Beyond? – Capítulo 75

661
Beyond? - Capítulo 74
Beyond? - Capítulo 76

🌞 Ative o Modo Noturno 🌚


Tradução: Denn | Revisão: Denn


O viajante

Ao rei e rainha de Quinn! Mãe! pai! Estamos indo bem aqui em Nict. As pessoas são um pouco estranhas na cabeça e, claro, são todas hereges, mas é muito importante que você não faça nada precipitado! O Nict atual pode ser ainda mais perigoso que o Império, mas parece que eles nos ignoram por enquanto e permanecem neutros. Achamos que é do nosso interesse se continuar assim.”

“Para alcançar esse objetivo, ficaremos aqui por um tempo para garantir que nada dê errado. Um dos discos de teletransporte de Nict chegará com a força de expedição de retorno. Nós seremos trazidos de volta por um de seus mágicos então. Não se preocupe, o disco é fortemente guardado dia e noite.”

“Atenciosamente, Giana e Leon.”

– Carta. 

*** Planícies do Leste, Vila Doi ***
*** Viajante ***

É bom estar aqui de vez em quando. Os nômades são pessoas simples e estar entre eles é relaxante. Eu ando pela aldeia que consiste em cabanas e barracas, mas algo é diferente este tempo. Os nômades que eu conheço serem pessoas orgulhosas e íntegras parecem cães espancados.

Há muitos homens em sua melhor idade na aldeia, o que é estranho, já que deveriam estar normalmente com sua caravana para reunir recursos. Eu paro na frente da maior tenda que pertence ao chefe desta tribo. Há um único guarda que está no meu caminho. Ele tem uma expressão que parece má e tenta me bloquear quando me aproximo, mas quando ele dá uma olhada debaixo do meu capuz, ele recua e se afasta.

Eu sorrio e entro na tenda enquanto removo meu capuz. Dentro eu encontro apenas um bando de velhos, sussurrando em silêncio um com o outro. Eles olham surpresos e, finalmente, o mais velho deles se levanta para me cumprimentar.

“Reverenciado ancião! Você voltou!”

Ele se aproxima e me abraça como uma criança abraçaria um pai amado.

batendo nos seus ombros, eu o afasto de mim e tento sorrir.

“Faz muito tempo que não te fiz uma visita. Como está meu filho? Ele está fora em uma caça, bancando o chefe novamente?”

As expressões do grupo reunido ficam perturbadas e todos eles ficam em silêncio. Finalmente o velho na minha frente decide falar.

“O chefe de honra da nossa tribo… morreu há uma semana.”

Ele lança os olhos para baixo com uma expressão triste.

Eu sinto meu olho esquerdo começando a se contorcer, então eu agarro seu colarinho e o levanto acima do chão antes que eu possa me conter.

“Como? Sua magia era poderosa e forte! Ele poderia ter vivido centenas de anos. Eu fiquei fora por meros doze anos!”

O velho começa a gaguejar algo sobre uma fortaleza aparecendo em suas terras e as tribos se reunindo para expulsar dois grupos de estrangeiros. Eu o coloco de volta no chão e ele se acalma um pouco, continuando a história do meu filho. O tolo queria aproveitar a chance para unificar seu povo. É um evento raro que todas as tribos se juntam para lutar contra um inimigo. Centenas de anos poderiam ter passado antes que outra chance se apresentasse.

Aparentemente, ele teve que lutar pela liderança com outro chefe poderoso, mas no final os chefes reunidos decidiram que aquele que os representaria na frente do inimigo estaria encarregado do seguinte grupo de invasores. O outro chefe recuou e meu filho foi ao encontro dos representantes de Nict, onde ele morreu e perdeu o punhal.

Depois, o chefe que lutou com ele pela liderança assumiu o controle e as tribos reunidas atacaram a fortaleza inimiga, que de repente começou a flutuar. Então incinerou os guerreiros com um único ataque.

Os sobreviventes restantes ficaram tão chocados que muitos simplesmente correram de volta para casa. Aqueles que não tinham perdido a cabeça foram reunidos pelo chefe adversário, então eles correram com um destino desconhecido.

Eu alcanço o ombro do velho e sorrio para ele.

