Noite de Halloween, A preciosidade da lótus: Capítulo 42

189
Noite de Halloween, A preciosidade da lótus: Capítulo 41
Noite de Halloween, A preciosidade da lótus: Capítulo 43

Autor: Allan | Revisão: Allan

Cap.42

Sangue e escudos parte 2.

— Não está passando senhor!

Príncipe Poroso estava agora na linha de defesa, em um braço estava seu escudo e no outro uma lança.

De sua tropa com dezenas dos melhores guerreiros deste reino e de outros, agora estavam reduzidos a 10 guerreiros em círculo que em breve cairiam para os imensos monstros.

— Najos deve ter feito algo! A droga já devia ter passado a quase 10 minutos! — rugia Poroso já estando em seus limites.

— O que faremos senhor?! — rugia uma serpente de quatro braços que era seu aliado.

Poroso olhava ao redor e via seus soldados em seus limites, os que tinham sobrevivido estavam ajoelhados com seus imensos escudos de casco de tartaruga segurando as criaturas fora do círculo, os soldados restantes estimulavam uns aos outros dizendo que logo eles iam dar o troco nas imensas feras, antes, conseguiam se defender e atacar, agora, apenas se defendiam dos pensados golpes e empurrões das imensas feras.

Poroso que era o líder da tropa, mesmo com todos os seus anos e anos de pesadas e infernais batalhas por todo o pântano, agora se via sem opções, seus imensos músculos estavam prestes a colapsar.

— Senhor! O que faremos!!!??? — gritou uma iguana humanóide que estava ao lado de Poroso também com um escudo.

Poroso olhou nos fundos dos olhos do seu soldado e sorriu.

— SOLDADOS!!! — rugiu o líder crocodilo. — Se hoje nós não sairmos daqui como os futuros governantes desta nação! NINGUÉM SAIRÁ!

E como último esforço príncipe Poroso se levanta e joga para trás três feras e com uma espada em sua outra mão investe contras as imensas feras. Os outros soldados ao verem seu príncipe lutando sozinho contra várias feras, fazem o mesmo pois agora sabiam que esta era sua última batalha.

Mas o inesperado acontece:

“BOOOOOOMMMMMMMMMMMMMM”

E depois:

“ROAAAAAAAAARRRRRRRRRRRRR!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!”

Uma fera ainda maior que as demais surge rodando sua marreta e acertando todos os monstros transformados.

— Mas o que?! —disse Poroso e no mesmo instante e justamente onde o maior número de feras estava, o gigante martelo passa, deixando apenas Poroso embasbacado.

—Ao ataque tartaruga de guerra!!! — gritava Coragem  encima da criatura com a espada brandida

“Roaaaaaaaaarrrrrrrrrrrrrrrr!!!!!!!!!”

Coragem estava montado na nuca de uma imensa tartaruga que com seu martelo varria as feras do campo de batalha.

Ao ver Coragem em cima da tartaruga e esmagando as feras, a platéia foi ao delírio, gritavam com todas as forças:

“Rggggggrrrrrr-Kruuuurr!!!!!”  “Rggggggrrrrrr-Kruuuurr!!!!!”  “Rggggggrrrrrr-Kruuuurr!!!!!”

Que significava “Domador de feras!”

Algumas feras vendo que a tartaruga era o mais perigoso se juntaram e lhe atacaram por todos os lados com mordidas, espadadas e etc. Mas seu casco era mais duro que aço e então rodou novamente seu martelo fazendo o pedaço das feras voar por toda parte.

Ao ver seus colegas sendo esmagados os dois maiores lutadores feras do time de Najos deixaram os soldados de Poroso e foram ao encontro de Coragem e sua tartaruga, um deles era uma espécie de sapo de olhar cruel com grandes músculos e o outro era um crocodilo baixo muito gordo mas igualmente musculoso.

Ao ver que os dois vinham ao seu encontro Coragem joga lama nos olhos dos dois e salta para longe da tartaruga, então os três começam uma pesada e estrondosa batalha.

— Ei você aí! — disse o menino.

Príncipe Poroso que se juntava com o que sobrara de seus soldados olhou para o menino que vinha com a espada erguida.

— Você tem uma coisa minha papo amarelo! — dizia o menino agora estando a poucos metros de Poroso e dos seus.

Poroso ficara sabendo que príncipe Najos tinha adicionado no seu time o lendário matador do Rei louco e ainda depois de ver o lendário guerreiro domando o maior peso-pesado do time de Najos e o usando em batalha o fez não querer o pequeno seja-lá-oque como seu inimigo.

