Noite de Halloween, O árduo caminho da Coragem: Capítulo 65

107
Noite de Halloween, O árduo caminho da Coragem: Capítulo 64
Noite de Halloween, O árduo caminho da Coragem: Capítulo 66

Autor: Allan | Revisão: Allan

Cap.65

Silêncio oportuno.

— Diga há!!!!! — dizia Dr. Guido com uma lanterna apontada para a boca de Coragem.

—… — dizia Coragem abrindo a boca e som algum saindo.

Coragem estava em um quarto da tenda médica dos oficiais e essa tenda médica ficava na área dos oficiais, bem ao norte do acampamento. A tenda era excepcionalmente majestosa, seu quarto era um exemplo disso, uma mistura de tecnologia de ponta e luxo vitoriano.

Seu corpo estava com agulhas com remédios por toda parte e outras agulhas de acupuntura também por toda parte, havia também vários cabos conectados em seu corpo que por sua vez se conectavam em máquinas estranhas que monitoravam suas funções vitais, até mesmo havia uma máquina que lembrava uma televisão de tubo e dentro uma gosma roxa que parecia bombear algo, mas Coragem não quis saber o que era com medo da resposta.

— T.E.P.T— disse Dr. Guido se virando e tirando a luva de látex e jogando no lixo.

— Transtorno de estresse pós-traumático? — disse Gíbi.

— Isso mesmo.

— E quando ele vai voltar a falar?

— Só depende dele.

— Oh céus!

— O importante é que o nosso pequeno guerreiro está bem de saúde e forte para a grande luta certo? — dizia Zen dando um tapa forte no ombro de Coragem.

Coragem por sua vez concordou com a cabeça e dava vários jabs no ar.

— Mas e os órgãos dele Doutor? Já se recuperaram? — perguntava Gíbi fazendo uma careta misturada com tremeliques.

— Do ponto de vista médico sua saúde é perfeita. O mutagênico inteligente o salvou injetando no corpo altas doses de energia acumulada — dizia o médico agora olhando um monitor de um computador de tubo e válvulas.

— É Coragem, foi uma sorte que eu encontrei aquele rifle anti-tanque e que Gíbi encontrou Dr. Guido no caminho — dizia Zen batendo a mão na costa de Coragem.

— Não existe alguma poção que o faça voltar a falar? — Gíbi

— Claro que existe, entretanto o mestre dele não aprovaria.

— O general Irae não aprovaria por quê?

— Pergunte você mesmo — disse o médico ainda de costa e apontando para a mesinha ao lado da cama.

— Háhhhhhhhh!!! — gritaram todos que não tinham visto o gato de olhos vermelhos, inclusive Coragem, mas nenhum som saiu.

— Sentido! — gritou Zen que agora estava vermelho de vergonha.

E Gíbi e mais ele próprio foram os únicos a baterem continência. Guido nem se deu ao trabalho de tirar os olhos do monitor. E Coragem batia em seu próprio coração de susto.

— Levante-se, vamos dar uma volta — disse Irae saltando da mesinha pela janela.

Coragem olha para Dr. Guido que está de costa, então levanta a mão direita e estala o dedo e todas as agulhas que estavam enfiadas por seu corpo e os eletrodos e outras máquinas estranhas se desconectam magicamente.

Se levanta da cama e se vira para Dr. Guido para lhe agradecer, mas novamente som algum saí, mas, mesmo assim, faz o comprimento oriental e salta pela janela.

A rua estava agitada como sempre, o calor e a luz vinda do sol fazia todos os monstros ficarem ofegantes e preguiçosos, mas Coragem não, se sentia muito bem, gostava muito do calor e da claridade, já que desde que viera para Halloween, este era o primeiro lugar claro e quente que ele ficara, nem mesmo o pântano que ficara três anos tinha tanta claridade e vida quanto Jóia Verde, tirando os monstros o lugar era excepcional.

Os dois seguiram em direção montanha a abaixo até chegarem em uma grande rocha plana que tinha uma bela vista panorâmica.

— E agora o sol negro surge…

O garoto arregala os olhos e desenha no ar uma interrogação.

— Quem são eles? São exatamente o que o simbolismo de um sol negro sugere, uma “luz” negra.

Coragem faz uma mímica como se balançasse algo dentro de um pote e termina com uma interrogação.

— Sim, existe uma conexão com o caos primordial, que de primordial não tem nada…

Coragem olha para Irae confuso.

— Provavelmente se confundiram devido a minha energia que te envolve ou queriam mandar algum recado para mim… Mas não vão voltar a incomodar, parece que Vox, o metamorfo e os seus espiões estão tentando chamar a minha atenção.  — dizia o gato olhando para o horizonte.

E Coragem faz outra interrogação no ar.

— Vox é um outro humano assim como você.

Coragem arregala os olhos e faz algumas mímicas sem sentido e outra interrogação.

— Sim, parece que não é só você que surge nestes mundos inferiores.

E novamente Coragem faz mais mímicas e outra interrogação.

— O por que você veio parar aqui? Ah isto é fácil, veio por que tinha que vir, tanto é que veio. Nada acontece por acaso.

Coragem apenas balançou a cabeça em negação e desapontamento.

