Reborn: Evolving From Nothing – Capítulo 63

2626
Reborn: Evolving From Nothing - Capítulo 62
Reborn: Evolving From Nothing - Capítulo 64

? Ative o Modo Noturno ?


Tradução: Denn | Revisão: The Careca


Algo Vai Bem

¤¤¤

Dorian – Alma

Estágio da Alma: Classe Lorde (Baixa)

Saúde: Boa (passando por reparos genéticos)

Energia: 4.723 / 10.565

¤¤¤

Dorian sorriu satisfeito, enquanto olhava para o seu status.

Ele recuperou quase metade de sua força total. De fato, sua força atual agora já excedia a de sua forma anterior, seu Demônio do Trono Menor.

Demônios do Trono Menor podem ser considerados um irmão próximo da raça Ifrit.

A Raça Demoníaca era uma raça antiga, cheia de uma infinidade de criaturas demoníacas relacionadas. Todos os demônios eram direcionados para um elemento ou outro.

A Raça Ifrit era parte da antiga Raça Demoníaca original, uma raça que surgiu há muito tempo, sua origem era desconhecida. A Raça Demoníaca só tinha caído entrado extinção há relativamente pouco tempo, várias centenas de anos atrás.

Demônios do Trono Menor, diferentemente de Ifrits, eram uma raça criada, formada através da experimentação com as linhagens de outras criaturas, notavelmente dragões. Eles eram naturalmente mais fracos.

Dorian sacudiu os pensamentos de sua mente enquanto se concentrava nas tarefas em mãos.

Ele estava sentado em seu quarto na pousada. O dono da Pousada, um mestre espadachim aposentado chamado Genjio, era um membro da Família Aurélius. Helena havia adquirido quartos para ele e seu esquadrão, de graça.

Espalhada no tapete na frente dele havia uma coleção de papel.

Ele reunira todas as informações possíveis sobre a rota planejada.

Ele havia reconsiderado brevemente a rota que o levava através da sede da Família Aurélius antes de jogá-la de lado. A segurança nas Pontes Mundiais ao longo daquela rota seria tediosa demais e, em geral, seria muito perigoso.

Ele decidiu manter seu plano original.

Seu próximo destino era Blizzaria. Também conhecido como o mundo onde os mortos caminharam.

Ele tinha um nome brega, parecendo muito com um filme de terror da Terra. Ainda assim, Dorian tratou-o completamente a sério, aprendendo o que ele estava enfrentando.

Segundo sua pesquisa, Blizzaria era o lar de duas civilizações separadas. Uma era a raça quase extinta conhecida como Gigantes, enquanto a outra era a extinta raça dos Grakons.

Gigantes, como o nome implicava, eram seres gigantescos. Alguns deles tinham aparências parecidas com os humanos, outros eram aparições com enormes chifres curvados ou enormes e volumosos braços. Uma grande variedade de formas combinadas dentro da raça gigante.

A única semelhança deles, no entanto, era o tamanho maciço e massivo deles. Até o menor Gigante tinha 10 metros de altura. Os Gigantes mais altos podiam alcançar alturas registradas de quase 100 metros de altura, imponentes monstros que não temiam nada.

Grakons, por outro lado, eram de tamanho muito mais normal, cerca de um metro mais alto que um ser humano normal. Eles pareciam semelhantes aos míticos Minotauros das lendas da Terra, exceto que em vez de cobertos de pelo, eles estavam cobertos de escamas negras escuras. Eles tinham uma habilidade sobrenatural conhecida como Expandir.

Sua Capacidade de Expansão, a única raça de criaturas conhecidas por tê-la, permitia que aumentassem enormemente seu tamanho e força por curtos períodos de tempo.

As antigas raças foram inimigas amargas e piores rivais por milhares de anos.

A história exata de como essas duas civilizações morreram foi perdida na história.

Tudo o que se sabia, agora, era que os membros mortos de ambas as raças andavam pelas terras nevadas de Blizzaria, amaldiçoados a viver sua existência como construções insensíveis.

