Reborn: Evolving From Nothing – Capítulo 14

212

Ative o Modo Noturno

 

Tradução: Denn | Revisão: The Careca


Blefando

Do lado de fora, Dorian era a imagem de um dragão frio, confiante e piedoso, que emitia uma aura insuperável com arrogância latente. Suas escamas brilhavam, a névoa vermelha de poder que o cercava destacava sua natureza dracônica.

No interior… Dorian estava em pânico.

Quando ele era humano, um de seus hobbies favoritos era dançar. Ele se apresentou em várias pequenas equipes de dança em sua faculdade, nada muito sério, mas ainda algo que ele gostava. Ele também participou de algumas pequenas peças no ensino médio e de um musical na faculdade.

O medo do palco era uma coisa terrível, mas era um medo que ele pensava ter conquistado.

Agora, porém, enquanto Dorian erguia o rosto zangado, olhando com fúria para os guerreiros e magos que o rodeavam, percebeu que era um sentimento que não poderia estar mais errado.

Seu corpo tremeu contra sua vontade enquanto ele lentamente virou o pescoço, olhando para cada lado ofensivo. Ele só podia rezar para que não notassem. Ele não tinha certeza se seu rosto realmente parecia irritado. Como ele saberia como as expressões faciais de um dragão pareciam?

Seus olhos brilhavam quando ele se forçou a se concentrar, sentindo como se estivesse prestes a ficar doente.

Depois que os dois lados começaram a brigar, Dorian viu imediatamente quão perigosa era a situação em que estava. O poder absoluto e a força de cada lado mostrava que ele poderia facilmente morrer. Uma explosão de raios negros poderia incendiá-lo.

Seria impossível fugir com segurança, não enquanto ele estivesse diretamente entre os dois lados, e ficar parado e não fazer nada seria como pedir para morrer.

Então, ele fez a única coisa em que conseguiu pensar.

“Ausra, como eu ativo a Aura que armazenamos?”

Ele perguntou quando a batalha começou a se desenrolar.

“Simplesmente imagine-se sendo cercado por sua Alma, como um cobertor quente cobrindo você.”

A resposta de Ausra foi concisa, mas informativa.

Assim como o gênio em sua matriz de feitiços da alma disse, ativar a Aura era como imaginar um cobertor em volta dele, cobrindo-o. Ele mentalmente desejou que a pequena esfera vermelha em sua alma se movesse, recorrendo a ela.

Ao fazê-lo, a esfera ficou menor, perdendo aproximadamente 1/4 de sua massa.

Uma sensação incrível de poder e força surgiu sobre ele. Ele sentia como se estivesse olhando para o mundo com domínio, como se todo ser aqui fosse feito para viver sob seus pés. O sentimento era viciante, varrendo sua mente com satisfação.

A partir desse sentimento como inspiração, Dorian começou a agir como ele achava que um dragão piedoso agiria.

¤¤¤

*THUMP* *THUMP*

*THUMP* *THUMP*

*THUMP* *THUMP*

Graxital viu sua morte.

Ele ficou absolutamente imóvel, sem ousar mover um músculo. Seu coração batia forte, soando como os passos de gigante, grande e pesado em seus ouvidos. Seus olhos estavam completamente abertos quando ele colocou sua atenção total e completa no minúsculo dragão verde na frente dele.

O pequeno dragão exalava uma aura tão incrivelmente poderosa que Graxital sabia que se ele se movesse, ele seria morto em segundos. Seus profundos olhos negros brilhavam com uma raiva indescritível enquanto olhava para sua alma.

Mesmo agora, ele podia ver o monstruoso dragão tremendo de raiva, sua aura palpitava fora dele. Seu rosto foi puxado para cima em um grunhido antinatural e hediondo, grotesco e horripilante de se olhar. A metade do osso do cervo comido em suas garras era como uma espada da destruição, o poder pulsava ao redor.

A fera estava claramente além do raciocínio.

Era um milagre que ele ainda estivesse vivo, na verdade.

Graxital era um mágico experiente, um verdadeiro mago, que havia sido treinado no Departamento de Raios Negros por mais de 12 anos. Ele havia alcançado a Classe Grande Mestre no ano passado e era considerado um dos mais experientes magos em sua faixa etária.