— Isto é a melhor resposta que posso te dar, um dia você entenderá tudo isto melhor, até lá guarde as minhas palavras que um dia pode ser útil a você.

E mais mímicas e mais uma interrogação.

— Quando Mariane rompeu o meu selo de contenção, o sol negro deve ter percebido juntamente com outras milhares de facções por entre as infinitas dimensões baixas que eu voltei a ativa, e agora devem estar de olho em nós a algum tempo e agora eles resolveram mandar um esquadrão de batedores de elite para nos testar e confirmar se eu era eu mesmo.

E Coragem faz mais mímicas e uma interrogação no final.

— Provavelmente os “deuses” de Halloween só deixaram passar uns poucos batedores, representantes destes grupos para confirmar a minha existência. E nisto resolveram te atacar, já que eu estou sempre cercado de muitos categorias A+ e S… E também que não queriam quebrar nenhum acordo com alguma outra entidade de categoria “deus” atoa.

Coragem assistia tudo confuso e com medo.

— Não se preocupe, eu mesmo lidarei com essas entidades “poderosas”. Fora que Vox fará qualquer coisa para ter o seu apoio.

Coragem fez uma cara de ainda mais confusão.

— Quem é Vox? — disse Irae olhando para baixo e pensando por alguns segundos — Vox ao mesmo tempo que é uma facção é também um individuo humano com o poder de absorver o poder de quem toca e se transformar no que quiser, é um dos que estão na lista negra de Halloween. Já conversamos algumas vezes, mas a insuportável da Mariane me proibiu de lhe ajudar… Por mais que fosse tentador…

Coragem agora se sentava com as pernas e braços cruzados e ainda com cara de confuso.

— Vox também quer o fim de Halloween, mas seus métodos são questionáveis… Bom, por fim, cabe a você decidir se no futuro ira querer ou não se aliar a ele.

O garoto fez mais algumas mímicas e uma nova interrogação.

— Sim, Vox e os seus estão nos ajudando a eliminar os batedores e outras ameaças, provavelmente o guerreiro de mascara de sol que você enfrentou deve ter sido um sobrevivente do esquadrão. Mas eu te aconselho a não se meter neste mundo de espionagem e mentiras, não é o seu estilo e nem acho que você tenha capacidade para tanto.

Coragem fecha a cara com o insulto, mas arregala os olhos novamente e desenha uma interrogação no ar novamente as pressas.

— Sim, provavelmente foram atrás dela para me afetar. E pare com essas mímicas, eu leio pensamentos.

Então Coragem arregala os olhos e cora.

— Sim, eu sei que você me imagina me escaldando em uma panela de água quente todas as noites.

Coragem começa a fazer prostrações para o gato rapidamente.

— Tsc… A eons planejam o meu fim, será que descobriram algo que nem eu sei? Seria interessante ver algo assim… – disse o gato sorrindo.

Coragem olhava para Irae sem entender nada da conversa. Mas extremamente preocupado com Mariane.

— Não se preocupe, Mariane é imortal, nada lhe acontecerá.

Mas Coragem continuava aflito e voltava a fazer mímica dando golpes no ar.

— Quanto você já entendeu do cristal dourado?

Coragem olhou para cima e coçou o queixo algumas vezes pensando.

— Tsc… Pelo visto quase nada…

Coragem sorriu coçando a cabeça.

— Continue praticando que mais cedo ou mais tarde você entenderá e um novo universo se abrirá para você.

O garoto olhava para Irae com um rosto confuso, pressentia algo.

— Isto é para você — disse o gato balançando a cauda e um pequeno colar de contas cor marfim surge ar.

Coragem prontamente pega o pequeno colar e o segura.

— Isto é um japamala, este mala tem a capacidade de romper dimensões bloqueadas e de quebra pode esconder sua energia de qualquer entidade negativa, desde que você esteja o tocando.

Coragem segurava o pequeno colar cheio de bolinhas cor de marfim atravessadas por um fio dourado. E depois olhando confuso novamente para Irae.

— Mariane previu que daqui a exatamente um mês, no topo da montanha Apice Fusco, o ritual irá acontecer. Neste dia, antes do anoitecer, se aproxime da montanha e erga seu mala para o alto, então, a dimensão que eles estão irá se abrir  — disse o gato começando a caminhar no ar na direção do horizonte começando a desaparecer.

Coragem arregala os olhos novamente e rapidamente desenha uma interrogação no ar.

— O portal? Portais são coisas de seres ainda muito pequenos, quando você chegar no grau certo, bastará um pensamento — disse o gato se virando para Coragem.

— Preciso ir atrás de Mariane e de alguns assuntos não acabados — disse o gato e depois olhando no fundo dos olhos de Coragem.

— Você cresceu bastante. Nos veremos em breve — disse o gato desaparecendo.


[Não esqueçam de comentar e recomendar]

[Leiam BEYOND? O Denn finalizou a novel!]

Ei, você gosta desta novel? Acha que tem pontos a se melhorar? Ou acha que o autor já conseguiu expor toda sua experiência com esta obra? Diz pra gente lá no novo site da Central Novels!

Noite de Halloween, O árduo caminho da Coragem: Capítulo 64
Noite de Halloween, O árduo caminho da Coragem: Capítulo 66