Reborn: Evolving From Nothing – Capítulo 6 – Humanos

3669
Reborn: Evolving From Nothing - Capítulo 5 - O Lobo Pele de Ferro
Reborn: Evolving From Noting - Capítulo 7 - Tesouro

Ative o Modo Noturno


Tradução: Denn | Revisão: The Careca


“Magia de Madeira: Punho de Golias!”

Dorian observou com os olhos arregalados quando um enorme punho feito de um tipo de madeira negra se materializou acima do Lobo, caindo sobre ele.

*ESTRONDO*

O punho de madeira surgiu do nada e se moveu com tamanha velocidade e força que o lobo foi incapaz de evitá-lo, mesmo que fosse um animal da Classe Céu. O impacto resultante fez o punho explodir, com estilhaços de madeira voando para todos os lados.

O lobo soltou um gemido irritado quando o punho bateu diretamente em sua cabeça, esmagando-o no chão. O ataque o pegou completamente de surpresa, sua atenção estava concentrada inteiramente na Salamandra Vermelha à sua frente.

O Lobo Pele de Ferro ficou deitado após o impacto, imóvel no chão.

Dorian correu até uma árvore, mantendo-se o mais abaixado possível no chão enquanto observava tudo isso.

Gradualmente, as figuras de vários humanos apareceram, entrando na clareira da floresta perto do lobo. Três dos homens estavam vestidos como guerreiros, vestindo armaduras de couro escuro e empunhando espadas. Outro parecia um tipo de guarda florestal, enquanto o último usava um conjunto de vestes finas de seda cinza.

“Toldro, verifique seu status.”

William Robel, o homem de túnica de seda, disse, acenando com a mão para o lobo abatido.

O homem que parecia um guarda florestal rapidamente avançou, seus passos eram cuidadosos, mas firmes. Ele se ajoelhou ao lado do lobo, examinando-o.

“Ainda está vivo e em bom estado!”

Enquanto Dorian observava tudo isso, ele percebeu algo. Os homens diante dele não estavam falando em inglês, mas ele podia entendê-los.

‘Ausra, como eu sei o que eles estão dizendo?’

Ele perguntou mentalmente.

“Sua Adoração, em sua sabedoria sem fim, estava ciente de que muitas pessoas falam línguas diferentes nos 30.000 reinos. Portanto, Ele gravou o conhecimento das 6 principais línguas difundidas, e as cerca de 300 línguas menores na Matriz de Feitiços da Alma de cada membro do Rebanho, incluindo você, o Primogênito. Sua compreensão e capacidade de falar são inatas, se você formar um corpo capaz de falar.”

A voz de Ausra respondeu, fria e concisa.

Dorian sorriu internamente na revelação. Ele sempre quis aprender uma língua estrangeira da Terra. Agora, parecia que esse desejo havia sido concedido, de uma maneira própria. Ele sacudiu a memória da terra de sua cabeça depois de um momento, imagens de sua mãe, pai e família apareceram. Ele não podia se dar ao luxo de pensar nisso agora.

“Excelente!”

William disse, um enorme sorriso cobrindo seu rosto. Eles realmente conseguiram encontrar o Lobo Pele de Ferro que eles estavam procurando, e não apenas conseguiram capturá-lo, eles conseguiram capturá-lo facilmente e com vida, pegando-o de surpresa.

Lobos Pele de Ferro eram basicamente tesouros ambulantes, especialmente seres vivos que podiam ser criados. Sua sorte realmente estava se virando, investigar os rumores sobre este lobo se revelara absolutamente benéfico.

“Magia de Madeira: Sino de Vedação!”

Seus dedos se contorceram enquanto ele lançava outro feitiço, chamando um grande sino de três metros de altura e dois metros de largura para a existência. Ele acenou com a mão novamente, clamando a existência de vários tentáculos de madeira em movimento.

Esses tentáculos agarraram o lobo abatido, jogando-o sem cerimônia no grande sino de madeira. O sino foi imediatamente fechado, com apenas alguns furos no lado para deixar entrar o ar.

“Senhor!”

Capitão Lancaster falou do lado quando William garantiu seu prêmio, avançando.

“Devemos fazer alguma coisa sobre a Salamandra Vermelha lá ao sul?”

Ele perguntou, vagamente apontando com a mão.

Dorian congelou quando ouviu isso, não se atrevendo a se mover. Como eles o localizaram?! Ele estava se escondendo muito bem. A cobertura da árvore e vegetação rasteira significava que ele mal era visível, se é que alguém conseguia ver ele!

William olhou exatamente para onde Dorian estava, olhando para o seu esconderijo por um momento.

“Hmm… não é nem uma fera de Classe Céu. Eu vou me livrar disso.”

