Reborn: Evolving From Nothing – Capítulo 20

947
Reborn: Evolving From Nothing - Capítulo 19
Reborn: Evolving From Nothing - Capítulo 21

Ative o Modo Noturno

       

Tradução: Denn | Revisão: The Careca


Alto

O ar correu contra suas asas como a água fluindo em um rio rápido. Rápido, áspero, mas ao mesmo tempo de uma forma maravilhoso e bonito. Correntes desconhecidas moviam-se de diferentes maneiras, puxando e puxando.

Dorian riu em alegria quando subiu no céu, olhando para o mundo abaixo.

O mar de folhas se movia com a brisa, parecendo quente e confortável sob a luz calma da tarde.

“Uau!”

Seu único pensamento era a pura e incrível sensação de voar pelo ar.

Ele não estava realmente voando, é claro. Ele estava apenas planando, usando suas asas para manter a gravidade sob controle. O Dragão Myyr não era capaz de voar. Ele também não se atreveu a praticar isso nas montanhas, onde as feras de Classe Grande Mestre se encontravam.

De acordo com William, quase todas as feras de Classe Grande Mestre viveriam em regiões montanhosas ou áreas especiais com alta concentração de Ervas Mágicas. As Montanhas Nebra, como Dorian descobriu que eram chamadas, foram um excelente exemplo dessas regiões montanhosas.

As florestas, como a Floresta dos Mil Carvalhos, que não apenas cercavam as Montanhas Nebra, mas estendiam-se para o sul, eram povoadas por feras perigosas, mas geralmente apenas limitadas a Classe Mestre.

Dorian havia aprendido um pouco mais sobre as verdadeiras divisões entre as classes com William, em sua longa conversa. Enquanto Ausra tinha uma enorme quantidade de informação em relação às espécies e tipos de criaturas, o gênio não era muito informado sobre o mundo em si.

A razão pela qual Dorian não tinha visto nenhuma fera de Classe Lorde, a Classe acima do Grande Mestre, era devido a sua extrema raridade.

As feras de Classe Lorde na natureza eram uma ocorrência excessivamente incomum.

Quase todos os animais da Classe Lorde, nos 30.000 mundos, originaram-se de clãs inteligentes. O Classe Lorde Dragão Negro Lamacento, Hydra… existiam várias espécies que tinham a capacidade de crescer até a Classe Lorde, embora alcançar essa Classe não fosse uma garantia, mesmo com a linhagem correta.

Esses clãs tendiam a se agrupar, e assim, quando uma fera entrava na Classe Lorde, eles o “guardavam” dentro do clã, ou em terras controladas pelo dito clã.

As leis deste universo, de acordo com Ausra, fizeram com que fosse possível, embora raro, que uma fera sofresse mutações ao nascer com linhagens sanguíneas raras ou poderosas, as quais possuíam vestígios de sua linhagem original. Isso parecia acontecer com mais frequência quando se vivia em uma área onde cresciam Ervas Mágicas, uma das misteriosas leis da existência.

Pelo menos algumas das feras de Classe Grande Mestre que Dorian tinha visto provavelmente haviam surgido como resultado disso. Uma fera mutante que ganhou uma linhagem de um ser de Classe Lorde era teoricamente possível, mas extremamente rara.

Isso jogou um pouco de água fria nos planos de Dorian para crescer mais forte.

Se as linhagens de Classe Lorde fossem tão raras, era improvável que ele conseguisse encontrar até um traço de uma em uma fera comum. Era possível que ele encontrasse traços em feras Grande Mestre mais fortes ou mais poderosas. Mas esse traço seria suficiente para trabalhar? Ou seria degradado como a linhagem do Dragão Myyr?

Não era como se ele fosse capaz de caçar rebanhos da mesma fera de Classe Grande Mestre, até onde ele pudesse dizer. Ele nunca tinha visto mais do que um do mesmo tipo de animal da Classe Grande Mestre.

Quanto mais forte for sua Classe ou linhagem, mais difícil será conceber uma criança. Era possível que ele pudesse encontrar uma fera que tivesse uma companheira da mesma raça, mas uma família inteira?