Foi por causa disso que ele conseguiu uma posição sob Lorde Hadrion, a Estrela em Ascensão do Departamento de Raios Negros.

Seu falecido pai sempre lhe dissera que o trabalho árduo traria resultados, mas somente se você trabalhasse para quem era honesto. Lorde Hadrion era rude, tolerante, mas acima de tudo honesto.

Ele só seguiu o homem por um ano, mas ficou extremamente impressionado com sua integridade e o cuidado que demonstrou, não só por si mesmo, mas por todos os Magos e humanos ao seu redor. Sua personalidade rude e silenciosa era apenas um manto para um grande homem.

Enquanto sua vida passava diante de seus olhos, Graxital sentiu-se alcançar uma sensação de paz interior.

Ele precisava avisar Lorde Hadrion. Este vil e torcido Dragão diante dele, uma criatura que estava pelo menos no auge da Classe Lorde, talvez mais forte. Até mesmo Lorde Hadrion poderia ser morto se pego de surpresa.

Ele não podia deixar aquele homem perecer.

E ele estava disposto a morrer para garantir isso.

Lá em cima, o feitiço Chamado Negro terminara, várias nuvens enormes se formavam no ar acima deles, girando lentamente. Era um poderoso feitiço elementar, fazendo uso do ambiente para fortalecer o ataque.

Infelizmente, um ataque desta escala nem sequer seria capaz de arranhar o dragão à sua frente. Ele sabia que não adiantaria e ele não se daria ao trabalho de tentar.

Ele fechou os olhos e os abriu, com um sorriso calmo aparecendo em seu rosto.

“Magia de Relâmpago: Requiem Superior”.

Ele fez o seu movimento de uma só vez, derramando cada fibra de energia que ele tinha em seu corpo para lançar este feitiço. Eles não podiam depender da misericórdia desse animal para poupá-los. Até mesmo Aymon, o Mago Espacial, estava congelado em terror, incapaz de fugir.

Requiem Superior era um feitiço especial, único para Magos de Relâmpago. Ele utiliza a energia do ambiente para criar uma grande onda de choque.

Este feitiço era normalmente usado para detonar um grande número de ataques no ar, detonando-os em uma explosão. Era um feitiço bastante incomum, e poucos Magos do Departamento de Raios Negros o estudaram.

Ele assentiu e sorriu enquanto caía inconsciente, vendo a onda de choque começar a se expandir mil metros no céu.

A última coisa que ele viu foi aquele horrível e maligno dragão olhando para ele, e seu camarada Oblong lhe dando um sorriso de aprovação, seus olhos brilharam com lágrimas em seu sacrifício.

¤¤¤

Oblong olhou para seu companheiro idiota, seu rosto congelou em um sorriso de raiva pura e inalterada. Ele sabia que Graxital era do tipo quieto quando se uniram, mas não tinha consciência de sua natureza aparentemente suicida.

“Você está tentando nos matar, seu filho da puta?”

Seus olhos estavam vermelhos, lágrimas de frustração e fúria surgiram quando ele viu Graxital lançar seu feitiço e depois entrar em colapso. Os braços de Oblong tremeram enquanto ele avançava, agarrando o corpo do amigo idiota.

Que dia terrivelmente azarado.

Muito acima, uma enorme onda de choque começou a se espalhar, destruindo as nuvens que haviam se formado. Uma pequena explosão de relâmpago negro subiu no ar, crepitando. Ao redor do raio negro, a energia branca começou a crepitar, alimentando ainda mais a onda de choque em expansão.

Explodindo como um enorme farol sinalizador. Oblong percebeu as intenções de seu companheiro, amaldiçoando-o em sua cabeça. O idiota poderia estar se sacrificando, mas certamente ele não.

*BUUMM*

Os restos da onda de choque bateram neles, tremendo quando colidiu com a barreira inata de Oblong. Ele se forçou a abaixar-se, curvando-se ao encarar o dragão verde. Vários dos guerreiros parados ao lado ficaram aturdidos com o impacto, alguns deles até caíram no chão.

“Nossas mais profundas desculpas, Milorde.”

Ele gaguejou, orgulhoso de si mesmo por não parar. Cada palavra que ele falou teve que ser forçada de sua boca, seu coração tremia.

