Reborn: Evolving From Nothing – Capítulo 69

2337
Reborn: Evolving From Nothing - Capítulo 68
Reborn: Evolving From Nothing - Capítulo 70

? Ative o Modo Noturno ?


Tradução: Denn | Revisão: The Careca


Veritas

Dorian foi recebido por uma parede branca.

Neve branca brilhante, chicoteava nos ventos ferozes, rasgou-o e congelou tudo perto dele. Ar frio amargamente o cortou, fazendo-o tremer mesmo em sua forma Ifrit. Sua respiração congelou no momento em que saiu de sua boca, transformando-se não apenas em névoa branca, mas diretamente em gelo.

KEEEEEEEE

A nevasca ecoou com um gemido estranho e irritante, constantemente tocando ao fundo.

Ele sorriu, aproveitando a experiência única, mesmo em seu desconforto.

Internamente, Dorian alimentou a energia latente do fogo e energia vital em suas veias. As pequenas chamas que queimavam permanentemente nos cotovelos, pernas e cabeça ficaram mais ferozes, forçando uma corrente de calor ao redor dele.

“Mostre meu status.”

¤¤¤

Dorian – Alma

Estágio da Alma: Classe Lorde (Baixo)

Saúde: Perfeito

Energia: 10.540 / 10.580 (drenagem de 0,03% por minuto)

¤¤¤

“Oh?”

Ele sorriu, notando que seu nível máximo de energia aumentara como resultado da constante prática de magia que ele estava passando. O aumento foi bastante pequeno, mas mostrou como o treinamento constante poderia aumentar sua força e o poder de sua Matriz de Feitiços da Alma. Uma vez que ele começasse a praticar magias mais fortes, o aumento seria sem dúvida maior.

Manter-se aquecido estava drenando cerca de 3 pontos de energia por minuto. Não era uma grande quantidade louca, mas um dreno notável. Ele levantou a prioridade de obter uma forma que se adaptasse ao frio um pouco mais rápido.

Dorian começou a correr. Ele ainda estava na Ponte Mundial. No entanto, ele havia passado pelo portal de abertura que ligava a Ponte Mundial ao planeta do imenso túnel espacial. O frio intenso aqui, quando ele foi exposto diretamente ao clima do planeta, foi feroz.

A Ponte Mundial ficou mais estreita e estreita à medida que se aproximava da superfície, milhares de anos de condições meteorológicas extremas a desgastara. Dizia-se que o centro de uma Ponte Mundial era incrivelmente denso e impossível de atravessar, mas as bordas externas ainda poderiam sofrer danos. Passou de dezenas de milhas de largura para apenas algumas milhas, para apenas mil metros (0,6 milhas).

A visibilidade era reduzida a quase nada. Ele mal podia ver 10 metros na frente dele, mesmo com sua visão poderosa. As florestas que cobriam a Ponte Mundial não eram vistas, há muito tempo sido apagadas. Tudo o que restava era pedra estéril, marcada e desgastada.

Ele apertou os olhos enquanto corria para frente, repassando as informações que ele tinha memorizado.

A Ponte Mundial de Taprisha para Blizzaria descia diretamente para o Sistemas de Cavernas Subterrâneas. A parte da ponte em que Dorian estava foi exposta ao clima perigoso da superfície.

A ponte em si realmente se moveu para a enorme caverna. Esta foi, em parte, a razão pela qual as equipes de Taprisha procurariam o sistema de cavernas por seus tesouros raros.

Contanto que você permanecesse na Ponte Mundial e fosse direto para frente, acabaria no sistema de cavernas e evitaria a superfície perigosa. Gravidade e outras funções funcionavam de maneira estranha em todo o mundo. Isso funcionava como um escudo um pouco eficaz contra o clima perigoso de Blizzaria.

Tempestades espaciais eram uma visão relativamente comum na superfície de Blizzaria, ao lado de tempestades onde a temperatura poderia cair muito abaixo de zero, a níveis perigosamente baixos.

Mesmo agora, enquanto Dorian avançava, ele podia sentir o ar ficando cada vez mais frio.

Logo ele estava drenando 4 pontos de energia por minuto. Este subiu para 5, e depois continuou aumentando até 10 quanto mais perto ele chegava da superfície, e menos a gravidade e fenômenos únicos da Ponte Mundial entraram em vigor.

Dorian sentiu que seus movimentos pareciam crescer um pouco mais devagar. O próprio mundo parecia ter desacelerado até certo ponto, devido ao clima misterioso que atualmente estava acontecendo ao seu redor.

“Você está atualmente preso em uma tempestade de campo distorcida. Recomendação: Deixe o campo distorcido.”

Ausra enviou-lhe uma notificação.