Mas ao ver ele se aproximando e se aproximando, reparou que o menino mal batia em sua cintura e ainda por ter uma estranha pele branca e rosada, não viu perigo.

Quando um dos guardas de Poroso viu Coragem se aproximar demais investiu contra ele com um golpe de espada, mas o menino se esquivou pulando fazendo ele dar de cara em uma poça de lama.

— Ta ouvindo papo amarelo! Eu quero um cristal octogonal transparente que está com você e você vai me dar! — disse o menino agora estando bem na frente de Poroso com sua espada apontada para o queixo do crocodilo.

Poroso ficou olhando para a estranha criatura por um tempo e depois disse:

— O inimigo do meu inimigo é meu amigo, certo?

— Depende, me dê o que eu quero e podemos todos ser felizes.

— Me ajude a matar Najos e os que restam e eu lhe darei o que quer, trato feito?

Coragem pensou um pouco sem desviar o olhar dos olhos da criatura nem um segundo.

— Trato feito — disse o menino cuspindo na própria mão e esticando para Poroso que fez o mesmo e Coragem apertou a mão do réptil.

“Cláp- Cláp- Cláp”

Vinha príncipe Najos em sua forma bestial batendo palmas.

— Não era meu aliado matador do Rei louco?

Então todos que estavam em sã consciência e vivos ficaram surpresos.

—Como!? — rugiu Poroso.

Najos sorriu perfidamente e disse:

— Bem caro irmão… Você não foi o único a ganhar resistência a venenos… — disse o monstro serpente sorrindo ainda mais.

— Mas como? Isso é possível? — dizia Poroso começando a sentir a força de suas pernas faltar.

— Querido irmão… Enquanto você gastava sua mesada e os espólios das batalhas com bebedeiras e caridade, eu por outro lado, gastava cada centavo com poderosos xamãs para desenvolver novas drogas para meus guerreiros… E depois de muitas experiências e falhas, descobrimos que essa planta criada de certo modo e dosada aos poucos me daria controle a este modo monstruoso…

Ao ouvir as palavras de seu irmão, Poroso caiu de joelhos, sua esperança havia acabado, se o que Najos disse era verdade, então tudo estava condenado, não havia como lutar contra uma fera com tanto poder e ainda com a inteligência de Najos, a morte era certa.

— Levanta jacaré! — dizia Coragem chutando o crocodilo gigante.

O crocodilo não reagia, estava ajoelhado na lama apoiado em sua espada esperando a morte. Seus soldados ao verem seu intrépido líder na situação que estava, também desistiram.

— Abre a boca Jacaré! — dizia o menino escalando a criatura e tentando enfiar na boca da fera um frasco.

— Me deixe morrer criatura sem escamas! Não há esperança!

— Cale-se! E tome isso aqui! Pois se você morrer eu estarei com muitos problemas! — dizia o menino ainda tentando colocar a poção dentro da boca do crocodilo e sem tirar os olhos de Najos.

— O que aconteceu Coragem, o lendário matador do Rei Louco, não éramos aliados? — dizia a serpente sarcasticamente.

— Aliados, não tentam matar uns aos outros! — dizia o menino dando murros na boca de Poroso.

— Eu? Matar meu aliado? Hahaha.

— Príncipe se eu fosse você eu ficaria em silêncio, pois eu tenho um amigo que detesta traidores e pelo bem de todos nós e todo reino, peço para que fique em silêncio! — disse o menino lançando um olhar furioso para Najos.

Najos ao receber o olhar, ficou minimamente surpreso, mas pouco ligou e calmamente pegou uma espada do chão e serpenteando vinha na direção de Coragem e do Príncipe e matando dois soldados de Poroso que estavam no caminho.

— Anda Poroso reage! — dizia o menino sentado encima da boca do crocodilo e tentando a abrir.

Quando tem uma idéia.

— Talvez isso arda um pouco…

Então o menino pega a poção e encaixa no nariz do crocodilo e o tampa com o próprio corpo.

E em poucos segundos Poroso se levanta com força e abre a boca para respirar e joga o menino longe.

Poroso sente seu corpo ardendo por dentro, mas, ao mesmo tempo, sente suas forças voltando e suas feridas se fechando.

— O que? Está acontecendo? — dizia poroso de pé vendo seu corpo crescer e suas escamas ficarem mais grossas e mais pontudas.