Como eles chegaram lá, andando como mortos, também era um mistério.

Depois que ele aprendeu tudo isso, Dorian mais uma vez reconsiderou seriamente sua rota.

Os fantasmas dos mortos que assombravam este Mundo Exótico variavam de poderosos a fracos. Até mesmo mortos-vivos de Classe Rei poderiam ser encontrados ali.

Nem a Autarquia de Borrel, a Sombra de Comuna, nem a Família Aurélius ou todas as potências próximas, queriam lidar com o planeta, e isso foi deixado para as florestas e o tempo cuidar.

Depois de algum tempo, entretanto, ele sacudiu a cabeça, determinado.

Helena estava bem clara e aberta com ele. Não havia chance real de que o líder da Família Aurélius permitisse que ele andasse livre, não depois de seus irmãos já terem matado incontáveis ​​inocentes.

Além disso, embora ele quisesse confiar em Helena e genuinamente acreditasse em suas boas intenções, ele não tinha ilusões sobre a realidade deste mundo. A mulher guerreira era bem-humorada e gentil, mas havia pouca chance de que o líder de tal poder maciço refletisse a mesma natureza, na opinião de Dorian.

Era possível… mas era um risco que ele não queria correr.

Dito isso, sua única outra opção viável também era um risco perigoso. Viajar através de um mundo assombrado cheio de mortos-vivos poderosos… não era exatamente uma situação ideal.

Ele suspirou. Tudo isso era incrivelmente estressante.

Seu estômago roncou quando ele estava no meio do pensamento, distraindo-o. Ele olhou para baixo e então sorriu, deixando de lado o estresse.

Ele tinha tempo. Ele poderia gastar um dia para pensar sobre isso.

Com isso em mente, ele se levantou, guardando todos os papéis em seu Anel Espacial. Ele se virou e saiu do quarto, e então desceu as escadas para sair da estalagem, indo para algum lugar para comer.

¤¤¤

Em um mundo congelado longe…

Gerulf Aldric gemeu quando se mexeu, a dor lentamente o forçando a acordar. Ele piscou os olhos turvos enquanto o mundo ao redor dele entrava em foco.

Uma grande e extensa caverna de pedra se espalhava ao redor dele, cheia de pingentes de gelo e brilhantes pedaços de cristal branco. A caverna era alta, o teto da caverna se estendia por pelo menos cem metros. Era uma enorme câmara subterrânea, que tinha várias entradas e saídas grandes.

Apesar de seu tamanho, a sala estava quase vazia. Somente estalactites, pingentes de gelo e cristais brilhantes o decoravam.

A temperatura estava fria, mas não o tempo brutalmente frio da superfície.

Gerulf estremeceu ao se forçar a ficar de pé, sentindo sua condição. Ele foi ferido, seu corpo estava coberto de várias grandes queimaduras. Sua perna direita estava quebrada e parecia que ele tinha esticado o braço esquerdo.

Ele retirou uma Pílula de Luz de Classe Grande Mestre de um de seus anéis espaciais, engolindo sem hesitação. Ele suspirou quando sentiu a infinita e confortável magia de cura inundá-lo, seus ferimentos e feridas começando a se recuperar.

Suas memórias gradualmente começaram a voltar para ele.

Eles haviam cruzado a superfície, seguindo um mapa para chegar a um dos três principais sistemas de cavernas. Viajar na superfície por longos períodos era suicídio e, portanto, eles só podiam caçar seu alvo nas cavernas. Eles estavam seguindo a maldita raposa em um ritmo relativamente decente, mas ainda tinham que encontrá-la.

Quando eles estavam quase terminando de cruzar, eles encontraram uma criatura.

Ele gemeu quando se lembrou disso.

Um enorme e poderoso dragão coberto de chamas laranja brilhantes. Sua força pura e presença eram esmagadoras. Era uma poderosa besta de Classe Rei, bem mais forte que eles.

Se tivesse sido apenas isso, eles poderiam ter lidado. Sua equipe do Axios havia lutado e vencido contra as feras de Classe Rei antes.