“Mostre-me onde meu filho morreu.”

*** Cidade Livre do Estado de Nict, Capital ***
*** Azir ***

Há gritos saindo do quarto onde Stella está dando à luz… colocando ovos. Ela entrou em trabalho de parto há cerca de uma hora e eu imediatamente chamei os curandeiros, que foram prontamente respondidos pela última pessoa que eu queria ver.

Minha mãe praticamente invadiu minha casa, junto com minha família e meu inimigo mais temido. A curandeira pessoal do nosso clã, Laney.

Minha aversão por Laney é provavelmente irracional, já que ela parou de fazer experimentos em mim há muito tempo. Mas o jeito que ela olha para mim simplesmente me deixa arrepiada. É porque eu conheço essa expressão muito bem. É o mesmo que vejo quando encontro algo particularmente interessante para estudar.

Logo depois da minha própria família, Helen entrou com um grupo de curandeiros reais a reboque. Essa é a razão pela qual minha casa está subitamente cheia de pessoas, apesar do fato de estar no meio da noite.
Claro que Lucas, Sola e Xander tiveram que se juntar à festa também.

Outro grito vem além da porta do meu quarto. Felizmente eu não tenho que estar com ela, parece que dói muito. Pelo menos Helen e Valda estão ao seu lado. Parece que os homens não querem estar presentes quando uma mulher tem um momento de fraqueza completa.

Meu pai dá um tapinha no meu ombro.

“Não se preocupe filho. Os melhores curadores estão com ela, não haverá problema.”

Lucas acena com a cabeça e enxuga uma pérola de suor da testa.

“Isso me lembra do nascimento de Stella. Grande ovo, o curandeiro disse que era como pegar um projétil quando finalmente saiu.”

Eu chuto sua canela sem me segurar.

“Obrigado pela imagem horrível! Como posso tirar isso da minha cabeça agora?”

Lucas se ajoelha de dor, segurando as pernas.

“Está bem. Foi uma piada! Quem sabia que você estaria tão nervoso?”

Valeria me abraça do lado.

“Estou tão ansioso para vê-los!”

Ivy aparece da cozinha, equilibrando perfeitamente dois grandes pratos em suas mãos. Um está cheio de lanches e o outro com bebidas diferentes.

“Por favor, sirva-se, se algum dos mestres estiver com fome.”

Ela passa pelo grupo de pessoas até chegar a Sola e Xander, que tem a infelicidade de se distrair com sua roupa de empregada de corte profundo.

Seus olhos grudam no lugar errado por alguns segundos e a mão de Sola dispara com dois dedos apontados para os olhos. Acabou antes que alguém possa reagir.

Seu marido se contorce aos pés de Sola e chora em agonia. Ela pega a toalha no ombro de Ivy e limpa seus dois dedos ensanguentados.

Ivy está parada ali, chocada, olhando para a pilha de miséria que está rolando na frente dela.

“Ele estava apenas olhando. Essa ação foi realmente necessária? ”

Sola bufa e inspeciona Ivy com muito cuidado.

“Serva, ouça atentamente. Eu não vou repetir. É muito fácil para uma mulher pegar um homem, o problema é manter o cara longe de outros abutres e treiná-lo adequadamente. Uma vez que você permita que ele ofereça outras mulheres a sua companhia, você pode deixá-lo fode-las o quanto quiserem. Ele deveria ter pelo menos a decência de disfarçar com uma certa quantidade de sigilo.

[Denn – O que ela quis dizer aqui é que uma vez que você deixa o homem dar moral pra outra mulher que não seja a mulher dele, você pode desistir dele, pois ele vai ir pra cama com qualquer uma que aparecem além da própria mulher… por isso ela furou os olhos dele kkkkk]

Ela coloca a toalha de volta no ombro de Ivy.

“Uma vez que um homem tira a roupa de outras mulheres com seus olhos de maneira tão óbvia, ao mesmo tempo em que está ao lado de sua esposa, é necessária uma certa quantidade de punição. E Xander é um Eddin, isso é apenas um arranhão para ele.

Ivy assente em admiração como um grande segredo foi revelado a ela.

