▲H.A.D.E.S: Capítulo 55

242
▲H.A.D.E.S: Capítulo 54
▲H.A.D.E.S: Capítulo 56

Aliados

Quando chegamos próximo ao restaurante um velho amigo estava me esperando.

-Ei velhote você parece está em boa forma.

Phellipe: Seu merdinha, você parece bem para alguém que foi dado como morto 2 vezes.

– Duas vezes?

Phellipe: A primeira foi quando você sumiu completamente do segundo andar, e a outra depois que Shim voltou do terceiro andar com sua arma e disse que você tinha morrido.

– Eu ainda tenho que matar aquele covarde.

Phellipe: Segundo alguns amigos meus ele não está em HADES mais, mas assim que eu souber do paradeiro dele eu te aviso.

-Obrigado!

Nesse momento phellipe se aproximou e pegou na minha mão e falou no meu ouvido:

– Eu te recomendo um banho antes do jantar, aqui esta a chave de uma suíte.

Droga depois de tanto tempo vivendo como um animal eu me esqueci do básico.

– Lana, Cecília eu preciso de 30 minutos antes do jantar, podem começar sem mim.

Lana: Não precisa se apresar nos encontraremos no restaurante em 1 hora.

– Tudo bem.

….

Armeiro: Veja esses dados de combate.

Mark: Eu vi e eles são incríveis, se criamos novas diretrizes com eles podemos criar um auxílio de combate ainda melhor.

Armeiro: Não estou falando dos movimentos e sim dos dados psicológicos.

Mark: Oh! O sistema mostra que com o tempo ele parou voluntariamente de usar as drogas do sistema, fazendo uso apenas quando a situação era grave, pelo menos ele não ficou dependente como temíamos.

Armeiro: Foi uma boa escolha encriptar a coleta de dados, mas confesso que as filmagens como e dados de sensores como nos outros P.E.A seria realmente uteis agora.

Mark: Nos devemos realmente pedir para que o Snow nos ajude a ficar aqui o quanto antes, pois o Gold deve fazer seu movimento em breve.

….

– Agradeço por me esperar.

Lana: Tudo bem, vamos fazer nosso pedido.

– Sim, claro.

O jantar prosseguiu suavemente, conversamos sobre o estado atual do mundo externo.

– Lana eu agradeço que você tenha ido me procurar, eu ate confesso que gosto de você, mas como as coisas vão ficar mais agitadas daqui pra frente eu tenho uma proposta.

Eu olhei para Lana que estava sem fala e continuei.

– Minha proposta e você e eu saímos de Hades e tentamos uma vida comum juntos.

Cecília: E o status de Rei?

– Naturalmente eu o passaria a outra pessoa.

Lana: Desculpe! Quando você se sacrificou para salvar minha vida eu confesso que eu achei que estava apaixonada por você, porem o tempo que levei para te encontrar, me mostrou que o que eu sentia não era amor e sim gratidão, pensando bem, nem mesmo nós conhecemos direito. Acho incrível que você esteja disposto a largar tudo por mim, mas se eu não posso aceitar a sua proposta.

….

Eu ainda estava deitado com os olhos abertos quando o Phellipe bateu na porta.

Phellipe: E ai como foi ontem?

– Eu não quero falar sobre isso.

Phellipe: Então vamos falar sobre Hades, o que vai acontecer a partir de agora?

– Oh! Nunca pensei que você estaria interessado nisso.

Phellipe: Além de esta preocupado com você,  durante esse tempo que esteve fora eu conheci novos camaradas e nos cuidamos um dos outros, então eu preciso saber se algo drástico vai acontecer.

– Não se preocupe tanto, nos ainda temos algum tempo, mas eu recomendo que vocês fiquem mais fortes, evoluam seus corpos, consigam habilidades, essa e a única forma de não ser pego desprevenido.

Phellipe: O inimigo é muito forte?

– A batalha que eu experimentei, me fez acreditar que não, mas sabendo de tudo o que sei agora, cheguei a conclusão que não devemos subestimar o inimigo.

Phellipe: Porque?

– Simples, essa guerra só vai terminar quando um dos lados perecerem. E se esse não for o suficiente para te convencer pense apenas do fato de que as Dugeons foram construída para nos ajudar a ficar forte para lutar essa guerra.

Phellipe: Eu entendo. E você o que você vai fazer?

– Eu tenho que conseguir Soulstones, mas os outros Reis não permitirão que eu entre em seus territórios de graça então eu devo fazer fazer alianças com eles. Isso foi o que o Guia me disse.

Phellipe: Entendo, quando eu vinha pra cá eu encontrei com o Mark Jaeger e o Armeiro ele esta lá embaixo te esperando.

– Droga, eu não estou planejando deixar esse quarto hoje, quando passar por eles os mande subir e diga para mandarem o café da manha também.

….

– Então boce quer dizer que esse tempo todo eu fui a sua cobaia particular e que o Gold não sabe sobre o modo Easy.

Mark: Sim.

Armeiro: Nos temos dados brutos que foram coletados, mas nenhuma imagem ou gravação de vídeo.

– Entendo, mas eu as vezes conversava com a Easy como se tivesse falando com qualquer outro.

Armeiro: Isso era a interface de apoio psicológico, construímos assim para ajudar os exploradores com base na personalidade do usuário, para que o dano psicológico fosse minimizado.

– Entendo, agora vocês não vieram ate aqui para falar apenas sobre isso.

Armeiro: Nossa situação aqui é delicada e estamos a ponto de sermos mandados embora de Hades pelo Gold, por isso precisamos de ajuda.

– Eu não entendi você não é o chefe dele?

E assim eu ouvi sobre como estava a situação do Mark.

– Bom eu tenho uma solução pra isso que ajuda vocês e me ajuda também.

Mark: E qual seria?

– A partir de hoje, você será meu porta voz dentro de Hades isso além de te ajudar vai me poupar um bom tempo e o armeiro vai ser o administrador da Câmara da Dugeon é claro eu ainda preciso de soulstones para reconfigurar ela.

Armeiro: Reconfigurar?

– É, eu quero transformar ela de forma que aumente o nível do treinamento e que passe a gerar soulstones e também vou abri-la para outras raças.

Mark: Espere! Como assim seu porta voz?

– Quem quiser falar comigo vai ter que passar por você antes. Aqui vou dar um guia especial a cada um, se precisarem falar comigo, podem fazer através deles.

Os dois na minha frente ficaram pensativos por algum momento, e depois de algumas dicas sobre como usar o Guia e suas vantagens, logo me agradeceram e saíram. Eu tomei o café enquanto tentava não pensar na noite de ontem.

▲H.A.D.E.S: Capítulo 54
▲H.A.D.E.S: Capítulo 56