Dorian grunhiu e revirou os olhos. Se ele pudesse deixar o Campo Distorcido assim, ele o faria.

Ele leu sobre isso em sua pesquisa. Um Campo Distorcido era uma área onde funções como gravidade, tempo e temperatura mudavam, operando de maneira estranha. Em Blizzaria, isso significava que o tempo literalmente se movia mais devagar ou mais rápido, enquanto as temperaturas despencariam.

Mesmo na Ponte Mundial, ele ainda estava sendo afetado.

Alguns minutos se passaram enquanto Dorian continuava correndo, suportando o impacto da tempestade. Ele manteve seu estado de espírito estável, mantendo a calma.

Gradualmente, assim como os efeitos da tempestade estavam piorando, a luz ao redor de Dorian mudou.

A neve cegante e branca que constantemente o assediava começou a diminuir, substituída por uma luz fraca, mas ainda branca. A neve constante começou a cair, o ruído de fundo foi desaparecendo.

Sua visão gradualmente esclareceu. Quando ficou claro, ele quase pulou para trás, surpreso quando ele olhou para o que estava na frente dele.

A boca aberta de um enorme dragão gigantesco.

Dorian piscou, seu coração parando por um segundo antes de reconhecer o que era.

Não era um dragão real, mas simplesmente uma escultura de um. Uma escultura feita em grande escala.

Tudo o que ele podia ver da estátua era sua boca enorme, seus olhos dominadores e uma porção de seus ombros. Somente a boca aberta se estendia a quase mil metros de altura, assentada em um chão de pedra rochoso e amplo, coberto de gelo.

A estátua inteira parecia estar enterrada quase inteiramente no chão, mas afundada em um tipo de depressão, protegendo-a do impacto do clima acima dele.

O caminho da Ponte Mundial acabava a cerca de cem metros de distância dessa escultura de dragão.

Dorian chegou à base da Ponte Mundial e saltou, uma ligeira sensação de desorientação caiu sobre ele enquanto a gravidade se deslocava para o centro do planeta, em vez da Ponte Mundial.

Ele leu sobre isso. Esta era a entrada para o Sistema de Cavernas Subterrâneas nesta área.

A boca do dragão, era uma escultura gigantesca criada pela Raça Grakon, por razões desconhecidas.

Ele precisava entrar e pegar uma longa passagem subterrânea a mais de cento e cinquenta quilômetros para as ruínas da cidade Icicar. De lá, havia várias rotas possíveis que ele poderia seguir para levá-lo às ruínas subterrâneas da Cidade Montanha do Dragão.

A Ponte Mundial para Paxital era encontrada não muito longe daquelas ruínas.

Ele acenou com a cabeça com determinação e correu para frente, seus olhos inabaláveis.

Sem que ele soubesse, enquanto se movia pela entrada da enorme caverna, muito acima dele, uma enorme criatura de 3 metros de altura se virou para olhá-lo.

Coberto de placas de metal preto que pareciam se assemelhar a escamas, o humanoide de aparência estranha tinha uma aparência semelhante aos Minotauros da Terra, com a cabeça de um touro, um conjunto humanoide de braços e peito e pernas como a de um cavalo. Uma aura mortal pairava em torno dele enquanto a cabeça seguia Dorian, de pé no interior do gigante dragão.

Ele empunhava uma enorme espada de aparência antiga em suas costas, uma arma que era facilmente tão alta quanto Dorian em sua forma Ifrit.

Enquanto Dorian corria, indo mais fundo na caverna, o Grakon bufou, seus olhos atemporais brilhando quando começou a pular.

¤¤¤

“Bem, Probus, é isso.”

“Estou finalmente morrendo.”

A voz de Trajano estava cheia de desespero quando ele se deitou no chão, com os olhos fechados. Um pequeno campo de flores azuis se espalhava ao redor dele, no centro de um grande campo aberto.

“Um final trágico.”

Probus retornou, seu corpo encostado em uma pequena rocha, a única pedra neste campo. Sua espada estava no chão ao lado dele, também apoiada na rocha. Sua voz estava calma.

“Está tudo acabado para mim.”

Trajano disse, soltando um suspiro ofegante.

“Vou levar sua história adiante mil gerações.”

Probus respondeu, completamente sério.

“Diga a minha esposa e filhos que eu os amo.”

“Você não tem esposa e filhos.”

“Tudo bem, então diga a minha família.”

“Sua família não te renegou?”

“Diga aos meus colegas ambientalistas.”

“Que colegas ambientalistas? Você é o único de quem eu já ouvi falar.”

“E as pessoas se perguntam por que nossos mundos caíram em tão mau estado…”

Trajano murmurou, sua voz lentamente desapareceu quando ele balançou a cabeça.