Xander rasteja de joelhos com sangue escorrendo dos olhos. Eles parecem inchados e estão vermelhos, é bastante perturbador ver seus olhos se regenerando, mas por outro lado ele parece estar bem. Ele se aproxima de Sola e a abraça ao redor de sua cintura.

“Desculpa querida! Eu falhei com você. Não fique com raiva, eu não tive nenhum segundo pensamento, apenas aconteceu.”

Sola suspira e dá um tapinha na cabeça dele.

“Não se preocupe. Eu não estou brava. É só não despir outras mulheres com os olhos bem? Parece que não sou o suficiente.”

Deuses, eu espero que eu nunca caia tão fundo… embora seja sua própria culpa de uma maneira distorcida.

Apenas nesse momento a porta do meu quarto se abre e Stella sai com dois grandes ovos pressionados em cada uma de suas bochechas. Ela ainda está usando o vestido largo que se encaixa em torno de sua barriga anteriormente grávida. Agora parece mais uma bolsa.

“Olha, Azir! Não são lindos?”

Ela corre para o meu lado e segura os ovos como se fossem uma criação perfeita. Um deles é castanho claro com manchas. O outro tem um tom mais escuro e é manchado com a cor dourada do milho seco.

Eu sorrio e pego um dos ovos dela.

“Eles realmente são maravilhosos.”

Imagine o quanto um ovo mexido pode ser feito de um desses! O embrião dentro do ovo começa freneticamente batendo na casca, provavelmente a coisa assustadora leu minha mente!

“Estou segurando errado?”

Stella suspira e pega o ovo de volta.

“Você acabou de pensar em algo moralmente errado!”

Balançando a cabeça com veemência, nego a acusação.

“Totalmente negativo! Deixe-me tentar o outro.”

Eu pego o outro ovo de Stella e nada acontece.

“Viu? O outro é apenas um covarde, só isso.”

“Deixe-me segurá-lo também!”

Valeria pega o ovo de mim, o que causa uma batida frenética por dentro. Derrotada, ela devolve e resmunga.

“Eles são muito perspicazes nessa idade.”

Helen e Valda se juntam a nós enquanto os curandeiros saem imediatamente. Apenas Laney fica e se aproxima de mim.

“Você sabe. Ter suas duas linhagens cruzadas é um evento histórico, olhando para trás na história. Isso não aconteceu com frequência e nunca entre dois indivíduos fortes. Posso pegar algumas amostras quando elas tiverem idade suficiente?”

“Não!”

Eu instintivamente protejo o ovo dela.

“Meus filhos não são seus brinquedos. Você não pode mexer neles com seus instrumentos!”

Laney se vira para Stella, mas não recebe nenhum apoio dela.

“Pergunte novamente quando forem mais velhos.”

Nós transportamos os ovos para a mesa na sala de estar, onde eu já preparei duas câmaras de incubação. Desta vez, elas são as versões atualizadas e são camufladas como cestas limpas com uma cúpula de vidro no topo. No entanto, os ovos têm que suportar a inspeção de todos até que a casa esteja finalmente limpa de visitantes. É tarde da noite depois de tudo e todo mundo está cansado.

Apenas Ivy permanece por mais algum tempo na mesa para inspecionar os ovos.

“Talvez eu tente isso também… mas apenas para fins científicos…”

Ela se curva para nós e se retira para seus próprios aposentos.

“Será que… ela só…”

Eu aponto para a porta onde ela desapareceu e viro para Stella.

“Ela pode fazer isso?”

Stella encolhe os ombros.

“De acordo com meu julgamento, ela está totalmente funcional. Não se preocupe, ela fará um trabalho maravilhoso como pai ou mãe. Ela começou a estudar psicologia e sistemas sociais na universidade.”

Acho que nem perguntei como Stella está se sentindo.

“E você? Tudo bem?”

Stella sorri e liga os braços comigo.

“Claro. O Eddin me consertou perfeitamente. Estou de volta à minha melhor forma!”

Então ela me puxa na frente dos dois ovos e começa a mexer nas configurações.

“Agora, a única coisa que resta a fazer é decidir o que queremos. Dois meninos, duas meninas ou um de cada um?”

“Podemos escolher?”

