Play Again – Capítulo 24

151
Play Again - Capítulo 23
Play Again - Capítulo 25

Autor: Kyoua | Revisão: Denn


O sentimento de Mirela

Então o tempo voltou.

Barole tentou chicotear o rapaz a sua frente, mas foi em vão.

Em menos de uma respiração, a outra parte estava a sua frente, apertando a sua mão.

Yukio não poupou esforços, e apertou tão forte quando poderia. O barulho de algo estalando foi alto e claro para todos ali.

“Argh! “ Em choque, Barole saltou para trás. Foi só alguns segundos depois que ele percebeu que havia recuado para um jovem aleatório.

Mesmo que sua mão não tivesse sido quebrada, o mesmo não poderia ser dito sobre a sua honra. Além disso, se aquele homem a sua frente tinha uma velocidade tão alta. Ele só não iria se envergonhar tentando o enfrentar?

Bufando ficou ainda mais irritado, mas não podia fazer nada além de culpar o seu filho.

“Moleque, eu não admito tal desonra na minha família. Jamais irei admitir que o meu sangue seja tão inútil! “ Jogando as mangas em fúria, o velho rugiu.

“Além de ser um completo inútil, faz amizade com qualquer vagabundo que encontra na rua! Você deveria morrer! “Correndo em direção a Barock, ele deu um soco na mesa em que a outra parte estava sentada.

O barulho de rachadura soou para todos os lados, e a mesa foi quebrada no meio.

“Senhor Sasaki, eu trouxe suas roupas. “No meio de toda a confusão, um funcionário do hotel chegou, interrompendo aquela cena.

Mesmo que Barole fosse alguém grande. Aquele funcionário foi quem pessoalmente atendeu Yukio e Mirela. Comparado aos enviados de uma das doze mansões, Barole não era ninguém. Não era diferente de comparar ouro com merda.

“Diabos! Você tem mesmo peito! “ Rugiu o Barão ao ver aquele funcionário interromper uma discussão tão grandiosa como se não fosse nada.

O funcionário apenas levantou o nariz e ignorou a outra parte, aquilo fez o rosto do homem ficar ainda mais vermelho.

“Você…” ele sequer conseguiu encontrar palavras naquele momento, mas logo seus olhos se arregalaram.

O funcionário se ajoelhou na frente de Yukio, entregando um terno extremamente chamativo. Havia um brilho prateado vindo da roupa. Era o medalhão de aquário.

O local ficou em silencio.

Pegando o seu uniforme lentamente e se vestindo tão casualmente quanto poderia, ele atraiu todos os olhares arregalados.

O medalhão de Aquário. Esse era o símbolo que qualquer um deveria conhecer se quisesse viver por muito tempo. Setenta anos atrás, um homem bêbado xingou o enviado de aquário, e toda a sua família foi executada em praça pública.

Ironicamente, era um conto infantil que Barões como Barole, adoravam contar para seus filhos. Para que eles entendessem sobre como o mundo funcionava desde cedo.

E obviamente, Barole já havia contado aquela história centenas de vezes para Barock.

Suor frio começou a descer das costas daquele barão arrogante, seu corpo se tornou frio e ele realmente pensou em sair dali correndo o mais rápido possível.

“Não é de se admirar que ele segurou meu golpe como se não fosse nada. O enviado de aquário poderia fazer isso o dia todo, se quisesse. Não… se ele quisesse mesmo, minha cabeça estaria separada de meu corpo nesse instante…”

O seu peito começou a subir e descer rapidamente, sua respiração ficou tão pesada que se ele tivesse um problema cardíaco ali, ninguém iria se surpreender.

“Bem…é mais ou menos isso. Barão Barole, eu devo perguntar. Você acha que eu sou um vagabundo qualquer? “ Os olhos frios de Yukio pousaram sobre o corpo suado do homem, que quase chorou.