O que enfureceu foi a sua incrível sorte e sua irritante inteligência.

O dragão, por algum motivo, começou a rimar para eles.

Assim que o viram, eles lançaram várias magias defensivas, de desaceleração e de ataque, na esperança de desacelerar o dragão antes que ele ganhasse vantagem.

Infelizmente, todas as magias que eles lançaram no dragão falharam miraculosamente. Nem uma única magia conseguiu acertar.

E não foi por falta de tentativa. Até Gerulf havia lançado uma de suas próprias magias Perfurantes, a sua Lança de Dez Milhas.

No entanto, de alguma forma, seu ataque errou.

Deveria ter sido impossível. Como poderia um ataque se mover em linha reta errar um alvo que estava parado?

O dragão gigantesco não lançou nenhuma magia ou usou habilidades para bloquear os ataques.

Eles apenas… erraram. Por pura sorte.

Foi enfurecedor.

E então rimou para eles novamente.

E então jogou um enorme meteoro de chamas neles. ?

“Arrrgh!”

Ele agarrou a cabeça, sentindo uma enorme dor de cabeça chegando. A magia de cura da Pílula de Luz se apossou para afastá-lo.

“Quem ainda está conosco?”

A voz de Siegfried soou à distância, ecoando.

“Estou aqui!”

Gerulf berrou se sacudindo. Sangue seco, pele queimada e gelo saíam dele.

“Jasper está aqui!”

“Mika aqui!”

“Estou aqui!”

Um dilúvio de vozes soou quando os vários membros da equipe do Axios chegaram.

Gerulf viu todos eles começando a se reunir no centro da sala e caminhou na direção deles, mancando um pouco. A magia de cura ainda estava fazendo o seu trabalho.

Eles conseguiram escapar com uma fuga rápida do dragão gigante, fugindo em direção a uma das entradas do Sistema de Cavernas do Norte. Parecia que tinham conseguido, mas não antes de lançar mais um de seus enormes ataques, ferindo a maioria deles.

“Três, quatro, cinco, seis…”

Siegfried contou os membros lá, e então suspirou.

“Parece que perdemos Parmon, Pavil e Gora.”

Um pequeno momento de silêncio se formou. Os membros do Axios eram todos lutadores da Igreja que sabiam que a morte era uma companhia constante. Eles operavam sob condições perigosas executando as missões mais perigosas que a igreja tinha.

Ainda assim, perder três companheiros tão abruptamente… Gerulf enviou uma oração silenciosa, abençoando suas almas para viver no paraíso da Luz. Ele não estava particularmente perto de nenhum dos caídos. Na verdade, o único mago com quem ele estava próximo era Siegfried.

Ele tinha perdido muitos amigos por estar perto deles para se permitir aceitar tão facilmente nos dias de hoje.

Gerulf olhou em volta. Havia apenas seis deles. Cada um deles usava um conjunto de peles de couro branco, a pele de um Touro de Inverno Branco, um tipo de animal conhecido pela sua retenção de calor, bem como pele defensiva resistente. Eles estavam em duas mulheres e quatro homens Sombras, se ele contasse a si mesmo.

A maioria deles estava envolta em peles brancas ou lenços, escondendo suas aparências. O frio de Blizzaria era infernal, mesmo para eles. Vários deles ficaram feridos, alguns em pior situação que Gerulf. Nenhum deles parecia ter sido aleijado, felizmente, e com a poderosa Magia de Cura que eles tinham na forma das Pílulas de Luz da Igreja, todos eles conseguiriam se recuperar.

Foram apenas os três infelizes que não conseguiram evitar o impacto do fogo do Dragão que aparentemente havia os feito perecer.

O estranho ataque foi imbuído não só da Lei do Fogo, mas também da essência inerente do Fogo do Dragão. Ele tinha derretido através de sua barreira inata como se não existisse.

Siegfried, era um pequeno mago habilidoso em Magia de Aço, era o único Mago, além de Gerulf, que mantinha seu rosto descoberto. Ele tinha um rosto magro e pálido, com olhos verdes quentes e um nariz pequeno. Seu queixo fraco o fazia parecer fraco, mas como o único Mago de Classe Pseudo-Rei entre eles, ele era tudo menos fraco.