Algumas feras de Classe Grande Mestre possuíam um traço de inteligência e algumas até mesmo eram autoconscientes e inteligentes, embora nenhuma que ele tenha visto até agora. Ele traçou a linha de caça de uma criatura assim, mesmo que fosse para ficar mais forte. Se ele fosse atacado, então ele se defenderia e iria até lá, mas por outro lado…

Dorian guardou esses pensamentos de sua mente enquanto se concentrava em seu voo planado para frente. Ele esticou os músculos de suas asas, batendo com força para manter a maior altura possível enquanto deslizava para frente.

Gradualmente, ele estava se aproximando da copa das folhas.

Observando-se lentamente descer, pairando sobre as copas das árvores, era incrível para Dorian. Ele havia estudado Engenharia Aeroespacial como estudante universitário e sabia bastante sobre a matemática e a física de como o voo funcionava.

Mas e experimentar ele mesmo através de seu próprio corpo?

Não havia como sentir isso no mundo antigo.

O controle de suas asas, o movimento de seu corpo em vôo, tudo veio naturalmente para ele.

Ele cuidadosamente se guiou para uma pequena abertura entre um par de árvores grandes, controlando seu corpo com precisão. Ele conseguiu navegar através da brecha nas folhas sem nenhum problema, deslizando na floresta.

“GRAAAWWWRR!”

No instante em que ele ficou sob a cobertura de árvores, Dorian teve a infelicidade de encontrar imediatamente uma fera.

Ele parou à força o seu vôo, parando e batendo com força no chão enquanto olhava para o animal enorme à sua frente, com os olhos estreitos.

Ele havia pousado no meio da floresta, em uma pequena seção elevada. Árvores pontilhavam por toda parte, gradualmente obscurecendo sua visão.

Bem na frente dele, logo abaixo, havia uma grande criatura de 2 metros e meio de altura que parecia um touro com pele verde escura. Um par de presas brancas firmes saíam de sua boca brutal, com olhos redondos encarando-o. Ele pisou várias vezes no chão, com seus músculos rolando.

“Olá.”

Ele disse em voz alta, olhando para a criatura em consternação.

“Ausra?”

Ele perguntou mentalmente, continuando a estudar o javali.

“Um javali da floresta. Criatura poderosa valorizada por seus chifres duros e carne deliciosa. Seu crescimento máximo o coloca no meio da Classe Céu.”

Uma resposta legal soou em sua cabeça.

Dorian encolheu os ombros, a minúscula parte de preocupação em seu coração desapareceu. Seu corpo atual, agora, estava no estágio inicial da Classe Mestre. Embora ele não tenha os instintos de luta de um Dragão Myyr, Dorian podia sentir os músculos densos e ondulados e as escamas grossas que ele agora possuía. Ele se perguntou o quanto mais forte ele seria na Classe Grande Mestre.

“Grrr…”

O Javali deu um grunhido mais quieto, seu corpo tremeu.

Ele olhou para baixo da pequena colina em que estava balançando a cabeça.

“Acabou, Javali da Floresta. Eu tenho o terreno alto.”

Ele sacudiu as garras, seus olhos emitiram um brilho ameaçador.

“GRAAAWWRR!”

O javali o ignorou e atacou, com as presas apontadas para o peito. Cada passo que dava levantava terra e pedra, subindo a pequena colina.

Os olhos de Dorian se diluíram em fendas quando ele respirou fundo. Ele sentiu uma sensação de calor dentro de seu corpo enquanto ativava a habilidade que acabara de aprender. Demorou apenas uma fração de segundo para um vasto número de símbolos em sua alma explodir de sua Matriz de Feitiços da Alma.

Depois dessa fração de segundo, uma poderosa cascata de chamas verdes brilhantes explodiu de sua boca, queimando diretamente em direção ao Javali da Floresta. Essas chamas queimavam com um brilho único, surgindo como uma cachoeira irrefreável.

Enquanto Dorian os soltava, ele notou que enquanto ele podia ver as chamas queimando no ar, o calor que as chamas emitiam não parecia ter muito efeito sobre ele. A habilidade que ele estava usando parecia não apenas criar essas chamas poderosas, mas também protegê-lo delas.

Ele abruptamente fechou a boca, cancelando a habilidade enquanto sentia seu dreno sobre ele. Cada habilidade que ele usava, como toda magia que um Mago conjura, criaria um desgaste físico e mental, no corpo e na alma. Usar muitas habilidades de uma vez pode causar colapso e até mesmo se danificar fisicamente, quando não se tem o corpo forte o suficiente para aguentar a carga.