Além do pequeno campo aberto de flores azuis, milhares de cadáveres podiam ser vistos, espalhando-se pelo chão. Todas as planícies cobertas de grama, em um grande círculo de mil metros de largura, estavam cobertas de sangue negro e essência, guerreiros mortos, magos e assassinos por todo o chão.

Enormes e profundos cortes podiam ser vistos, terra despedaçada pelo assalto de poderosos golpes em vários lugares. No alto, lá em cima, várias grandes nuvens de chuva podiam ser vistas, desaparecendo lentamente.

A cena de uma batalha que terminou recentemente.

O silêncio reinou por um breve momento.

“É melhor nos prepararmos. O maldito Rei Sombra está destinado a enviar mais alguns peões.”

Probus foi o único a falar, desta vez, sua voz era fria.

“Sem dúvida.”

Trajano respondeu, não se moveu do seu poleiro no chão.

“Este é o terceiro ataque que sofremos.”

Ele balançou a cabeça enquanto continuava.

“Recebi uma mensagem da nossa favorita Mestre Espiã ruiva que disse que havia quatro outros ataques. Os Sombras finalmente começaram a testar nossas defesas novamente em massa.”

Ele suspirou.

“Por quê? Quem se importa se eles controlam um mundo, ou nós que controlamos?”

O corpo de Trajano começou a tremer quando ele se levantou, se espreguiçando.

Probus encolheu os ombros.

“A ambição é a maldição e bênção de grandes homens, sejam eles Vampiro ou Sombra, Aeth ou Humano, Dragão ou Fera.”

Ele enfiou a lâmina nas costas enquanto terminava de falar, no entanto, seus olhos se tornando alertas.

Trajano se virou, olhando para a distância.

O campo em que eles estavam em pé tinha um nome especial. O Campo de Moria.

Era uma área especial ao lado da Ponte Mundial para Plumadone, um mundo controlado pela Família Aurélius.

O Campo de Moria era único, pois qualquer um que entrasse no alcance das pequenas flores azuis que o enfeitavam, ganharia uma misteriosa habilidade de estar ciente de seu entorno, para qualquer coisa dentro de 20 milhas.

Os magos já haviam debatido como isso acontecia, tanto vampiros quanto outras raças, mas o campo era considerado uma zona especial, e sua habilidade única era usada como ponto de observação.

Ninguém poderia passar para a Ponte Mundial para Plumadone sem passar pela consciência de todos no Campo de Moria.

Probus e Trajano foram designados para atuar como uma vanguarda aqui, com vários dos outros membros dos Reavers espalhados em outros mundos, formando um escudo protetor.

A Família Aurélius preferiu usar elites poderosas para defender suas terras, aniquilando todos os atacantes. Probus e Trajano, em particular, estavam acostumados a trabalhar sozinhos.

Apesar de sua preferência, o Lorde Supremos Marcus tinha arranjado à força várias grandes tropas de suas forças, milhares de Magos e Guerreiros da Classe Grande Mestre, para ficarem defensivamente na Ponte Mundial.

Vampiros eram uma das principais raças nos 30.000 mundos por um bom motivo. Através do crescimento natural e treinamento, qualquer Vampiro poderia alcançar a Classe Grande Mestre, com pouquíssimas exceções. Isso deu-lhes uma enorme vantagem, em termos de físico e poder.

Para a raça humana, apenas especialistas de elite podiam alcançar a Classe Mestre e passar para a Classe Grande Mestre. Além disso, apenas um em cem humanos poderia se tornar um Mago.

Para os Vampiros, todos os membros da raça tinham o potencial natural de alcançar a Classe Grande Mestre, simplesmente permanecendo vivos.

Com isso dito, para atingir um ciclo de crescimento completo, um vampiro precisaria crescer centenas e centenas de anos, às vezes até milhares se não treinassem. Vampiros não eram imortais, e acidentes ou doenças podiam superar até os maiores poderes regenerativos.

Vampiros que treinavam, em artes marciais místicas ou em magia, seriam muito, muito mais fortes do que aqueles que não treinavam. Ainda assim, um vampiro médio superava em muito o humano médio em poder físico e habilidade.

A maior vantagem que os humanos tinham era sua engenhosidade, sua recusa em desistir e seus vastos números. Não havia raça em existência, além de algumas raças de pequenos insetos ou peixes, que superavam em número a raça humana. Uma única geração de vampiros poderia abranger quinhentos anos, uma época em que mais de quinze gerações humanas poderiam seguir.