“Nós perdemos nossos buscadores.”

Mika, uma das mulheres Sombras falou. Ela era adepta da Magia da Luz, uma da Classe Lorde como Gerulf.

“Droga! Como vamos encontrar aquela assassina vad…”

“Olha a linguagem Jasper!”

Gerulf interrompeu o outro mago de luz do grupo, olhando para ele. Jasper revirou os olhos e acenou com as mãos em sinal de rendição, se desculpando.

“Só estou dizendo. Sem nossos buscadores, não temos chance real de encontrar a Raposa Usa-Luz.”

Ele começou, sua voz rouca.

“Tudo bem, tudo bem. Vamos pensar por um minuto.”

Siegfried começou acenando com as mãos para eles. Ele se envolveu em dois longos cobertores.

“Acho que nossa primeira prioridade é descansar e nos recuperar.”

Suas palavras carregavam um certo nível de autoridade. Como membro do ranking e líder de sua equipe do Axios, suas palavras eram lei.

Com isso dito, ele deitou no chão na frente deles, envolvendo a cabeça com um de seus cobertores.

E prontamente adormeceu.

“Ugh!”

Gerulf suspirou e cobriu o rosto com as mãos. Siegfried era um esperto e poderoso Mago, com uma boa cabeça para táticas. Se qualquer coisa, ele tinha apenas uma falha…

“Ele foi dormir de novo.”

“Esse tipo não é confiável…”

“O que fazemos agora?”

Um dilúvio de vozes foi expulsa quando os outros membros da equipe Axios reclamaram.

O Mago de Aço era famoso por seus hábitos estranhos.

“Tudo bem. Jasper você o carrega.”

Gerulf assumiu o comando. Uma vez que Siegfried foi dormir, acordá-lo era como tentar acordar os mortos.

Na verdade, Gerulf pensou, estreitando os olhos enquanto examinava os arredores. Até os mortos eram mais fáceis de acordar. Certamente havia bastante deles vagando por essas terras para provar isso.

“Vamos continuar andando. Já chamamos muita atenção aqui.”

Ele assumiu como ele costumava fazer, agitando o grupo junto.

“Nós sabemos onde a raposa está tentando chegar, então nem tudo está perdido. Vamos apenas nos dirigir diretamente para o Sistema de Cavernas Oeste, e para o Guarda Gelo, e cortá-lo lá.”

¤¤¤

“MMmm!”

Dorian bateu em seus lábios enquanto provava o pato assado, sua boca apreciou os sabores suculentos e quentes da carne. Ele abaixou uma fatia de pão amanteigado, saboreando o sabor enquanto comia sua refeição.

Ele encontrou outro restaurante para ir, este era bem conhecido por seu pato assado.

E Dorian descobriu que sua reputação era bem merecida. A comida foi tão deliciosa como foi anunciado para ser.

Era um restaurante tradicional, com várias mesas gastas, mas ornamentadas. Não era extremamente chique, mas não era um lugar decadente. Alguns grandes murais de ventos fortes e ondulantes cobriam as paredes, referindo-se às misteriosas tempestades de vento que ocasionalmente varriam o nível do solo de Taprisha.

Dorian ainda não havia experimentado, mas havia lido sobre eles. Ventos ferozes açoitando como espadas, rasgando qualquer coisa em seu caminho. Foi bom que as tempestades fossem muito raras.

Todas as mesas estavam ocupadas atualmente, a maioria por grandes grupos. Todos aqui pareciam ter um certo nível de riqueza, todos vestidos finamente. Dorian olhou para o roupão de couro marrom gasto, fornecido a ele por Helena. Ele se encaixava melhor em sua forma Ifrit que qualquer outra coisa, mas não era exatamente uma roupa legal.

Isso combinado com sua aparência um tanto estranha o fez se destacar um pouco. Não que ele particularmente se importasse.

