KING: Capítulo 24 – Shitou

45
Durante horas o estudioso Enlai ficou lendo os pergaminhos, as vezes ele soltava gargalhadas excitadas, eu e os outros já havíamos recolhido os corpos, e olhamos ao redor do salão, ninguém teve coragem de tentar abrir as portas, o destino que os guardas tiveram ainda tava fresco na mente de todos.
Como o estudioso Enlai estava demorando muito, alguns dos mercenários começaram a voltar para a superfície para descansar. Depois de algum tempo Enlai finalmente guardou os pergaminhos, o sorriso em seu rosto não podia ser escondido.
Finalmente ele se moveu para a primeira porta, depois de algum tempo reproduzindo os caracteres a porta se abriu, atrás da porta havia uma pequena sala repleta de núcleos, entre outras coisas, nessa hora ate os olhos do chefe Cong brilharam, mas ele se controlou, afinal tudo ali pertencia ao estudioso Enlai e o chefe Cong era uma pessoa honrada.
Com apenas um olhar o chefe Cong deixou claro para nós do seu grupo mercenário que não iria tolerar qualquer ato desonroso.
“Então é realmente verdade que os antigos mestres eram enterrados com todos os seus bens?” murmurou chefe Cong.
“Não exatamente, pelas Tumbas que já visitei, eu acho que antigamente os mestres antigos faziam muitos experimentos para se aperfeiçoar na arte do DAO, e quando eles estavam feridos mortalmente eles vinham para o seus laboratórios para tentar se curar e acabavam morrendo nele.” disse Enlai com um sorriso satisfeito.
O estudioso Enlai encostou a primeira porta e prosseguiu para a próxima, essa porta demorou um pouco mais para ser aberta, mas quando se abriu havia um sala grande. Na sala havia cinco montes de ossos de bestas espalhadas e no meio havia uma caixa de cristal parecendo um caixão inclinado, dentro da caixa de cristal havia um velho de cabelos brancos com as roupas um pouco surradas e uma espada bem ornamentada na cintura, o velho parecia esta dormindo profundamente.
“Então esse é Shitou!! tenho que dizer que as descrições sobre ele não são muito fieis, e as ossadas são das bestas que ele controlava, não deve haver mais nenhum perigo já que as bestas também morreram” Comentou Enlai.
“Ele ainda está vivo?” perguntei.
“Não, essa caixa de cristal contem poderes curativos, e manteve sua aparência conservada. Provavelmente quando ele entrou ai ele estava muito ferido, olhe o sangue seco nas roupas, provavelmente ele ficou em coma por um tempo e depois morreu.” Respondeu o estudioso Enlai.
“Vamos vou abrir as portas restantes” Chamou Enlai demonstrando grande desinteresse nessa sala.
O estudioso Enlai estava usando seu conhecimento dos caracteres para destravar a próxima porta enquanto isso na sala anterior dois mercenários que ficaram para trás olhavam para a caixa de cristal e começaram a sussurrar.
“Ei o que você está pensando em fazer?”
“Eu vou pegar essa espada!”
“Você está louco se o chefe Cong descobrir, nos estamos mortos.”
“O chefe Cong pode ir se foder junto com esse nobre, esse puto intelectual já vai ficar com todos aqueles núcleos e sabe se lá mais quanto tesouro tem nas outras salas.”
“Nos vamos acabar sendo mortos pelo chefe!!!”
“Não se preocupe o intelectual vai ter tanto tesouro para carregar que nem vai sentir falta dessa espada.”
Não sei se era por causa do tempo em que eu fui escravo, mas mesmo não estando na sala eu escutei esses dois discutindo, mas como a ganancia de outras pessoas não é problema meu, eu não disse nada.
Quando os dois mercenários conseguiram abrir a força a caixa de cristal em que o velho estava, uma luz roxa se acendeu na sala principal e todas as portas restantes de abriram instantaneamente sozinhas, todos ficamos congelados no lugar por causa da abertura repentina, em seguida todos olhamos para o estudioso Enlai que também estava congelado, mas estava olhando para dentro da sala que ele estava em frente.
Em poucos segundos uma garra surgiu de dentro da sala e atacou em direção a Enlai que estava próximo da porta, chefe Cong reagindo rapidamente atacou:
“Técnica de Rank Inferior – Lança de pedra”
A criatura sofreu o impacto de técnica, mas o estudioso Enlai ainda teve o rosto arranhado pela garra. A criatura era um lobo de pelo cinza com um chifre na testa com mais de 2 metros de altura.
