▲H.A.D.E.S: Capítulo 14

291
▲H.A.D.E.S: Capítulo 13
▲H.A.D.E.S: Capítulo 15

🌞 Ative o Modo Noturno 🌚

       

●▬▬▬▬๑۩۩๑▬▬▬▬▬●

Demiurgo

A rede era pesada, mas foi facilmente cortada pela espada do rei goblin, eu levantei a guarda e esperei o próximo ataque, mas o ataque não veio, as criaturas que eram parecidas com humanos normais, porém eles tinham baixa estatura e músculos avantajados e no corpo deles havia alguns caroços pelo corpo, mas a fisiologia em geral lembrava alguém com nanismo.

Eles estavam olhando fixamente para a espada do rei goblin e depois de alguns momentos eles começaram a ser mover para o cadáver do monstro que eu havia matado e começaram a fazer barulhos como estivessem se comunicando.

Anão Um: . … … . -. — …- .- – — — .- – — ..- ..- — — –. .-. — … — –.. .. -. …. — ..–..

Anão Dois: .–. .- .-. . -.-. . –.- ..- . … .. — –..– -.. . –.- ..- .- .-.. –.- ..- . .-. ..-. — .-. — .- . .-.. . . … – .- … — –.. .. -. …. — –.- ..- .- .-.. –.- ..- . .-. — — …- .. — . -. – — -… .-. ..- … -.-. — . . ..- — . … — .- –. .- .-. . ..

-A análise das Criaturas Antropomórficas sugere grande força física, mas pouca agilidade.

-As células cancerígenas detectadas na epiderme das criaturas sugerem alguma doença congênita.

Havia cinco Anões enquanto dois arrancavam a espinha da criatura que eu havia matado, dois vigiavam os arredores e um me olhava fixamente. Os anões carregavam martelos pesados e dois deles carregavam escudos e machados de uma mão as armaduras e as armas pareciam fortes e resistentes, e dois deles carregavam grandes bolsas de couro.

Anão Um: …- .- — — … .-.. . …- .- .-. — -. — …- .- – — .- – . — — . .-. -.-. .- -.. — .-. -.. — .- -. -.. .- .-. –..– -.-. — — — ..- — .–. .- –. .- — . -. – — .–. . .-.. — .-.. — — – -.. — — –. .-. —

Anão Dois: … . . .-.. . -. — … .- – .-. .- … .- .-. .. .-. . — — … -.. . .. -..- .- -…- .-.. — .–. .- – .- – .-. … .-.-.-

Depois de armazenar a espinha da criatura em uma das bolsas de couro, cada um dos anões pegou uma caneca de sangue da criatura morta e bebeu, depois quando eles viraram as costas e iriam embora um deles acenou com a mão e fez um barulho e felizmente eu entendi esse movimento de mãos… ele estava me chamando para segui-los.

Algumas criaturas menores apareceram no caminho, mas a única digna de nota foi uma matilha com 5 lobos, o que me fez refletir que ao contrário do primeiro e segundo andar onde havia somente os goblins e os ratians, aqui parece existir um ecossistema completo.

Durante o caminho, observando a forma e a língua que os anões falavam eu comecei a adivinhar o significado por trás de algumas palavras, mas tentar replicar o som que eles faziam parecia um desafio impossível.

●▬▬▬▬๑۩۩๑▬▬▬▬▬●

O caminho todo eu tentei reunir informações sobre esse lugar, e eu descobri que estamos no subterrâneo apesar do sensores da Easy não alcançarem o limite de altura e tudo que eu vejo ao olhar para cima são algumas névoas, o clima é semelhante ao do segundo andar, com exceção de que desde a hora em que eu cheguei a luminosidade parece estar caindo pouco a pouco. Os anões parecem ter uma rota segura pois nenhum monstro como aquele que eu matei antes foi detectado pela Easy.

Em uma coisa eu tenho que admitir a Easy é realmente surpreendentemente boa em detectar inimigos, e se você ficar de frente ao inimigo por tempo suficiente ela pode até estimar os pontos fortes e fracos dos inimigos. Segundo a própria Easy quando ela acumular mais informações  de combate a estimativa pode ser ainda mais completa.

●▬▬▬▬๑۩۩๑▬▬▬▬▬●

Depois de quase um dia de caminhada aos poucos fomos nos aproximando  de uma área grande e sem vegetação, ao longe eu podia ver uma massa amontoada de coisas marrons e chegando mais perto eu descobri que eram tendas em um acampamento, eu vi outros anões, e eles eram na grande maioria bem parecidos, sendo bem sincero desde que eu me encontrei com os anões eu não larguei a espada e agora eu a apertei com ainda mais força, eu estava no território dos anões.