Enquanto se mantinha distraído, ainda refletindo sobre suas decisões, ao fundo, ouviu vagamente um distúrbio.

“… eu não me importo! Estamos comendo aqui e vamos fazer nossos pedidos agora!”

Uma voz de jovem soou enquanto ele entrava na sala de jantar, acompanhado por vários outros homens bem vestidos e algumas garotas rindo. Todos tinham cabelos finos, usavam rendas finas ou roupas de seda e eram decorados com joias.

Um par de solenes feiticeiros de vestes negras seguiu atrás do orador, com uma expressão entediada no rosto. O orador era um jovem de 18 ou 19 anos, vestindo um conjunto de vestes douradas ornamentadas. Ele tinha cabelos castanhos curtos e finas características faciais que lhe davam uma aparência autoritária.

O tom de pele levemente acinzentado de todos os jovens homens e mulheres revelou que todos eles eram Vampiros Nobres.

“Por favor, nobre senhor! Todas as nossas mesas estão atualmente ocupadas, e já há uma espera de quinze minutos! Não temos nada disponível…”

Um homem corpulento entrou atrás deles. Ele era o homem encarregado da frente do restaurante, o mesmo homem que acompanhara Dorian. Ele usava um conjunto de calças brancas soltas e uma camisa cinza, com o nome do restaurante, o Restaurante Salgueiro do Vento, estampado nele.

“Bobagem. É sua honra ter minha presença a agraciar este estabelecimento.”

O jovem vampiro sorriu quando seus olhos examinaram o restaurante, olhando por cima de todos os outros mercadores finamente vestidos ou os magos. Muitos deles estavam olhando em desaprovação, que ele ignorou.

Seus olhos finalmente pousaram na mesa que Dorian estava comendo sozinho. Sua forma de Ifrit era pequena e pouco intimidante para aqueles que desconheciam a história das espécies extintas.

O jovem vampiro sorriu.

“Eu vejo um espaço aberto ali mesmo!”

O vampiro andou para frente, parando diretamente na frente de Dorian. Ele jogou um par de moedas de prata na mesa.

“Considere sua refeição paga por mim, o segundo filho do 5º Mestre do Palácio. Saia.”

Ele acenou com a mão para Dorian sair, voltando-se para olhar para o grupo de seguidores com um sorriso.

Dorian engoliu a carne que estava mastigando, piscando enquanto olhava para as moedas de prata e depois para o nobre arrogante diante dele.

Depois de todo esse tempo visitando restaurantes caros e aleatórios, na esperança de se deparar com uma situação de fantasia interessante como um assalto ou resgatar uma donzela em perigo, finalmente aconteceu.

Alguém finalmente tentou arrogantemente expulsá-lo e tomar o seu lugar.

Ele sentiu-se começar a chorar, olhando para o vampiro com gratidão.

Depois de todo esse estresse e preocupação tentando tomar uma decisão, parecia que pelo menos alguma coisa em seu dia tinha dado certo.

[Denn – O nome da raça dessa raposa é “Lightsworn” e ela tem a capacidade de usar a luz literalmente. A luz se torna palpável pra ela e ela pode usa-la da forma que quiser, seja para atacar, curar, defender, etc. Então Raposa Usa-Luz foi o mais coerente que achei como tradução, porém se obtiverem um nome melhor que seja coerente com o personagem deixem nos comentários que eu vejo com o Careca se passamos a usar]

[Careca – Eu NéGO!]

[Não esqueçam de comentar e recomendar]

[Não esqueçam de se INSCREVER NO CANAL e acompanhar nossos vídeos]

Ei, você gosta desta novel? Acha que tem pontos a se melhorar? Ou acha que o autor já conseguiu expor toda sua experiência com esta obra? Diz pra gente lá no novo site da Central Novels!

Reborn: Evolving From Nothing - Capítulo 62
Reborn: Evolving From Nothing - Capítulo 64
COMPARTILHAR
Leitor inveterado Veterano na fundação da internet: "na minha época, isso tudo aqui era mato" Traduz, revisa, erra, conserta e ri.