“E-eu… senhor Enviado, por favor. Eu tive olhos, mas não pude ver. Tive ouvidos, mas não consegui ouvir. Tinha um cérebro, mas não soube usar. Peço pelo perdão do Lorde enviado, por favor… “ Suas palavras iam se tornando cada vez mais tremulas, e o ‘enviado’ só podia rir daquela situação.

“Que velho patético. Tenta dá um sermão no filho. Faz uma confusão, e ainda é humilhado. “

“Saia daqui, antes que eu me arrependa de te deixar vivo. “ Jogando as mangas de lado, Yukio ordenou.

“S-sim! “ O Velho Barão correu como se os chicotes de seu mestre estivessem batendo fortemente contra as suas costas. Ele temia que o enviado mudasse de ideia.

Ao ver aquela cena, todos não puderam deixar de suspirar e olhar na direção do jovem enviado, que parecia completamente casual ao que acabou de causar.

Barock permaneceu com o rosto abaixado. Logo, algumas lágrimas caíram de sua face lentamente, enquanto seu rosto se tornava cada vez mais vermelho.

“Senhor Sasaki. Eu agradeço. O senhor me deu uma motivação hoje. Eu irei trilhar o caminho do crochê e me tornar o que eu sempre sonhei em ser. Se o senhor ainda tiver alguma ordem, apenas diga! “ Os olhos de Barock estavam vermelhos e pareciam mais afiados do que nunca. Seu rosto continuava tão belo que parecia uma pintura. Mas seus olhos mostravam a fúria de um dragão.

“Claro… “ Yukio sorriu e rapidamente puxou uma folha amarela e uma pena. Ele imediatamente fez alguns modelos de roupas que gostaria de usar. No meio da empolgação. Ao invés de uma ou duas peças de roupas, já haviam dezenas.

Os olhos de Barock brilhavam ao ver aquilo tudo. Todas aquelas roupas únicas e belas…

Eles ficaram conversando sobre as roupas, sobre os materiais e quando seria mais adequado para usar cada uma.

Ao Norte do Reino Detroit, em uma pequena ilha chamada Sandland. Na Mansão de Peixes.

“Meus olhos não me enganam! Eu sei muito bem o que eu vi naquele beco, minha Senhora! Era deserto branco, com certeza! “ Um homem de longos cabelos rosados dizia enquanto se mantinha ajoelhado perante uma dama bela e doce. Seus lábios eram carnudos e haviam um tom rosado neles. Seus longos cabelos rosados poderiam fazer qualquer um se perder. E suas curvas podiam causar acidentes.

“O Deserto branco, apesar de pouco estudado, já trouxe calamidades antes. Se ele está envolvido… “ Continuou o homem.

A mulher moveu lentamente a palma da mão, o sinalizando para parar de falar.

“Houve um tolo que pensou em controlar o deserto branco, uma vez. Sua amada foi envenenada, e ele passou dias chorando. Seu grande patrimônio se tornou dezenas de vezes menor enquanto ele perdia recursos e seu poder despencava. Quem ousaria mexer com deserto branco desde esse incidente? Mesmo a Mansão Aries não está tendo grandes descobertas nesse assunto. “ A voz da mulher era doce, porém decidida.

“Além disso, nosso encontro vai ser amanhã. Nós já devemos nos preparar para as festas. E para qualquer invasor que ouse entrar lá. Se quisermos falar sobre deserto branco, eu posso tomar um minuto da Mestra de Aries durante a cerimônia de abertura.

O homem de cabelos rosados apenas suspirou e olhou para uma grande janela ao seu lado direito.

“Além disso, todo aquele poder demoníaco que surgiu no início da semana… “ a preocupação podia ser vista no rosto do homem, mesmo que sua face ainda permanecesse bem delicada.

“Eu sinto algo de estranho sobre isso também. Mas aquela energia demoníaca não parecia ter vindo da direção de onde estava sendo emanada… “ Suspirou a mulher.

“Como assim, minha senhora? “Ouvindo aquilo, choque pode ser visto no rosto do homem. Aquilo não fazia nenhum sentido. De onde mais iria vir a energia além da direção onde era emanada?