Eu levanto uma sobrancelha e olho para ela com uma expressão conflituosa.

“Eu pensei que isso é a mãe natureza?”

Stella olha para mim sem fala por alguns instantes.

“Eu pensei que você estudou o livro ‘Como cuidar de um ovo’? Você não leu o primeiro capítulo ‘Deitado e decidindo’?”

Eu começo a mexer com meus dedos e evito meus olhos de seu olhar.

“Quando eu tive que cuidar do ovo, ele já estava deitado, então eu meio que… pulei esse capítulo. E quando você estava grávida eu procurei apenas as coisas que são importantes durante a gravidez.”

Stella bate na testa e suspira.

“OK. O gênero de um embrião dentro do ovo não é decidido. As primeiras três semanas são importantes. Durante esse tempo, eles desenvolvem muito mais rápido. Quarenta e três graus encorajam o embrião a se transformar em uma fêmea, trinta e oito ponto nove graus favorecem o gênero masculino. Normalmente as mulheres escolhem seus filhos para se tornarem mulheres, já que as meninas têm uma chance maior de herdar a linhagem mágica. Embora isso seja só se o pai não for um forte mago.”

Ela puxa minha bochecha.

“Mas já que somos ambos mágicos muito fortes, não há problema em ter meninos. Eles certamente vai ser tão forte quanto você.”

“Tudo bem? Então que tal um menino e uma menina? Se eles são gêmeos idênticos, então evitamos qualquer possibilidade de confusão.”

Eu gesticulo para os dois ovos na nossa frente.

Stella suspira.

“Você é o único no mundo que pensaria em algo assim.”

Ela se inclina para frente para programar as câmaras.

“Espere um momento!”

Eu gesticulo para ela esperar.

“Essa é a menina!”

Eu aponto para o ovo que é visto de ouro.

Stella franze a testa.

“Por que esse? Existe alguma diferença entre os dois? Eles são ambos fofos.”

Eu aceno.

“Há uma enorme diferença. Essa é a que não gostou de mim. A garota é sua responsabilidade!”

Eu meio que gosto desse desenvolvimento.

Ela suspira novamente e insere os valores corretos nos dispositivos.

“Eu não tenho nenhum problema com isso desde que decidi deixar a escolha para você, mas acho que você está cometendo um erro.”

“Como assim?”

A minha lógica está com defeito? Eu não posso ver onde eu errei.

Stella sacode a cabeça e sorri.

“Chame de instinto maternal. Parece que o dourado tem mais temperamento.”

Eu tento pensar nas implicações, mas Stella me distrai desabotoando o vestido enquanto lambe os lábios e me olha cheia de desejo. Ela cai no chão e a revela em toda a sua glória nua.

“Eu te amo.”

Ela pega meu robe no meu peito e me puxa para me beijar. Sua perna esquerda vagueia ao meu redor e ela se puxa para cima, seguida pela perna direita.

Minhas mãos automaticamente a apoiam enquanto ela cruza os braços em volta da minha cabeça. Sua língua na minha boca me deixa quase louco e me impede de respirar. Finalmente ela recua para respirar e eu uso a chance de fazer uma pergunta.

“E a razão para esta proposta repentina é?”

Ela franze os lábios.

“Setenta e quatro dias! Isso não toca algum sininho? Não me diga que você não se importou com isso!”

Oooh… Para ser honesta, seu temperamento nem sequer permitiu que o pensamento a deitasse. Se ela me quebrou enquanto eu estou sem magia de cura, o resultado poderia ter sido ruim.

Stella começa a mover seus quadris contra os meus e sussurra em meu ouvido.

“Eu gostaria de tentar algumas coisas do espelho de memória.”

“Isso é uma boa ideia!”

Eu me viro e cambaleio com ela em meus braços para fora do quarto.


[Não esqueçam de comentar e recomendar]

[Não esqueçam de se INSCREVER NO CANAL e acompanhar nossos vídeos]

Ei, você gosta desta novel? Acha que tem pontos a se melhorar? Ou acha que o autor já conseguiu expor toda sua experiência com esta obra? Diz pra gente lá no novo site da Central Novels!

Beyond? - Capítulo 74
Beyond? - Capítulo 76