Thriller Paradise – Capítulo 12: Vamos jogar um jogo (3) 

89

Tradução: Denn | Revisão: Barão


“Oh, esse velho truque poderia se aplicar às jogadoras que estão cheias de maternidade. Talvez funcionasse.” 

Feng Bujue levantou os olhos do artigo e olhou para o jovem macaco na gaiola. 

“Bem, se necessário, mesmo na vida real, eu faria isso sem qualquer hesitação, muito menos um jogo!” 

Ele colocou o jornal no chão, não parecia mais interessado nele. 

“Mas se repetir o peso exato, deve haver uma dica.” 

Ele caminhou em direção à máquina e se agachou para observar atentamente. Então, ele deu a volta uma vez, bateu a mão na capa e chutou duas vezes. 

Aparentemente, a capa da máquina não era apenas uma camada de ferro, mas uma camada sólida. Os parafusos foram instalados firmemente para que não pudessem ser removidos apenas com as mãos nuas. Além disso, uma pessoa não poderia movê-lo com toda a sua força. 

Não havia rachadura visível na superfície da máquina. A balança também parecia difícil. Seria inútil desperdiçar três minutos procurando por algumas dicas. 

Feng Bujue tentou sacudir a jaula enquanto segurava o jovem macaco várias vezes para ver se ela estava firmemente presa ao chão. 

Ele andou pela sala e, além da parede, não havia mais nada. 

Ele então voltou para o meio da sala, levantou a boneca e tentou se sentar na cadeira. Como era tão pequeno, Feng Bujue agora parecia estar agachado no chão. 

“Se eu quiser sair desta sala sem matar o macaco… além da cadeira e da boneca, que são 7,5 quilos, preciso encontrar algo que pesa mais sete quilos.” 

Ele apoiou a mão direita no joelho, inclinou a cabeça e bateu na testa com os dedos indicador e médio. 

“O walkman tem um quilograma no máximo. Não é preciso mencionar a seringa. O sistema não deixa tirar minhas roupas ou sapatos. Cara, sinto falta da pedra agora. Pelo menos pesa um ou dois quilos.” 

Ele começou a rir. “Então, há apenas uma coisa que eu poderia tocar nesta sala.” 

Feng Bujue levantou a cabeça e olhou para a luz no teto. 

Era uma luz fluorescente. O tubo tinha cerca de um metro de comprimento, fixado a um suporte de plástico e pendurado por duas cordas. Fios estavam enrolados em torno dessas duas cordas. 

O teto dessa sala era muito mais baixo do que o do lado de fora. Ainda assim, a cerca de quatro metros do chão. Embora a luz do tubo não estivesse pendurada perto do teto, estava fora do alcance de Feng Bujue. 

Feng Bujue levantou-se, pisou na cadeira de madeira e tentou alcançá-la. Seus dedos estavam a cerca de 10 centímetros do tubo; essa distância não era curta ou longa, mas era o suficiente para impedir que as pessoas tocassem o tubo. A cadeira era tão pequena; mal havia espaço entre os pés para ele pular e agarrar o objeto. 

O tempo estava se esgotando. Feng Bujue tinha 73 segundos restantes. 

Ele verificou a distância e se virou para olhar o relógio, depois riu e murmurou: “É difícil no começo. Eu gosto!” 

Depois de estimar as coisas, Feng Bujue olhou de novo para a boneca. Parecia que ele finalmente encontrara uma solução. Enquanto corria para a boneca, tirou o terno preto e pisou novamente na cadeira. 

Feng Bujue agora segurou o terno pela manga com a mão esquerda e jogou lá em cima. 

Embora o tecido do tamanho de uma criança fosse pequeno, era o suficiente para se enrolar no tubo. Feng Bujue levantou a mão direita para pegar a manga que ele acabou de lançar sobre a luz. 

O traje parecia um par de rédeas na boca do cavalo. Feng Bujue segurou firmemente as duas mangas e puxou. Uma corda quebrou. 

Uma extremidade do tubo estava afundada, e a outra extremidade estava pendurada ali como uma salsicha balançando no teto. 