O mago juntou as mãos, preparando-se para lançar outro feitiço.

Dorian não ficou por perto e imediatamente se virou e fugiu, correndo o mais rápido que pôde. Ele explodiu através da clareira da floresta, passando por árvores, uma faísca de medo ardendo em seu coração.

William ficou surpreso ao ver a Salamandra Vermelha em fuga.

“Sentiu a nossa intenção? Que incomum… Tanto faz.”

Ele olhou para o sino flutuante com um olhar satisfeito.

“Vamos voltar para a cidade de Yor!”

¤¤¤

Dorian correu desesperado por 30 segundos, atingindo a borda do vale. Ele se escondeu perto de um conjunto de grandes pedras na borda da linha das árvores, seu corpo arfando. A adrenalina, ou o equivalente a isso nas Salamandras, bombeava em sua veia enquanto ele tremia, tentando manter a calma.

Magia existia neste mundo, claramente, ele pensou, repassando a situação. Essa foi a única maneira que ele poderia explicar como a madeira se movia como aconteceu. Não foi muito surpreendente. A existência de sua Matriz de Feitiços da Alma e sua habilidade Garras Flamejantes já eram mágicas o suficiente.

‘Ainda assim, humanos! Esses são os primeiros humanos que conheci!’

Quando ele percebeu isso, Dorian estremeceu ligeiramente, sentindo uma mistura estranha de felicidade e decepção.

“Talvez eu devesse ter ficado e tentado me comunicar?”

Ele pensou por um momento, antes de imediatamente descartar o pensamento.

Não seria bom se destacar agora. Aquele humano tinha facilmente derrotado um Lobo Pele de Ferro de Classe Céu, algo que ele era incapaz de fazer.

Ele suspirou, esticando as garras.

O que ele precisava fazer era se tornar forte. Forte o suficiente para que ele pudesse relaxar e viajar em segurança, e talvez descobrir uma maneira de voltar para a Terra.

Ele ficou escondido por mais alguns minutos, esperando para ter certeza de que os humanos haviam saído.

Depois de um tempo, ele saiu do esconderijo e voltou para o vale. Ele moveu-se cuidadosamente de árvore em árvore, tentando evitar fazer barulhos desnecessários.

Gradualmente, ele se acalmou, sentindo que as coisas estavam de volta ao normal. O som da vida selvagem se chocando ou se movimentando, fazia a floresta parecer semelhante a uma floresta normal na Terra. Ignorando os ocasionais rugidos maciços de enormes animais à distância.

Logo, Dorian atravessou o ponto mais baixo do vale, procurando pelo “buraco mais escuro”.

Depois de passar 10 minutos atravessando o vale sem sorte, ele caminhou até o riacho no centro da área florestal, chutando uma pedra em frustração. Ele observou a rocha se aproximando, esmagando a jusante e surpreendendo vários grupos de peixes.

Com o canto do olho, ele viu algo no rio se mexer também, assustado com os movimentos do peixe.

Uma forma familiar.

Era outro Crustáceo Tesouro Marrom!

Só para ter certeza, ele conferiu com Ausra, que confirmou seu palpite. Ele olhou para ele, curioso.

‘Ausra, este é o segundo Crustáceo Tesouro Marrom que eu encontrei. Eles não deveriam ser raros?’

Ele perguntou mentalmente ao gênio.

O gênio ficou em silêncio por um momento antes de responder.

‘Crustáceos Tesouro Marrom são atraídos para o destino e para os objetos predestinados. Aquele que você encontrou anteriormente provavelmente foi atraído pelo destino de Sua Adoração para enviar você para cá. Este aqui provavelmente tem alguma relação com o Crustáceo anterior.’

Os olhos de Dorian se arregalaram com a resposta, encarando o crustáceo intensamente. Estava correndo pelo fundo do riacho, deslizando pela água cristalina.

Enquanto ele observava, ele considerou uma possibilidade que ele não tinha pensado antes.

Talvez o buraco mais profundo deste vale não estivesse na área florestal… talvez estivesse no rio?

Ele andou para a frente, espreitando o crustáceo enquanto se afastava da multidão de peixes, observando seus movimentos. Se fosse atraído para o destino… então havia uma possibilidade distinta de sua casa onde dormia estar perto do tesouro do mago morto.

O crustáceo, depois de ser assustado pelos peixes, parecia estar decidido a fugir e se esconder. Ele se moveu ao longo do fundo do riacho por vários minutos, levando Dorian a uns bons cem metros. Ele seguiu pacientemente, observando seus movimentos.

Assim como o riacho estava entrando em uma curva e virando, de repente, o Crustáceo Tesouro Marrom desapareceu, sumindo de sua visão.