O dragão divino apenas olhou para ele, seus olhos desfocados como se estivessem ignorando-o. Ele então piscou, seus olhos penetrando em direção a Oblong com toda a força de uma fera lendária.

“SAIAM!”

Sua voz trovejou, uma única palavra cheia de arrogância.

Oblong tremeu, a gordura em seu corpo sacudiu enquanto ele engolia em seco, forçando-se a não cair inconsciente. Vários dos guardas próximos haviam desmoronado de medo e terror, incapazes de se conter.

Ele inclinou a cabeça novamente, a aura indutora dificultava a concentração. Oblong empurrou o corpo inconsciente de Graxital para as mãos de um dos guerreiros que estavam próximos. Todos eles, fossem eles os Guardas de Ferro Negro ou os soldados fornecidos pela Família Robel, olhavam para Oblong como se ele fosse sua única esperança.

Ele fez outro movimento brusco. Rapidamente, os soldados pegaram seus feridos e começaram a sair do vale. O Mago Real Aymon liderou a retirada, preparando-se para lançar uma magia espacial de grande escala para levá-los o mais longe possível.

“Hmph. Quem é você para exigir que façamos alguma coisa, dragão?”

Enquanto eles estavam fugindo, Oblong ouviu vagamente a voz de um dos nobres chamar o dragão, cheio de arrogância.

Ele sorriu cruelmente ao ouvir isso. O idiota estava pedindo a morte. Ele sorriu quando correu o mais rápido que pode, contente que pelo menos os nobres sofreriam com isso mais do que eles.

Enquanto ele fugia, ele não conseguia afastar a sensação de que ele havia esquecido alguma coisa.

¤¤¤

Dorian tinha congelado quando viu um dos magos lançar um feitiço, seu coração caiu enquanto ele pensava que tinham visto através dele.

No entanto, parecia que o bruxo estava apenas dispersando um feitiço que ele havia conjurado antes que fez com que as nuvens se juntassem. Uma enorme onda de choque havia surgido como resultado disso, atordoando Dorian e quase derrubando seu pequeno corpo de dragão inconsciente.

Quando ele se recuperou do choque, finalmente limpando os olhos, ele viu o olhar preocupado do bruxo gordo olhando para ele, tremendo de medo.

Dorian se forçou a continuar fazendo o papel de um dragão piedoso, preencheu sua voz com tanta arrogância quanto ele poderia reunir ele gritou o mais alto que podia.

“SAIAM!”

Ele quase soluçou ao se encarar com raiva, desafiando os humanos a responder.

Seu blefe parecia ter funcionado enquanto observava o grupo de guerreiros e magos humanos começarem a fugir, agarrando seus companheiros enquanto saiam do vale. Assim que eles estavam saindo, no entanto, Dorian foi forçado a lembrar que havia outro lado aqui.

¤¤¤

“Hmph. Quem é você para exigir que façamos alguma coisa, dragão?”

A voz de Gaia ferveu, dominadora e arrogante. Seus olhos perfuraram em direção ao pequeno dragão, um brilho neles.

“Que porra você está fazendo?”

Brutus fez um sinal com as mãos, falando em uma das duas línguas vampíricas, a Língua Silenciosa falada à mão. O poderoso guerreiro estava incrivelmente no limite, tendo recuado várias dezenas de passos quando o dragão liberou sua aura. Seus olhos continuaram a rastrear o dragão e Gaia enquanto ele respondia, pronto para fugir a qualquer momento.

“Seu corpo está claramente muito enfraquecido, você o vê tão bem quanto eu. Deve ser uma fera fortemente ferida, reduzida a esse estado com apenas sua Aura restante. Nenhum animal natural poderia ter aquela Aura enquanto também é tão jovem.”

Gaia respondeu de volta com seus olhos brilhando. Vampiros tinham sentidos incrivelmente aguçados, superando em muito o dos humanos. Mesmo agora, tanto Brutus, quanto ela podiam dizer claramente que o dragão diante deles era fraco, fisicamente apenas na Classe Terra, ao contrário de uma fera poderosa.

Suas palavras tinham um certo nível de lógica para ela.

Seu coração ainda estava cheio de medo, no entanto, a aura diante deles era verdadeiramente incrível demais. Se ela estivesse errada…

“Esta é uma chance em um milhão.”