Sombras estavam mais próximas dos humanos do que vampiros a esse respeito. Seu crescimento natural limitava-os à Classe Céu, na melhor das hipóteses. Eles se reproduziram rapidamente e tiveram uma expectativa de vida relativamente curta, comparados aos vampiros, a maioria vivendo apenas por 200-300 anos.

Em combate, no entanto, eles eram ferozes, e sua poderosa aptidão para a magia de quase todos os tipos, especialmente Magias das Trevas e Escuridão, fez deles um inimigo perigoso.

“O que você acha que é desta vez? Outro exército de reconhecimento?”

A voz de Trajano estava calma. Eles já haviam lidado com milhares de inimigos atacantes, todos sem suar a camisa ou confiar em seus próprios homens na Ponte Mundial.

A maioria de seus oponentes estavam na Classe Céu ou na Classe Mestre, decentemente poderosa para um Sombra, mas comparada à sua força de classe Pseudo-Rei… eles não eram nada de especial.

“Talvez. O Rei Sombra parece se importar pouco com a vida de seus homens. É bastante desagradável.”

Probus respondeu, com a mão apoiada no punho da lâmina.

Cem metros à frente deles, um portal branco brilhante apareceu, brilhando no campo. Um portal de transporte padrão, criado através do uso da Magia Espacial.

Os olhos de Trajano se apertaram. Ele fez um movimento com a mão, lançando uma pequena magia para alertar os soldados na Ponte Mundial. Se necessário, ele e Probus poderiam bater em retirada apressada em segundos.

Não havia vampiros da Classe Lorde entre suas forças, mas mais de 2.000 Magos de Classe Grande Mestre e ainda mais guerreiros. Muitos deles se formaram em grandes grupos, trabalhando em perfeita união ao longo de centenas de anos de treinamento.

O portal brilhou mais uma vez e depois desapareceu, revelando a silhueta de um único ser.

Uma mulher encapuzada, flutuando meio metro acima do solo. Seus olhos brilhavam de uma leve cor branca, e uma aura quase sagrada parecia envolvê-la. Em vez de um par de pernas regulares, sua metade inferior era insubstancial, composta de nuvens brilhantes de luz cinzenta, com alguns pequenos fios ondulantes de fumaça flutuando para lá e para cá.

Na mão direita da mulher, ela usava uma longa espada que parecia forjada a partir de luz derretida, enquanto sua mão esquerda estava envolta em fogo espiritual branco e vermelho.

Seu rosto parecia ser humano, exibindo uma aparência calma e bonita.

Os olhos de Trajano se arregalaram quando ele olhou para a mulher estranha, perplexo. Probus apenas grunhiu, apertando a mão no cabo da lâmina.

A mulher falou.

“Alegrem-se, mortais, porque eu vim para espalhar a verdade.”

Sua voz era efêmera, contendo um poder misterioso, enquanto ela continuava.

“A verdade prevalecerá. Justiça prevalecerá. Aqueles na Luz devem viver para sempre.”

Suas palavras se propagaram, cheias de calor e carinho, dando a impressão de que ela estava realmente preocupada com elas.

Os olhos de Trajano se estreitaram quando ele respondeu:

“Sinto muito, nós estamos realmente cheios de verdade aqui. Verdade sobre poluição, ecossistemas moribundos, lixo descuidado. Você terá que voltar mais tarde.”

Ele acenou com a mão com desdém.

“Sim, Plumadone está fechado agora.”

Probus acrescentou com sua voz cheia de ferro.

Trajano assentiu e deu de ombros, desculpando-se, estendendo os braços como se não pudesse ser ajudado.

A mulher flutuante simplesmente deu um pequeno sorriso, seus olhos brilhavam, enquanto ela gentilmente respondia:

“Você está mentindo.”

“Você não pode mentir para mim.”

“Eu sou Veritas. E hoje você aprenderá a verdade.”

Ela sorriu um pouco mais, o olhar gentil em seus olhos ficando mais intenso.

“Pois somente na Verdade você pode encontrar perfeição.”

[Denn – Olha só, mais uma Anomalia, e pela imagem essa é bem maneira]

[Careca – eita porra é verdade essa verdade!]

[Não esqueçam de comentar e recomendar]

[Não esqueçam de se INSCREVER NO CANAL e acompanhar nossos vídeos]

Ei, você gosta desta novel? Acha que tem pontos a se melhorar? Ou acha que o autor já conseguiu expor toda sua experiência com esta obra? Diz pra gente lá no novo site da Central Novels!

Reborn: Evolving From Nothing - Capítulo 68
Reborn: Evolving From Nothing - Capítulo 70
COMPARTILHAR
Leitor inveterado Veterano na fundação da internet: "na minha época, isso tudo aqui era mato" Traduz, revisa, erra, conserta e ri.