Sem saber onde havia errado Enlai, olhou ao redor com o rosto ensanguentado e viu um mercenário com a espada de Shitou, ele praguejou internamente, antes de começar a sair correndo.
Eu o Chefe Cong e outro mercenário atacamos a entrada do portal com tudo que tínhamos e isso retardou as outras bestas que estavam tentando sair, mas das outras portas começaram a aparecer outros tipos de bestas. O mercenário ao meu lado foi o primeiro a morrer para uma besta do tipo ave que atacou com seu bico poderoso, eu e o chefe Cong nos viramos para atacar a besta, mas antes que pudéssemos lançar ataque fomos pegos de surpresa pela investida de uma besta que parecia um touro. Fomos lançados cada um para uma extremidade da sala com esse ataque, o chefe Cong que possuía uma defesa melhor se levantou rapidamente, mas eu cuspir sangue e meus órgão internos pareciam ter passados por um liquidificador.
Os dois mercenários que saíram da sala começaram a correr para a saída assim que viram as bestas, mas sem ninguém para reprimir as bestas, os lobos cinzentos os alcançou e devorou. Eu corri meio desajeitado tentando chegar perto do chefe Cong, mas uma besta voadora deu um rasante e prendeu meu braço esquerdo entre o bico quando estávamos a 7 metros do chão o bico da besta separou meu braço de meu corpo e eu cair perto de uma das portas que o estudioso Enlai abriu então eu entrei na sala e com dificuldade fechei a porta que dava para a sala principal.
O chefe Cong viu os mercenários sendo mortos e viu o mais recente novato perdendo seu braço, rangendo os dentes ele pegou o estudioso Enlai, e começou a correr e criar barreiras de terra que eram quase instantaneamente derrubadas pelas bestas Touro que investiam contra ele continuamente, instigado a Enlai a correr com as própria pernas ele conseguiu ganhar tempo o suficiente para fechar a porta que dava acesso ao corredor vindo de cima para baixo. Agora eles estavam no salão em que havia as estátuas.
“Enlai tranque essa porta anda logo!” Disse o chefe Cong.
“Sim!” respondeu Enlai.
Depois de descansar um pouco o Chefe Cong ficou de pé novamente, ele se virou para Enlai e disse:
“O que diabos eram aquelas bestas? Você não disse depois que encontramos o corpo de shitou que não havia mais perigo?” perguntou o chefe Cong visivelmente irritado.
“Isso…. Só ocorreu pela ganância dos seus homens aqueles bastardos tiraram a espada do corpo de Shitou, provavelmente ao abrir a caixa de cura algum dispositivo de segurança se ativou e por isso que a portas das bestas se abriram todas de uma vez.” disse frustrado Enlai.
“Mas a Tumba não tem uns cinco mil anos? como aquelas bestas estão vivas?” Perguntou o chefe Cong, ele também viu a espada na mão do mercenário ele não podia reclamar mais dessa situação.
“Meu palpite e que Shitou mantinha ninhos de variados tipos de bestas naquelas salas para tentar domestica-las desde cedo e essas bestas sobreviveram matando e cometendo canibalismo com a própria espécie.” respondeu Enlai enquanto esfregava um pó nas feridas do seu rosto.
“Vamos terminar de subir temos que avisar os outros e fechar esse lugar de vez.” disse o Chefe Cong não mostrando muito interesse na resposta.
“Como assim fechar, você não vai voltar para buscar as riquezas daquele lugar?” perguntou Enlai.
“Você e louco a única coisa que te espera se você abri essa porta sem pelo menos uns 50 cultivadores rank prata é a morte, e quem garante que depois de matar as bestas esses cultivadores não se matem por ganancia?” disse o chefe Cong.
“Eu vou embora se você for abrir essa porta espere eu e o restante dos meus homens estamos longe.” repetiu o chefe Cong vendo a hesitação na face de Enlai.
“Espere!!! E se voltamos daqui a 6 meses essas bestas já terão devoradas umas as outras, e terá menos delas assim todo mundo ganha, o que me diz vamos fazer o trato? Pense bem só eu posso abrir as entradas” Disse Enlai inseguro.
O chefe Cong pensou por uns instantes antes de concordar com a condição de que tudo for encontrado será dividido meio a meio. O estudioso Enlai aceitou os termos afinal ele não poderia garantir que o chefe Cong não fosse voltar com mais homens para tentar abrir a tumba a força daqui a alguns dias, então era melhor fazer o acordo e garantir uma parte da riqueza.