Dorian se lançou para frente, com os olhos alertas enquanto examinava a parte do riacho que o crustáceo havia desaparecido. Ele entrou na água, olhando de perto.

Com certeza, depois de olhar em volta por alguns segundos, Dorian viu uma abertura no lado da parede do riacho. O buraco era difícil de ver, posicionado de modo que você não o veria se estivesse do lado de fora do riacho. Era decentemente grande, com cerca de dois metros de largura e um metro e meio de altura.

Ele se arrastou até lá, enfiando uma garra. Ele sentiu a pedra e depois abriu o espaço. Ele olhou para o buraco novamente antes de encolher os ombros. Quem não arrisca não petisca.

Dorian respirou fundo e mergulhou na água, passando pela abertura. Sua visão era excelente, mesmo debaixo d’água. Seus olhos rapidamente se ajustaram à atmosfera mais escura enquanto ele olhava para dentro.

O buraco levava a um longo túnel de cavernas inclinado que parecia rodar ligeiramente para baixo. O nível da água na caverna era estável, não correndo para fora ou para dentro, mas em equilíbrio.

Dorian mal viu o Crustáceo Tesouro Marrom escorregando no final do caminho visível e virando.

Ele emergiu por um momento e respirou fundo, depois mergulhou de volta e começou a nadar, avançando rapidamente pela passagem.

Como uma Salamandra Vermelha, ele conseguia prender a respiração por pelo menos alguns minutos, se necessário. Se ele não encontrasse nada no primeiro minuto, ele simplesmente sairia e pensaria em um plano separado.

Apesar de ser subterrâneo, o caminho da caverna parecia ser ligeiramente iluminado por um tipo de musgo ou algas incandescentes no chão da caverna. Dorian se moveu pelo túnel rapidamente, alcançando o final do caminho em poucos segundos.

Ao virar a esquina, viu o que parecia uma grande piscina e uma camada de água cercada por ar. Ele sorriu quando viu isso, nadando por alguns metros.

“Woo!”

Ele soltou a respiração e respirou fundo novamente, olhando em volta para a câmara subterrânea.

Era uma sala de cavernas comprida, mas apertada. O musgo brilhante que estava presente na água também estava presente no teto da caverna, iluminando o local. O teto tinha cerca de um metro de altura, feito de rocha cinzenta áspera. Cerca de dois terços da sala estavam inclinados para cima, sem água, enquanto o outro terço estava submerso.

Em um canto específico da sala, escondendo-se na parte inclinada, Dorian descobriu o Crustáceo Tesouro Marrom, enterrando-se entre um aglomerado de rocha branca.

Ele piscou enquanto estudava a rocha, chegando a uma conclusão. O que ele pensava ser um aglomerado de rochas era na verdade uma massa de ossos empilhados ao acaso. Ele estremeceu brevemente, reconhecendo a vaga forma humana. Ele também viu uma bolsa marrom desbotada sob os ossos, coberta de manchas cinzentas.

Este era, muito provavelmente, o cadáver do mago caído da mensagem naquele anel.

* CRACK *

Um dos ossos quebrou quando o Crustáceo Tesouro Marrom se mexeu, tentando se esconder embaixo dele.

Dorian franziu a testa quando viu isso e deu um passo à frente, trazendo suas garras para atacar. Ele atraiu a energia de sua alma, ativando sua habilidade de Garras Flamejantes quando ele avançou.

Primeiro ele mataria o crustáceo e então ele iria ver se realmente havia algum tesouro deixado para trás.

¤¤¤

Em um mundo muito distante do atual de Dorian, um homem estava sentado sozinho em uma sala vazia do trono, sentado no topo de um enorme e brilhante trono verde. O trono tinha facilmente três metros de altura e flutuava no ar, com intrincados entalhes de magos lançando feitiços e combatendo feras fantásticas. Várias gemas foram inseridas ao longo do lado do trono, dando-lhe uma aparência poderosa e rica.

A sala estava vazia, exceto pelo trono e um longo tapete vermelho que levava a ele. A pedra cinzenta que compunha o chão e as paredes contrastava enormemente com a poderosa e detalhada aparência do trono. Uma esfera amarela grande e brilhante iluminava a sala, flutuando perto do teto.

O homem sentado no topo do trono parecia ser de meia-idade, com uma cabeça de cabelos curtos e grisalhos e uma barba preta curta e rude. Seus olhos violetas brilhavam com uma luz estranha, enquanto sua mandíbula forte e nariz pequeno davam a ele uma aparência masculina e bonita. Uma longa cicatriz vermelha corria pelo comprimento da bochecha direita até o pescoço dele, e um conjunto de ombros musculosos.

