

Emília: Subaru, eu estou contando com você. Eu não acho que você seja fraco, ou idiota. Eu, preciso do seu suporte, sua força.

Subaru: — — —

O impacto que aquelas palavras tiveram em Subaru foram além de quaisquer descrição. Impressivamente boquiaberto, o rosto de Emília nublo-se com incerteza para com a quietude dele. Ela levantando sua mão, tal como indecisa sobre se o tocava ou não,

Emília: Ah, uhm, qu, qual é o problema, Subaru? Eu disse algo estranho novamente?

Subaru: O interruptor para a minha motivação está em suas mãos. Se ele está ligado ou não, depende de somente uma palavra sua. Eu não aguento mais.

Cobrindo seu rosto com suas mãos, Subaru respondeu brincando para Emília. “Eh? Eh?? O que vc quer dizer?”, incapaz de ler a intenção por trás das palavras de Subaru, Emília procurava por uma resposta. Vendo ela tão confusa, ele quase que queria esfregar isso na cara dela. Até porque Subaru deu seu jeito através das mãos dela, ele vai aproveitar cada pedacinho disso.

Frederica: — Isso soa como que entraram em um acordo.

Subaru: Gyaa—!?

 

Sua conversa, o que deve ter parecido como duas pessoas cortejando, foi tragicamente interrompida pelo bater na porta que precedeu a entrada de Frederica.

Emília não estava surpresa pela sua chegada, mas Subaru, tentando avidamente esconder o batimento de seu coração, não podia fazer nada além de encarar ela. Mesmo que Frederica tenha visto através de seus sentimentos, nem sequer o mínimo sinal disso aparecia em sua aparente calma, mas ainda perversa expressão.

Frederica: Eu não tenho quaisquer oposições sobre ambos irem para o “Santuário”. No entanto, preparações vão tomar tanto quanto dois dias.

Subaru: Por preparações, isso significa que você está vindo conosco?

Frederica: De maneira nenhuma. Sendo que ainda tenho afazeres devidos, eu estarei incapaz de ir convosco. Eu vou invés disso, dar-las-ei direções para o “Santuário” ao dragão-terra que trouxeram em sua companhia.

 

Subaru: Você está falando da Patrasche

Subaru arregalou seus olhos à inesperada proposta. A resposta dele recebeu um “Oras, exatamente”, de Frederica, que continuou tal como se fosse óbvio.

Frederica: Dragões terra são criaturas muito inteligentes. Se você os instruir apropriadamente, eles podem entender quais ruas a tomar bem o suficiente que um guia é desnecessário. Desde que ela parece ser especialmente inteligente, eu não acho que vá haver quaisquer problemas.

Subaru: Patrasche, você só continua se tornando cada vez mais e mais valiosa! Sério, o que será que foi que engatilhou esse série de eventos?

Frederica: Mais importante há várias coisas das quais tenho que discutir com vocês dois.

Subaru inclinou sua cabeça tentando entender sua sua companheira, mas Frederica ignorou sua pergunta, endireitando seu musculoso corpo, ela olhou para ambos eles,

Frederica: Se vocês estão indo em direção ao “Santuário” … …, uma vez lá, há várias coisas das quais são necessárias que vocês se lembrem. Especificamente Emília, eu gostaria que você seja cuidadosa com o problema de seu nascimento e sua aparência.

Emília: ——Sim, Eu já preparei a mim mesma, Afinal de contas, eu escutei que é um lugar com alguns problemas complicados.

Aos terríveis alertas de Frederica, Emília apertou sua mandíbula, o olhar de seus olhos carregavam a sua força de sua vontade. Para mostrar que ele respeitava a sua decisão, Subaru se moveu para ficar ao lado dela.

Subaru: Honestamente, eu não de sana sobre aquele lugar exceto de que é chamado o “O Santuário” … mas meu supremo objetivo é auxiliar Emília-tan. Então eu vou escutar tudo o que você têm a dizer.

Federica: Na verdade, eu sinto um refrescante puro, motivos alheios aqui.

Exasperação e admiração passaram através dos olhos de Frederica ao mesmo tempo, então, piscando uma vez, ela puxou abaixo seu sentimento, e ergueu um dedo.

 

Frederica: Nesse caso, permitam-me contar-lhes sobre o “O Santuário”. Mas antes disso, tem uma coisa da qual preciso que vocês se lembrem.

Subaru: Você precisa que…

Frederica: Nos lembremos?

As cabeças de Subaru e Emília inclinaram ao mesmo tempo. Olhando isso, Frederica acenou com um [Sim], baixando sua voz lentamente.

 

Frederica: ——Tenham cuidado com alguém chamado Garfiel. Dentro do Santuário, vocês dois precisam ser bem cuidadosos, ao encontrar com aquele homem.

Re:Zero - Arco 4 Capítulo 3
Re:Zero - Arco 4 Capítulo 5