*WHOOSH*

*BAQUE*

O Javali da Floresta caiu no chão, assado por completo. Seu corpo inteiro estava queimado, cozido direto no núcleo. As Chamas Esmeralda Menor que Dorian havia usado eram potentes, com a força para assar diretamente uma fera da Classe Céu em um único golpe.

Ele piscou com força ao considerar isso. Habilidades, ao que parece, eram ferramentas extremamente valiosas para se ter.

Agora ele tinha duas. Sua habilidade Garras Flamejantes da Salamandra Vermelha e suas Chamas Esmeralda Menor do Dragão Myyr.

Enquanto ele continuar a evoluir, tendo mais e mais formas, ele ganharia mais e mais habilidades. Um sorriso apareceu em seu rosto quando ele percebeu isso.

Mesmo que não conseguisse encontrar facilmente uma linhagem de Classe Lorde, isso não significava que ele não poderia ficar mais forte.

Um cheiro hipnotizante interrompeu seus pensamentos.

Ele olhou para baixo, olhando para o javali assado.

O delicioso aroma de carne cozida estava subindo pelo nariz, a gordura e os músculos do corpo do javali esperavam para serem devorados. Já que ele tinha cozinhado completamente, ele tristemente percebeu que não seria capaz de absorver sua linhagem, embora ele não estivesse planejando isso.

Seu estômago roncou, e Dorian percebeu que não tinha comido nada hoje, não depois de tentar comer aquele cervo assado, e depois ser rudemente interrompido.

Ele sorriu. Parecia que ele iria comer carne assada hoje, no final. Ele caminhou até o javali e cortou várias partes escolhidas, colocando algumas delas na bolsa espacial que ele havia amarrado no pescoço.

Ele então se virou para o sul, seu senso inato de direção o guiava. Ele então seguiu em frente e continuou seu caminho, mastigando uma perna de javali assada enquanto ele corria pela floresta, dançando um pouco com o delicioso sabor do javali cozido.

¤¤¤

“Eu deveria pensar em Magia da Luz… como um Caminho da Luz?”

William coçou a cabeça ante o pensamento, sua mente concentrou-se em desembalar a herança de magia que o estimado Mago lhe deixara.

Ele estava mais do que na metade do caminho de volta à cidade Yor, voando alto sobre a floresta abaixo. Ele decidiu olhar para a magia que herdara, tentando entender.

O processo de pensamento do Mago, no entanto, era extremamente complexo. Em vez de um método ortodoxo de estudar magia, concentrando-se em aprender um feitiço de cada vez, avançando cuidadosamente a cada passo, o Mago de Classe Angelical, Horhavil Candor, tratou-o como se estivesse entendendo como a própria Magia da Luz funcionava. Ele se afastou da memorização simples, e foi mais para a parte de entender os padrões e símbolos que representavam a Magia da Luz, e os conceitos por trás deles.

Era um nível alto demais para que William entendesse de verdade, mas isso o deixou impressionado! Impressionado e pequeno… O universo era muito maior do que ele e sua compreensão era muito insignificante.

Ele continuou a rever a estranha Magia da Luz, tornando-se cada vez mais interessado. Gradualmente, ele começou a se concentrar no primeiro feitiço: “Magia da Luz: Toque de Cura”. Era um feitiço que se concentrava em curar outro indivíduo, retirando a energia do ar ao seu redor.

A Magia da Luz tinha poderosos feitiços de cura e poderosas capacidades destrutivas. Sua única fraqueza era a falta de poderosos feitiços defensivos. Tinha alguns, mas em um nível mais alto faltava em comparação com outros ramos da magia.

Ele estava no meio do pensamento, jogando estes conceitos em sua cabeça, quando um barulho alto e triturante o interrompeu. Um segundo depois seu navio de madeira parou, quase derrubando-o quando ele tropeçou para frente.

William levantou a cabeça, com olhos arregalados de surpresa. Ele levantou as mãos para frente e se preparou para lançar um feitiço, seu corpo estava tenso.

Um momento depois, ele os abaixou, reconhecendo o que havia diante dele.

O familiar navio transparente que ele tinha originalmente utilizado para ir as Montanhas Nebra, do Mago Real Aymon. Várias correntes flutuantes e transparentes haviam se prendido em seu navio de madeira, travando-o no lugar. Ele mentalmente se repreendeu por ter perdido um navio tão óbvio se aproximando dele. Estar perdido em pensamentos como esse era perigoso.

