Noite de Halloween, A preciosidade da lótus: Capítulo 44

88
Noite de Halloween, A preciosidade da lótus: Capítulo 43
Noite de Halloween, O árduo caminho da Coragem: Capítulo 45

 

“Caros leitores, para o meu desespero, este é o fim do segundo arco, espero que tenham gostado, foi simples, mas feito com amor. O próximo arco, entrarei mais e mais nos mistérios de Halloween e sobre as origens de Irae (Acho que todos gostamos mais dele do que do Coragem (mas Coragem vai amadurecer, confiem em mim! O melhor ainda está por vir!)), continuem acompanhando que o circo vai pegar fogo! Coragem gostando ou não!”

 

Autor: Allan | Revisão: Allan

Cap.44

O despertar da lótus.

 

— É só isso que tem Najos!!! — gritava Poroso com boa parte de seu corpo derretido e agora estando na sua forma normal.

E a serpente gigante sibilava:

“Sssssss-ssssss-sssssssssss”

Poroso podia ter perdido muito, além de seu corpo estar em carne viva e sem um dos braços, também tinha perdido todos seus guerreiros, que para ele foi o pior. Mas Najos, agora sendo uma fera incontrolável, também tinha tido perdas, tinha apenas uma só cabeça, com cortes por toda parte e sem o guizo de sua cauda.

Quando uma gritaria sem fim passa a ser ouvida por toda arquibancada:

“Háahhhhhhhhhhh”

Zumbis entravam por todas as parte e como uma onda avançavam sobre a multidão da arquibancada com suas espadas e os matavam e os devoravam.

— Naaaaaooooooooo!!!!!! — urrava Poroso de dor!

— Meus irmãos!!!!!!!! Meu povo!!! Como!!!???

— Não leve para o lado pessoal senhor crocodilo — dizia uma criatura de manto negro quase no meio do coliseu.

— Você é o responsável por isso?! — gritou Poroso cheio de dor e sofrimento vendo sua cidade ser devorada viva.

— De certo modo sim… Mas nós dois sabemos que você é o maior responsável, certo? — dizia o necromante sorrindo, pois com o seu manto só se podia ver sua podre boca aberta.

Poroso estava em choque de ver tudo que havia lutado durante toda a sua vida, hoje sendo tomado dele e nada podia fazer se não assistir com raiva e tristeza.

E olhou para o necromante como quem jurasse sua morte e sofrimento eterno.

— Uau! Que olhar terrível! Eu sei que você não perguntou, mas eu vou te dizer o porquê você ser culpado — dizia o necromante erguendo um cristal transparente no ar.

— Depois que cheguei a este mundo, tive a infelicidade de perder o meu cristal de retorno, percebi que o único jeito de retornar para Halloween seria criar outro cristal, então expandi as minhas tropas em busca da energia do sangue. Mas depois de algumas décadas meus exércitos começaram a chamar a atenção e de algum modo o seu irmão me encontrou, mas não querendo minha cabeça por toda a destruição que eu causei, mas querendo vingança pelas humilhações do passado que você e o seu pai lhe causaram e eu o ajudei a pagar suas lágrimas com sangue… Ou você vai me dizer que você sempre foi um santinho e que nada disso é sua culpa?

Ao ouvir o necromante, príncipe Poroso recebeu o pior golpe de sua vida, nada que já havia passado doeu mais que as palavras do necromante, pois elas eram carregadas de verdade e muitas vezes, a verdade dói.

— Minha mulher… Meus filhos… Culpa minha? — dizia Poroso lembrando de todas as atrocidades que tinha feito o irmão passar.

E apesar de toda dor de Poroso, Najos ataca novamente com uma caudada que o joga longe.

“Poft!”

O necromante anda calmamente em direção a Najos e lhe diz:

— Você me serviu em vida e também me servirá em morte!!! — então o necromante solta raios roxos que em instantes transforma Najos em uma espécie de zumbi e até suas outras duas cabeças voltam a crescer.

— Irmão!!!!!!!!!! — chorava Poroso copiosamente de dor.

— O que lhe resta agora é pagar príncipe Poroso! Pague por tudo o que fez, mas pague como parte do meu exército! — gritou o necromante atirando um raio roxo sobre o príncipe.

“Háahhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!”

Urrava Poroso de dor ao ver o resto do seu corpo se tornando cinza e cheio de úlceras.

— Naaaaoooooo!!!!

— Sim!!! Pare de resistir!!!

“Poft!”

Então uma pedra espatifa na cabeça do necromante e o derrubando:

“Poft!”

— O que!? — dizia o necromante tentando se levantar do chão.

— Eu estou aqui seu nojento! — dizia o menino jogando uma pedra para cima e para baixo e então novamente:

“Poft!”

— Você ainda está vivo?! — dizia o necromante ainda zonzo da pedrada.

E novamente:

“Poft!”

“Poft!”

“Poft!”

“Poft!”

“Poft!”

— Infelizmente acabaram as pedras!!! — dizia o menino extremamente zangado.

— Quem está acabado é você!!!

Então Najos versão zumbi dá o bote em Coragem! Mas é mordido por algo muito maior e mais perigoso:

“GRRRRRRRRRAAAAAAAAWWWWWWWWWRRRRRRRRRRRR!!!!!!!!!!!!!!!!”

Rugia um imenso dinossauro semelhante a um Tiranossauro Rex que agora lutava contra a serpente de três cabeças!