— É o mesmo que príncipe Najos tomou só que mais forte! — gritava o menino se levantando da lama.

— Você é um curandeiro também!? E como você fez essas poções no meio do campo de batalha? — gritou Najos apertando o cabo da espada com força.

 

Coragem ignorou o príncipe Najos e foi até os guerreiros de Poroso que ainda estavam vivos.

— Não permitirei que fortaleça meus inimigos! — gritou Najos lançando sua espada contra Coragem, mas Poroso dá uma rabada na espada e protege o menino.

— A sua luta é comigo trapaceiro! — rugiu Poroso e correu em direção a Najos.

— Meus guerreiros matem Coragem! — gritou Najos apontando o dedo para o menino e logo depois levando um forte murro e um luta de monstros gigantes começa.

Haviam quatro guerreiros do lado de Príncipe Poroso ainda vivos e mais seis guerreiros ao de Príncipe Najos vivos.

Coragem corre e alcança o primeiro guerreiro de Poroso que era a serpente de 4 braços, diferente de Najos esse era da cor verde e ainda mais musculoso que Najos na sua forma normal.

— A sua situação é péssima! — gritava o menino colocando na boca da serpente a poção e ainda pingando uma outra poção amarelada diretamente sobre algumas feridas.

E quase no mesmo instante a serpente de 4 braços começa a ficar mais forte e maior, então empurra Coragem para o lado e se defende da mordida de uma espécie de Iguana monstro.

— Vá até os outros pequeno! — gritou a serpente, então sua calda o envolveu e o jogou ao lado do outro.

— Háhhhhhhhhh!!!!

E depois:

“Splash!!!”

Sem perder tempo Coragem se levanta do monte de lama e corre em direção do próximo guerreiro e ao olhar para o lado e a poucos metros, uma espécie de serpente aquática com guelras e membranas entre os dedos salta de uma poça de água e passa a correr atrás de Coragem tentando-o morder, mas o menino corre até um grande corpo de um crocodilo, bate os dois pé no corpo morto pegando impulso e investe um pouco abaixo da mordida da serpente, cravando sua espada bem no meio do coração da criatura.

“Roaaaaarrrrr!!!!!”

A criatura se ergue com o menino pendurado pela espada, Coragem apóia seus pés no peito do monstro e salta para trás com sua espada em mãos, mas recebe uma rabada que o joga longe.

Ainda zonzo, se levanta e continua a correr até os guerreiros de Poroso mas em sua frente surge um monstro sapo negro.

— Espera!!! — grita o menino.

O monstro para por um instante, mas quando o monstro pensa em continuar o ataque, um guerreiro de Poroso, sendo este um crocodilo albino aplica um mata-leão no monstro e os dois começam a se debater.

— Fique parado com a boca aberta!!!

O guerreiro que não era burro, com o resto de suas forças e com a metade do tamanho do monstro, passou a dar joelhadas e rabadas nas pernas do sapo o forçando a cair para o lado esquerdo e quando o sapo vacilou da perna esquerda a poção já estava na boca do guerreiro.

— Aquele jogo de jogar pedras nos zumbis até que serviu para alguma coisa! — disse o menino.

— Ei pequeno! Me jogue duas! — gritou um guerreiro sapo segurando um outro guerreiro sendo este um dragão de cômodo, ambos aliados de Poroso.

E novamente outro monstro surge na frente de Coragem e ruge:

“ROAAAAAAAAAAARRRRRRRRRRRRRRR!!!!!!!!!!!!!!!!!!!”

Era o crocodilo gordo que havia enfrentado a tartaruga de guerra, estava coberto de sangue mas ainda era muito perigoso.

Quando o guerreiro serpente com quatro braços se joga encima do crocodilo gordo e os dois começam a rolar no chão e trocar golpes e mordidas.

Sem perder tempo o menino chega até os dois e enfia na boca dos dois a poção e se afasta.

— Moleque, quero que você faça algo por mim. — disse Irae.


[Não esqueçam de comentar e recomendar]

[Leiam BEYOND? O Denn finalizou a novel!]

Ei, você gosta desta novel? Acha que tem pontos a se melhorar? Ou acha que o autor já conseguiu expor toda sua experiência com esta obra? Diz pra gente lá no novo site da Central Novels!

Noite de Halloween, A preciosidade da lótus: Capítulo 41
Noite de Halloween, A preciosidade da lótus: Capítulo 43