Agora, Feng Bujue poderia pegar o tubo diretamente. Como os três lados do tubo estavam cobertos por material plástico, ele não se preocupou em quebrá-lo com o aperto firme. A sala estava mergulhada na escuridão, perdendo a única fonte de luz. No entanto, não foi difícil segurar a luz pendurada na frente dele. Ele então puxou com um pouco de força para quebrar a outra corda. Agora, ele tinha a lâmpada fluorescente de um metro com o suporte de plástico. 

Feng Bujue ainda estava contando o tempo enquanto ele estava levando a luz. Havia cerca de 35 segundos restantes agora. No escuro, a máquina ainda estava funcionando. Ele não se apressou em chegar à fonte do som de funcionamento mecânico, mas cuidadosamente desceu da cadeira, usando o pé para procurar a boneca no chão. Depois de memorizar as localizações desses dois objetos, ele contou o número de passos enquanto caminhava até a máquina. 

Quando ele chegou perto da máquina, tudo ficou simples. Ele poderia usar o barulho para localizar o buraco. Feng Bujue manteve a cabeça para trás enquanto colocava a luz do tubo no buraco. As engrenagens começaram a esmagar a luz do tubo e deixar os pedaços caírem pela fenda. Havia alguns pedaços de vidro que se espalharam durante o processo; como Feng Bujue estava bem preparado, ele não se machucou. 

Quando três quartos do tubo entraram na máquina, Feng Bujue a soltou e girou para a direção anterior. Ele contou seus passos enquanto caminhava no escuro. 

Além disso, ele tentou controlar seus passos para não chutar as coisas que queria. Se o fizesse, ele não teria tempo para procurá-los no escuro. 

Como ele havia estimado, ele tocou a boneca no chão depois de dez passos. O tempo estava se esgotando. Feng Bujue se agachou e pegou a boneca com uma das mãos, enquanto a outra mão segurava a cadeira. Desta vez, seus passos foram mais longos, pois ele não precisava calcular a distância. Levou apenas alguns segundos para jogar a boneca no buraco. 

O encosto da cadeira era maior que o diâmetro do buraco. Feng Bujue aprendeu isso antes e sempre se lembrava disso. Se ele não tivesse considerado isso, ele teria encontrado a cadeira presa no buraco. Feng Bujue, claro, não cometeria um erro tão bobo. Nunca antes. Ele já havia calculado todas as coisas que ele precisava fazer no escuro antes de acender a luz. 

Enquanto a máquina estava moendo a boneca, ele agarrou a cadeira pelo encosto e pisou nela para deformá-la. Economizaria tempo ao colocar a cadeira no buraco. 

O relógio de contagem regressiva estava passando nos últimos cinco segundos. A cadeira de madeira deformada passava suavemente pela máquina. Depois de três segundos, o som estrondoso da máquina parou. O quarto estava escuro e Feng Bujue não conseguia ver a balança e o relógio agora. Ele não sabia se havia colocado o suficiente dos 15 quilos necessários na máquina ou se o tempo acabou, então a máquina teve que parar. 

Nos segundos seguintes, o tempo passava interminavelmente e dolorosamente. Nada aconteceu. O coração de Feng Bujue afundou-se gradualmente. O peso do tubo não era o suficiente? Na realidade, esse tipo de lâmpada fluorescente e seu suporte podem não ser tão pesados quanto 7,5 kg. No entanto, quando ele os segurou, ele pôde sentir claramente que eles eram mais pesados que o normal. Ele pensou que o jogo os tinha projetado dessa maneira. Seria um erro na lógica do quebra-cabeça e que a única maneira de sair desse lugar era matar o macaco? 

No entanto, suas dúvidas desapareceram depois que um som estranho ecoou. Então, a porta que leva ao próximo quarto se abriu. Parecia que o tempo total que a máquina levou para reagir foi de 10 segundos. 

Um feixe de luz brilhou através da fenda, assim como anunciava que o jogo ainda continuava. 

Ei, você gosta desta novel? Acha que tem pontos a se melhorar? Ou acha que o autor já conseguiu expor toda sua experiência com esta obra? Diz pra gente lá no novo site da Central Novels!