“Ave, jovem mago! Você está bem?”

Uma voz gritou grosseiramente.

Um homem musculoso com longos cabelos negros e uma barba curta apontou para ele. Atrás dele, William pôde distinguir várias outras figuras que não reconheceu, mas uma que ele reconheceu. O Mago Real Aymon.

Ele também podia sentir uma incrível concentração de energia nas pessoas naquele navio, e instantaneamente soube que eles não eram apenas pessoas que ele podia se dar ao luxo de ofender, mas pessoas que ele não podia nem mesmo irritar. A maioria deles eram poderosos magos, embora ele pudesse distinguir alguns guerreiros com eles. Guardas de Ferro Negro mais uma vez, poderosos guerreiros da capital.

“Sim, estou bem. Posso ajudá-lo?”

Ele perguntou educadamente, sentindo como se já soubesse a resposta para essa pergunta.

“Sim, sim, você pode. Você é William Robel, correto? O Mago que foi ferido e se perdeu mais cedo ao tentar capturar uma criatura que causou um distúrbio no Destino?”

Uma mulher de aparência severa deu um passo à frente, com longos cabelos ruivos amarrados em um coque apertado, e olhos verdes penetrantes que pareciam aborrecer sua alma.

“Sim…”

William respondeu, acenando com a cabeça, embora não dissesse que estava “perdido”. Estava mais para “abandonado”.

“Excelente.”

Ela gesticulou com a mão para ele.

“Eu já falei com o chefe da sua família. Você será justamente recompensado pelos danos que sofreu. Além disso, ele o designou para nos ajudar a rastrear aquele… dragão.”

Sua voz não deixou espaço para negociação, juntamente com seus olhos frios.

William suspirou por dentro, sentindo a profunda falta de vontade aumentando nele, ao lado de um sentimento ainda maior de impotência. Ele caminhou até a nave transparente e embarcou nela, dispensando a sua.

“Agora…”

A mulher começou quando ele embarcou, andando na frente dele. Alguns dos Magos no entorno se viraram para olhá-lo. O mago de aspecto musculoso, enquanto isso, virou-se para frente do navio, ignorando-os. De perto, William notou várias linhas negras de energia flutuando ao redor do homem.

“Diga-me exatamente o que você lembra, ou sabe, sobre aquela perturbação no destino e como exatamente você ainda está vivo.”

¤¤¤

O Rei Mago Telmon suspirou, esfregando a testa. Seus olhos violetas perfuraram para frente, olhando para a distância, como se ele estivesse olhando para toda a existência.

Em vez de sua grande sala do trono, ele estava atualmente sentado em um pequeno pilar cinza, no meio de uma clareira na floresta. Várias pequenas árvores pontilhavam a área, parcialmente obscurecendo um conjunto de antigas ruínas de pedra, cobertas de misteriosos hieróglifos.

Em vez de seu habitual manto branco, ele usava uma simples blusa marrom e um conjunto de calças de couro marrom. Roupas que um camponês comum usaria. A coroa que ele normalmente usava na cabeça não estava em lugar nenhum.

Ao longe, a cerca de trinta quilômetros de distância, um enorme edifício flutuante podia ser visto. Um enorme círculo de pedra branca, com dezenas de quilômetros de largura, apoiado por milhares de correntes de luz branca, flutuando a centenas de metros de altura no céu.

Sobre este círculo de pedras havia dezenas de milhares de edifícios, palácios e todos os tipos de estruturas. Uma cidade em expansão e caótica, voando no céu. Dezenas de milhares de figuras podiam ser vistas, voando no céu de um lado para o outro perto da cidade.

A ilustre capital flutuante da Autarquia de Borrel, a Cidade dos Céus. A terra sagrada dos magos, onde os magos iam buscar os céus.

“Cassiera.”

Sua voz era quente e gentil enquanto ele falava, apontando para o lado.

Imediatamente, uma figura de existência borrada, o mundo ao seu redor empenou quando ela se curvou. Seus cabelos loiros e sedosos e seus olhos verdes acrescentavam certo fogo a seu sorriso ansioso, tornando sua aparência de beleza. Ela era magra e em forma, as curvas de seu corpo visíveis através do vestido azul apertado que ela usava.

“Sua Alteza.”

A adoração em sua voz era grossa.

“Seu relatório.”

O Rei Mago deu-lhe um aceno de cabeça calmo.