Mas ao contrário do que eu pensei os anões não pararam no acampamento, eles simplesmente passaram por ele e continuaram andando. Depois do acampamento chegamos a um lugar parecido com um bar na encosta de uma caverna depois desse local havia um outro acampamento com tendas brancas que davam um ar de luxo. Nesse “bar” que era cercado por um balcão estava um ser humanoide que tinha orelhas pontudas e olhos vermelhos e presas que quase não cabiam dentro da boca.

Depois de conversar com os anões que ao que parece venderam alguns materiais para ele em troca de Ouro o humanoide olhou pra min e disse:

-Um recém chegado terráqueo!  Você é o primeiro de sua raça a chegar nesse andar.

-Como sabe que eu sou o primeiro? Perguntei

Olhando para mim com um sorriso ele respondeu:

– A espada do herói em sua mão é o espólio dado a primeira pessoa da raça a passar pelos andares teste.

– Andares teste?

– Sim! No primeiro andar o objetivo principal é dominar toda a área, no segundo andar o primeiro objetivo é derrotar o Rei daquele andar.

-Quem colocou esses objetivos?

-Isso eu não posso dizer.

-Quem é você? E como fala a minha língua?

-Meu nome é Demiurgo, eu sou o Mercador  desse andar. Eu possuo informações sobre todas as raças que já vieram ou que possam vir a acessar esse andar, inclusive suas formas de comunicação.

-Me ajude a voltar para o primeiro andar.

-Para voltar para o andar teste você precisa encontrar uma joia de retorno ou negociar com um dos outros exploradores.

-Como é e onde eu encontro essa joia de retorno?

-Elas estão espalhadas por todo esse andar. Quanto a aparência delas é essa!

Demiurgo me mostrou um cristal verde e com um movimento de espada eu cortei em direção a sua mão, mas a lâmina só cortou o ar.

-Hahaha! Você é bem malvado, eu gosto disso então eu vou te dar um aviso, se me atacar novamente eu tenho permissão para matá-lo no local.

Isso não pareceu um aviso amigável, algo naqueles olhos vermelhos me disse que ele poderia me matar com facilidade se quisesse.

-Tudo bem eu troco a espada do rei…A espada do herói pela joia do retorno.

-Lamento, mas a espada do herói não vale nada para mim, mas eu posso vender a joia para você  por 500 ouros se tiver interessado.

Com um sorriso zombeteiro no rosto, ele não parecia lamentar

-500 Ouros não é muito? Perguntei.

-Oferta e demanda, veja bem todos aqui querem uma joia de retorno ou uma joia de progressão e até terem uma das duas eles também estão presos aqui.

-Joia de progressão?

– É a joia que permite você subir para o próximo nível sem matar o boss desse andar.

-Comida? Perguntei.

-Temos rações a partir de 10 Ouros.

-Merda! Existe algo de graça nesse lugar?

-Não, mas você pode fazer como a maioria e comer carne de monstro.

Lembrando dos anões perguntei:

-Armas e armaduras ?

-Você pode comprar ou tentar fazer você mesmo. Ele disse olhando para o acampamento dos anões.

-Os anões  que fizeram aquelas armas? Perguntei surpreso, eles não pareciam tão inteligentes.

-Sim, eles são bem habilidosos na forja.

-Merda! Ah! Você disse que não há nada de graça, mas você me deu muitas informações.

– Eu só fiz isso porque eu sou obrigado a informar algumas coisas ao primeiro da raça que chega aqui. Se não fosse por isso talvez muitos enlouqueceriam.

-Hum!!De quem são aquelas tendas luxuosas?

-São dos Elfos. Eles não são muitos amigáveis com pessoas desconhecidas.

-E aqueles? – Apontei para os acampamento dos anões.

-Os anões também são pouco amigáveis.

-Então por que eles me ajudaram?

-Provavelmente porque você também bebeu o sangue de um ogro.

Eu me lembrei de cada um dos anões bebendo o sangue da criatura,

-Então aquilo é um ogro, mas eu não… ah, sim eu bebi o sangue daquela coisa, mas eu posso entender porque eles beberam o sangue, afinal aquilo tinha um poder curativo insano.

-Sim, o poder curativo do ogro pode ser absorvido através do sangue e usando algumas partes é possível fazer poções de cura, mas os Elfos tratam os Anões como animais por causa dessa prática.

-Aos meus olhos os elfos são burros por ignorar uma fonte de cura como aquela.

-Não é só cura, ao ingerir eles também absorvem um pouco do poder natural do ogro, mas nem tudo são maravilhas e existem consequências desagradáveis também ao absorver demais.

– Os tumores!! Exclamei

-Isso mesmo! Os tumores são uma consequência direta do consumo exagerado de fluidos de ogro.

Merda eu bebi um monte de sangue.

-Easy, analise meu corpo e procure anormalidades.

-Hum!? Quem é Easy? Perguntou Demiurgo com curiosidade.

Sem dar atenção a ele eu esperei a análise da Easy.

▲H.A.D.E.S: Capítulo 13
▲H.A.D.E.S: Capítulo 15