— Como!? — dizia o necromante caindo sentado no chão.

— Não está sentindo a falta de alguém? — gritou o menino.

— Não!!! — gritou o necromante ao ver a cobra gigante sendo estraçalhada — Você transformou o rei!

Então o Tiranossauro olha para o necromante.

— Não importa! O cristal está comigo! — então o necromante aperta o punho com força e:

— O cristal! Onde está o cristal?— grita em desespero o necromante procurando na lama.

— Achou que eu estava mesmo mirando na sua cabeça?— disse Coragem sorrindo.

O necromante passou a procurar o cristal na lama mas não encontrava nada quando todos passaram a ouvir os passos do tiranossauro vindo na direção do necromante:

“Pown!”

“Pown!”

“Pown!”

— Quem é você?— disse o necromante.

Coragem sorri e diz:

— Um humano.

— Não!!! — o tiranossauro morde, mastiga e engole o necromante.

Sem perder tempo Coragem corre até Poroso que está deitado no chão.

— Príncipe! — gritou o menino tirando sua última poção de cura.

— Não… Me deixe morrer!

— Mas eu posso salvar o senhor! — dizia o menino com os olhos cheios de lágrimas.

— Cometi muitos atos ruins… Preciso pagar por eles… Preciso me redimir com meu irmão na outra vida…

— Mas eu te salvo e agente dá um jeito nesses zumbis e tal e tal, entendeu!?

— Obrigado por ajudar meu pai a se vingar desse feiticeiro…

— Está me ouvindo abre a boca que você vai ficar bem! — dizia o menino lutando para enfiar o remédio na boca de Poroso, mas ele o impedia com o seu resto de braço.

— Só me entristece, ver que esses zumbis vão consumir outras nações…

— Não vão nada! Agora tome isso! — gritava o menino em meio a lágrimas.

— Coragem!— disse Irae — Deixe-o ir…

Coragem se segura para não desabar de chorar em meios as lágrimas que já escorriam, e então príncipe Poroso para de respirar.

— Ele se foi… — disse Irae.

O menino começa a chorar copiosamente junto ao corpo de Poroso.

— Por que chora?!

— A morte é muito triste!

— Ele não era bondoso seu estúpido! Ele estava apenas pagando por seus pecados!

— Não importa! A morte continua sendo triste! Ainda mais de um guerreiro tão incrível como ele! — dizia o menino chorando muito.

— Pode chorar depois! Se levante e vá pegar o cristal para voltarmos!

Coragem soluçava de tanto chorar, mas ao ver os zumbis atacando o tiranossauro e o vencendo percebe que precisa sair dali.

— Dez metros a esquerda!

— Achei!— Coragem pega o cristal e em meios aos zumbis corre em direção do camarote do rei.

— Ficou louco?! Ative o cristal do necromante com sua energia!

— Não! Eu disse para o príncipe que os zumbis não iam invadir a outras nações e não vão!

Coragem corre e escala as raízes das árvores até chegar ao camarote do rei.

— Estamos cercados! Ative logo o cristal ou eu mesmo ativarei! — gritava Irae e agora o ambiente passando a esquentar muito.

— Espere um pouco!

Coragem revirava o luxuoso e espaçoso camarote real, ali havia de tudo, incluindo as apostas.

— Achei!

— O Rei Louco?

— O que vai fazer com isso?

— Apenas veja!

Coragem corre para a mureta do camarote e sobe encima e passa a concentrar suas energias no crânio e que agora passava a gargalhar:

—AhaHhaHAhahHAHhaHHAHahahHAhaHAhaHHahaha!!!!!!!!!!!!!!!!!!”

— Vai fazer ele rir até os zumbis morrerem?! Ficou louco?!

O crânio gargalhava cada vez mais alto e uma luz forte começava a brilhar dos seus olhos e boca.

— Não tenho força para tanto! Irae me ajuda com sua energia! — gritava o menino.

— Tsc…

Então, uma densa e pesada energia negra e vermelha saí da garrafa e entra pelas órbitas do crânio.

— Solte o crânio.

Coragem solta o crânio, que em meio a queda, materializa-se um corpo, uma armadura e uma espada gigante.

“Pown!!!”

HhhAHaHhAhaHaHhahahahaHaHhahahAHAHhaHaHaHhAhAhAHaHhahahahahahaHahhahAhAhahAhaHaHaHhahahahahAhAHAHAHhahahahaHhahahaha!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Sua gargalhada ecoava por toda parte, tão alto que Coragem teve até que tapar os ouvidos. O Rei louco, ergue sua espada gigante e em meio suas gargalhadas começa a matança infinita de zumbis.

— Isso até que é legal de se ver… — disse Irae — Mas olhe atrás de você!

E ao olhar para trás dezenas de répteis zumbis corriam com armas em punho em sua direção.

Coragem aperta o cristal e um portal se abre e Coragem salta dentro.

 


[Não esqueçam de comentar e recomendar]

[Leiam BEYOND? O Denn finalizou a novel!]

Ei, você gosta desta novel? Acha que tem pontos a se melhorar? Ou acha que o autor já conseguiu expor toda sua experiência com esta obra? Diz pra gente lá no novo site da Central Novels!

Noite de Halloween, A preciosidade da lótus: Capítulo 43
Noite de Halloween, O árduo caminho da Coragem: Capítulo 45