“Nós ganhamos uma compreensão mais profunda das criaturas que causaram uma perturbação no destino. Pelo menos, dos 32 em mundos sob nosso controle.”

Ela começou, virando o cabelo para trás enquanto batia palmas. Um pequeno bloco de anotações apareceu e ela começou a examinar.

Ele a interrompeu

“As baixas primeiro.”

Ele perguntou, sua voz era firme.

Cassiera olhou para baixo, seu sorriso ansioso desapareceu.

“3 Magos de Classe Lorde, mais de 30 Magos de Classe Grande Mestre, e aproximadamente 220 Magos de Classe Mestre. Espera-se que o número de civis ou de classes inferiores mortas em ação seja de centenas de milhares após a destruição generalizada.”

Uma sugestão de tristeza encheu seu tom.

O Rei Mago sentou-se com calma, sua voz não exibia uma única emoção quando ouviu o relatório.

“Entendo.”

O imediatismo dessa ameaça parecia ser muito maior do que se pensava anteriormente.

“27 das 32 Anomalias, como nós as chamamos, possuem clara força da Classe Lorde, variando do estágio inicial até a Classe Pseudo-Rei. Todas elas possuem linhagens incrivelmente poderosas, muitas delas antigas e consideradas extintas. Alguns, talvez todos, parecem possuir a capacidade de transformar seu corpo físico.”

Ela disse franzindo a testa.

“Eles não são apenas incrivelmente fortes, mas o próprio Destino parece se mover ao redor deles, geralmente a seu favor. Isso tornou excepcionalmente difícil para qualquer uma das equipes que os Departamentos enviassem para capturar qualquer um deles. Magias vão errar por pouco, coincidências ocorrem, a sorte parece se virar sempre a favor deles.”

Ela continuou,

“Infelizmente, é extremamente difícil rastrear os números de Classe Lorde através do Destino por qualquer período de tempo prolongado e, como resultado, várias das Anomalias escaparam de nossa vista. No momento, estamos trabalhando para rastreá-las.”

Ela acenou com as mãos para frente enquanto acrescentava:

“A maneira pela qual eles chegaram aqui desencadeou ondas fracas através do Destino, e nós estamos tentando identificar suas localizações desta maneira, apesar de estimarmos que estas ondas irão morrer em aproximadamente uma semana.”

“Nenhum foi capturado, apesar das baixas? Algum deles foi morto?”

A voz de Telmon estava perigosamente calma.

“Sim, senhor. O Mago de Classe Lorde, Petryon Vulcano pereceu matando uma Anomalia que tinha a linhagem de um Gigante de Madeira Boorakian Antigo, também na Classe Lorde. O cadáver da fera está sendo transportado para a Capital.”

Cassiera inclinou a cabeça novamente, tremendo.

Telmon simplesmente olhou para ela, pegando as informações antes de acenar com a mão.

“Os outros 5?”

Cassiera mordeu o lábio enquanto respondia.

“Três deles não pudemos encontrar, e acreditamos que eles ficaram inativos ou decidiram se esconder e tiveram sucesso. Um deles não temos certeza de sua força. Os relatórios que eu peguei de nosso Magos do Destino na área indicam que é uma fera de Classe Lorde do tipo Dragão… uma incrivelmente estranha, mas… Da minha própria investigação sobre o destino…”

Ela encolheu os ombros.

“Eu detectei remanescentes de uma Aura de Classe Rei Nível Médio.”

Telmon franziu a testa quando ouviu isso.

“O que foi tão estranho nisso? Você tem certeza dos remanescentes da Aura?”

“Um animal de Classe Rei Nível Médio… isso pode ser problemático até mesmo para alguns chefes de departamento. Feras que tem linhagens sanguíneas poderosas são muito difíceis de se lidar.”

“Sim, absolutamente certo. Quanto ao porque era estranho… aparentemente, quando descobriram, foi encontrado cantando uma música em uma língua desconhecida enquanto dançava ao redor de uma fogueira…”

O Rei Mago olhou para ela por um breve momento, piscando os olhos várias vezes.

“Dançando ao redor de uma fogueira…?”

“Sim senhor, dançando ao redor de uma fogueira.”

Ela respondeu prontamente.

“Enquanto cantava…?”

“Sim senhor, enquanto cantava.”

Ela respondeu de novo, tão rápida quanto.

Ele esfregou a testa novamente, fechando os olhos, suspirando profundamente.