Ele usava um manto branco simples e apertado, adornado com uma insígnia de cor preta do livro de feitiços de um mago. Sua altura estava acima da média, 1,95 m, dando-lhe uma aparência imponente, mesmo sentado.

Acima de sua cabeça havia uma coroa dourada simples e fina.

O homem suspirou, olhando para o quarto vazio. Ele virou a cabeça para trás para olhar do outro lado do trono, em direção à única entrada da sala. Um enorme conjunto de portas de pedra com cinco metros de altura.

“Entre, Cassiera.”

Sua voz era rica e calorosa, mas cheia de uma sensação formidável de autoridade e poder incalculável.

Ao som de suas palavras, as portas se abriram imediatamente. Uma bela mulher de cabelos loiros desceu o tapete em direção ao trono, seus olhos verdes e lábios brilhantes acentuando perfeitamente seu longo e sedoso cabelo loiro. Ela era magra e em forma, as curvas de seu corpo eram visíveis através do vestido azul apertado que ela usava.

“Sua Majestade.”

A voz de Cassiera estava calma quando ela parou a dez metros do trono, curvando-se. Um pequeno enfeite azul em seu cabelo brilhava.

“O que o relatório preliminar do Departamento de Magia do Destino afirma?”

O homem no trono acenou com a mão para ela, um olhar entediado no rosto.

O Departamento de Magia do Destino era um dos 108 Departamentos Mágicos da Autarquia de Borrel, uma organização gigantesca que controlava mais de 10.000 mundos.

Cassiera tremeu ao ouvi-lo responder a ela, um olhar de adoração em seus olhos.

“Os distúrbios no Destino apareceram em 88 mundos diferentes no total. Dos afetados, temos 32 desses mundos sob nosso controle. Cada distúrbio foi tumultuado, e enquanto aos detalhes exatos do que aconteceu são desconhecidos, se deixados desacompanhados, o destino indica um desastre na escala da Invasão dos Demônios de Yale.”

O homem no trono sentou-se com os olhos arregalados.

A Invasão dos Demônios de Yale custou a vida de mais de 40 bilhões de seres humanos, em mais de 500 planetas. A invasão inexplicável de feras inteligentes e poderosas através de várias pontes do mundo veio depois que a Aliança Graal, a poderosa aliança de feras inteligentes que abrangia mais de 7.000 mundos, desmoronou cerca de 1.000 anos atrás. A aliança só conseguiu se reerguer cem anos depois.

Um desastre nessa escala teria efeitos maciços e poderia mudar a face da Autarquia como estava agora.

Um brilho de interesse apareceu nos olhos do homem.

“Muito interessante.”

Ele estalou os dedos duas vezes.

Imediatamente, aparentemente do nada, dois homens vestidos de negro e mascarados apareceram.

“Taron, emita um decreto para todos os 108 departamentos, exigindo uma investigação completa dos 32 mundos afetados sob nosso controle. David, se reúna com o Departamento de Embaixadores Estrangeiros e organize aberturas para os planetas que não estão sob nosso controle, informando-os da situação e oferecendo nossa assistência. Obtenha as informações que você precisa do Departamento do Destino.”

O homem acenou com as mãos enquanto ordenava que dois de seus subordinados de confiança tomassem providências, um sorriso apareceu em seu rosto. Ele se virou para olhar para a mulher vestida de azul que estava olhando para ele com adoração.

“Cassiera. Seu Departamento do Destino fez muito bem. Informe-me se houver alguma descoberta nova.”

Ele deu-lhe um caloroso aceno, dispensando-a da sala do trono. Ela recuou com relutância, curvando-se ao sair.

Arthur Telmon, o rei mago da Autarquia de Borrel, e o humano mais poderoso que existe, olhou ao redor da sala do trono, agora vazia, mais uma vez, com um sorriso no rosto.

“Parece que as coisas estão prestes a se tornar um pouco mais interessantes.”

[Não esqueçam de comentar e recomendar]

Ei, você gosta dessa novel? Acha que o tradutor merece um incentivo para continuar mantendo o bom trabalho? Pois agora ela tem Padrim e você pode contribuir com apenas 2$.

Ei, você gosta desta novel? Acha que tem pontos a se melhorar? Ou acha que o autor já conseguiu expor toda sua experiência com esta obra? Diz pra gente lá no novo site da Central Novels!

Reborn: Evolving From Nothing - Capítulo 5 - O Lobo Pele de Ferro
Reborn: Evolving From Noting - Capítulo 7 - Tesouro
COMPARTILHAR
Leitor inveterado Veterano na fundação da internet: "na minha época, isso tudo aqui era mato" Traduz, revisa, erra, conserta e ri.