Ela continuou, sua mão tremia de medo e excitação enquanto cerrava os dentes.

Se eles pudessem obter o sangue de uma fera que estava pelo menos no pico da classe Lorde de graça…

Feras que tinham uma linhagem sanguínea que poderia alcançar a classe Lorde eram muito raras e muito poderosas. Aqueles que conseguiam alcançar a Classe Rei eram ainda mais raros, e aqueles que podiam alcançar a Classe Angelical eram quase totalmente desconhecidos.

Magia de Sangue tinha uma série inteira de feitiços que exigiam o sangue de seres externos. A linhagem de feras de Classe Lorde lhes seria imensamente útil, algo que nenhum dos dois podia esperar obter ou ganhar neste momento, não em quantidade suficiente. Seria esse empurrão final que ela precisava, acreditava Gaia, para ultrapassar a barreira da Classe Grande Mestre.

Gaia fortaleceu seu coração, pronta para arriscar tudo enquanto lançava um feitiço.

“Magia do Sangue: Sombra Sufocante!”

Imediatamente, uma aura escura de sangue subiu e se espalhou no ar.

“VOCÊ OUSA OFENDER E DESAFIAR ESTE DRAGÃO DIVINO?!”

Gaia se encolheu quando ouviu o rugido do dragão, o medo em seu coração subindo. Seu feitiço continuou se espalhando, fazendo com que o vale começasse a cair na escuridão.

O fato do dragão não ter se movido era a única coisa que lhe assegurava que seu palpite era exato.

“VOCÊ PENSA QUE A ESCURIDÃO AFETARÁ ESSE DRAGÃO DIVINO? MORTAL TOLO, EU NASCI NA ESCURIDÃO! EU FUI MOLDADO POR ELA! VOCÊ? VOCÊ MERAMENTE SE APROPRIOU!”

O dragão acenou a metade do osso da coxa do veado com suas garras para ela de uma maneira ameaçadora e desdenhosa, olhando para ela com o que parecia ser uma suprema confiança quando a luz no vale desapareceu.

As mãos de Gaia tremeram quando ela olhou para o dragão de escamas verdes, visível apenas para ela graças ao seu feitiço.

Este dragão era um verdadeiro negócio. Ela acreditava sinceramente que, se não tivesse sido ferido e enfraquecido, iria destruí-los completamente. Suas origens pareciam ser aterrorizantes.

“Salum!”

Ela chamou, torcendo os dedos. Imediatamente, o poderoso Lobo de Sangue apareceu na frente dela, seu corpo tremia com energia.

Gaia estudou dois ramos de Magia de Sangue, o de manipular Feras de Sangue e o de Vislumbrar o Destino.

Salum era a fera de Sangue que ela criou durante anos, a pedra angular de sua força e sua mais orgulhosa criação. Ela o formou a partir das linhagens de sangue de vários outros lobos poderosos, criando uma enorme fera de beleza e poder.

“Mate-o!”

Seus olhos tremeram quando ela se concentrou no pequeno dragão através da escuridão e da névoa vermelha de poder que cercava o dragão, ordenando seu Lobo de Sangue para avançar.

O lobo correu para frente sem se preocupar, inerentemente seguindo seus comandos. Seus passos batiam no chão de terra, desabando sem parar.

Ao fazê-lo, ela e Brutus saltaram para trás, preparando-se para fugir a qualquer momento se algo desse errado. Brutus, na verdade, fugiu quase 40 metros mais longe do que ela, com seus punhos cerrados ele olhou para ela com raiva.

“Morra seu bastardo.”

Ela mentalmente sussurrou, observando seu Lobo de Sangue de 3 metros de altura acertando o pequeno dragão verde, rezando para que o dragão fosse morto.

¤¤¤

“Várias linhagens foram detectadas. Você deseja absorvê-las?”

[Não esqueçam de comentar e recomendar]

Ei, você gosta dessa novel? Acha que o tradutor merece um incentivo para continuar mantendo o bom trabalho? Pois agora ela tem Padrim e você pode contribuir com apenas 2$.

Ei, você gosta desta novel? Acha que tem pontos a se melhorar? Ou acha que o autor já conseguiu expor toda sua experiência com esta obra? Diz pra gente lá no novo site da Central Novels!