“Qual time está na área dessa Anomalia em particular?”

“O Mago de Classe Lorde Hadrion, a Estrela Ascendente do Departamento de Raios Negros. Ele está no mundo exterior de Hasnorth, Senhor. Duas equipes adicionais devem chegar para ajudá-lo, do Departamento de Divisão e do Departamento da Escuridão.”

Ela respondeu prontamente.

Telmon fechou os olhos e depois os abriu, uma luz mortal brilhou neles.

“Envie um pedido pelo Destino quando terminarmos de conversar. Qual Mago do Destino ele tem ao seu lado? Eu me lembro dela. Era… Larah, certo? O 5º discípulo do seu 3º discípulo?”

Ele esfregou a testa novamente, um olhar cansado aparecendo em seu rosto.

“Diga a ela que eles devem recuar imediatamente. Peça o mesmo a todas as equipes que estão tentando se envolver com essa ameaça. Nenhum Lorde deve ir contra qualquer Anomalia sem pelo menos quatro outros Lordes para ajudar. Quanto ao potencial Classe Rei, apenas chefes de departamento devem se envolver com isso.”

Suas palavras estavam cheias de autoridade, sacudindo o ar em si.

“Minha mensagem pode não chegar a tempo, devido a quão longe ele está.”

Cassiera disse, inclinando a cabeça.

Telmon acenou com a mão, indicando que não era um problema. Ele então se virou e olhou para Cassiera com uma pergunta em seus olhos.

“O último?”

A boca da linda mulher de cabelos loiros se torceu.

“O último… foi encontrado no Planeta Maior de Norra, perto de nossa fronteira com a Aliança Graal. Dois Magos de Classe Lorde, Antdre do Departamento de Gravidade e Ormon do Departamento de Diamantes, foram engajados simultaneamente.”

Ela fez uma breve pausa

“Ambos foram mortos em ação. A Anomalia parece ser uma besta da Classe Rei que está no auge, quase da Classe Pseudo-Angelical, com a linhagem de um Leão Dourado Divino.”

Ela olhou para ele.

O Rei Mago piscou lentamente e depois juntou as mãos lentamente. Seus olhos tremiam de emoção com a menção da palavra “Divino”.

“Continue.”

“Ele deixou uma mensagem depois que os matou, rugindo com força suficiente para que cerca de dez mil civis próximos morressem por causa do rugido.”

Ela gesticulou com as mãos nas notas que segurava.

“Dizia: ‘Diga ao Primogênito que eu, o Segundo Filho, estarei indo tomar o meu título de direito’. Imediatamente depois disso, ocorreu um tumulto matando milhares de feras na natureza. Suas atividades depois disso não temos certeza, exceto que deixou Norra indo na direção dos planetas controlados pela Aliança Graal.”

Telmon levou alguns momentos para pensar, seus olhos frios.

“Informe os Chefes de Departamento que eles devem agir imediatamente para atacar essas ameaças e eliminá-las. Cada Departamento deve evitar o vazamento de informações e causar pânico. Além disso, diga aos Cavaleiros Reais que apareçam diante de mim na sala do trono.”

Ele suspirou, balançando a cabeça.

“Eu avançaria pessoalmente se pudesse… Eu tenho um mau pressentimento sobre isso.”

Ele se virou, olhando para a distância em algo não visível.

“Envie suas mensagens primeiro, e então continue seu relatório. Como as Tribos Dracônicas e a Aliança Graal reagiram? As Sombras ou Nobres fizeram algum movimento?”

[Denn – Mano do Céu, o bagulho está ficando muito louco ashuashuashua]

[Careca – Capítulo de hoje mais cedo! Glorifiquem HuaLAlaLala]

[Não esqueçam de comentar e recomendar]

Ei, você gosta dessa novel? Acha que o tradutor merece um incentivo para continuar mantendo o bom trabalho? Pois agora ela tem Padrim e você pode contribuir com apenas 2$.

Ei, você gosta desta novel? Acha que tem pontos a se melhorar? Ou acha que o autor já conseguiu expor toda sua experiência com esta obra? Diz pra gente lá no novo site da Central Novels!

Reborn: Evolving From Nothing - Capítulo 19
Reborn: Evolving From Nothing - Capítulo 21
COMPARTILHAR
Leitor inveterado Veterano na fundação da internet: "na minha época, isso tudo aqui era mato" Traduz, revisa, erra, conserta e ri.