“Não é nada, honestamente falando. Mesmo eu não sei explicar bem o que senti. “ Mesmo que estivesse um pouco amargurada sobre aquilo, ela não resolveu levar adiante.

“Espero que algum dos doze consiga responder sobre isso amanhã… “ Seu rosto estava fixado na grande janela ao lado, como se esperasse algo.

De Volta ao Hotel

Cerca de uma hora depois, Mirela desceu usando a sua roupa que era mais semelhante a um shortinho de ginástica. Com uma expressão sonolenta. Ela mirou na direção de Yukio e suspirou aliviada.

“Viu… nada de ruim poderia ter acontecido…”

Yukio fazia o de sempre. Ficava em algum lugar conversando com pessoas novas e desperdiçando o seu tempo. Mas dessa vez, os olhos de Mirela brilharam ao ver o jovem sentado com Yukio.

“Mas o que é isso aqui? Que mal caminho! “ Ela começou a sentir seu corpo ficar quente enquanto imaginava coisas indecentes com aquele jovem.

Logo, ela balançou a cabeça freneticamente.

“Não não não, eu sou uma funcionária de uma das doze mansões. Não posso sair com qualquer um… mas olha… aquilo ali não é qualquer um não… “ Ela ficou ali, mordendo os lábios por um tempo.

“Senhor Sasaki, eu estarei começando o mais rápido possível. Irei até minha casa pegar todas as minhas economias e alugarei um quarto aqui. O senhor pode me encontrar todos os dias nesse hotel. Eu não preciso de nada além do crochê para ser feliz “ Com o rosto vermelho de excitação, o rapaz queria começar a fazer aquelas roupas o mais rápido possível.

“Tudo bem, só tente tomar cuidado, eu sinto que o seu pai não é o tipo de cara que vai deixar isso tudo sair tão limpo. Mas é aquilo. Siga os seus sonhos, e não te deixe ninguém dizer que você não pode conseguir algo. Só você decide isso. “ Yukio tocou o ombro o rapaz, que ficou ainda mais vermelho, mas dessa vez, de vergonha.

“Oh Mirela, vamos! Já está quase na hora! Ta fazendo o que aí no mundo da lua, filha? “ Virando-se, ele viu Mirela mordendo os lábios e murmurando algo na escada.

“Ah, eu sou Mirela Srswim. Eu tenho dezoito anos e trabalho atualmente na mansão de aquário. O meu animal favorito é o pato. Eu amo jantares abaixo do céu estrelado. Eu também gosto de flores, mas não precisamos entrar nos detalhes do que eu gosto ou não, quem é o senhor? “ Após ter seu nome chamado, como um furacão, ela foi para frente.

Mirela chegou rapidamente na frente de Barock e se apresentou rapidamente.

“Senhorita Mirela… eu sou apenas um trabalhador comum. Meu nome é Barock Barker. Meu pai é um barão, mas isso não quer dizer muita coisa… “ O jovem ficou surpreso, mas sua reação também foi rápida. Apertando a mão de Mirela, e fazendo-a ficar cada vez mais insana.

“Yukio, eu confio em ti a missão na casa de Escorpião. Lembre-se de se tornar amigo do mestre Escorpião, hein! “ Mirela chutou o Yukio dali e jogou uma moeda de ouro para ele.

Vendo como foi expulso para que ela pudesse continuar sua conversa com aquele belo rapaz, Yukio só podia suspirar.

 “Bem… fazer o que ne? Ok! Vamos até a mansão de Escorpião! “


[Não esqueçam de comentar e recomendar]

[Leiam BEYOND?! O Denn finalizou a novel!]

Ei, você gosta desta novel? Acha que tem pontos a se melhorar? Ou acha que o autor já conseguiu expor toda sua experiência com esta obra? Diz pra gente lá no novo site da Central Novels!

Play Again - Capítulo 23
Play Again - Capítulo 25