Hail The King – Capítulo 174: Sua Majestade, alguém está atacando seu pássaro (Parte 2)

0
288

Tradução: LK e Denn
Revisão: LK e Denn


Os escravos no calabouço da água ficaram atordoados.

“Como isso é possível? O Zolasc não tinha sido atingido pelos soldados Blackstone e foi jogado no poço de cadáver nas montanhas de trás?”

Todos pensaram. Há quatro dias, Zolasc foi punido por incitar os escravos em público; Um de seus olhos foi arrancado e sua língua foi cortada. Depois, os quatro membros dele ficaram aleijados e ele foi jogado fora. Todos os escravos de Chambord viram essa cena, e ficaram chocados em ouvir a voz normal e ilesa de Zolasc.

“Além disso, o que ele disse?”

“Ma… majestade?”

“Quem mais seria chamado por Zolasc dessa maneira?”

Quase todos pensavam em uma pessoa.

Todos conheciam a personalidade do velho Zolasc. Ele era teimoso como uma pedra! Exceto para o rei de Chambord, ele não chamaria nenhum outro rei de “Sua majestade”. O rei de Blackstone valorizou as habilidades administrativas e executivas do velho Zolasc e ofereceu-se para atribuir-lhe uma nobreza em Blackstone se ele o chamasse de “sua majestade”, mas o velho Zolasc recusou instantaneamente.

“Meus cidadãos foram presos aqui por quatro dias, por que não posso entrar por um momento?”

Uma voz nítida e inegável chegou aos ouvidos de todos. Parecia muito majestoso. A figura que estava coberta pela luz do sol de repente brilhou novamente, e uma luz dourada saiu dele. Com uma sensação quente e majestosa, essa luz dourada iluminou todos os cantos deste calabouço. Como se essa luz tivesse calor, fez com que todos sentissem uma energia quente sem precedentes que fluía em seus corpos. As feridas e as cicatrizes que os torturaram nesta condição lentamente curaram sob o envolvimento da luz milagrosamente.

Um rosto jovem, porém, valente, apareceu aos olhos de todos.

Esse rosto também foi gravado na alma de todos.

Eles não poderiam esquecer esse rosto pelo resto de suas vidas.

“Guerreiros de Chambord, Alexander está aqui muito tarde. Eu sei o que vocês sofreram, e peço desculpas a cada um de vocês como seu Rei. Desculpe, Alexander não manteve a honra da Família Real de Chambord e não protegeu seus cidadãos! “

Fei disse enquanto entrava na água negra e fedorenta, a luz dourada que saia dele ficava cada vez mais forte.

A habilidade de Paladino – [Prayer](Oração)

Depois de iniciar essa habilidade, ele curaria os aliados e os ajudaria a se recuperar. Também curaria as feridas em seus corpos até certo ponto.

Ao mesmo tempo, ele entrou na multidão com uma espada longa e preta. O corpo da espada vibrou e se precipitou através da multidão quando quebrou todas as correntes em seus corpos. A técnica da espada do rei era divina. Embora essas correntes de ferro estivessem bem envolvidas em torno dos corpos dos escravos, a espada não machucou ninguém.

Todos os escravos da mina ficaram atordoados quando ficaram ali e testemunharam todo o processo.

Depois de sentir o calor em seus corpos e sentirem a coceira e entorpecimento de suas feridas sendo curadas, depois de sentir as correntes sobre eles sendo quebradas, depois de testemunhar tudo o que estava acontecendo de acordo com o sonhos deles de quando estavam com famintos e fracos, eles esqueceram de pensar, esqueceram de falar, esqueceram de se mover e até mesmo esqueceram de si mesmos…

“Isto é real? Realmente real?”

Todos estavam se perguntando. Alguns deles se beliscaram levemente para garantir que eles não estivessem em outro sonho.

Depois de meio minuto, quando os outros guerreiros de Chambord, incluindo Lampard e Drogba que acompanhavam Fei, estavam prestes a pisar no calabouço da água, de repente ouviram uma voz alta.

“Salve o rei!”

“Salve sua majestade!”

“Viva o Santo Rei de Chambord!!”

O volume desses gritos foi tão alto que quase rasgou o telhado da masmorra. Os gritos tinham a alegria e a excitação do sangue, e também teve a sensação de ser injustiçado. Naquele momento, todos, incluindo Lampard, foram tocados. Eles quase sentiram como se estivessem vendo a cena chocante e orgulhosa, de quatro meses atrás, quando os inimigos blindados negros atacaram e sitiaram o Castelo de Chambord e o rei cortou o guerreiro de três estrelas inimigo e salvou Chambord. Todos os que o rodeavam também haviam gritado “Salve o rei!”.

***

Os esgotados, feridos e famintos escravos da mina de Chambord no calabouço de água estavam com um humor excitado. Logo, eles foram todos transferidos para um quadrado relativamente seco e mais confortável com pilares de pedra ao lado. A força expedicionária de Chambord já havia destruído o pilar de pedra sangrenta, e eles montaram tendas temporárias, acenderam fogueiras, montaram potes grandes de comidas e começaram a cozinhar alimentos quentes.

“Ah, é você! Velho Tom, deus, você ainda está vivo…… “

“Oh Deus da guerra, isso é real? Pai, depois que você desapareceu, minha mãe e eu pensamos que você já estava morto. Você ainda está vivo… Agradeça ao deus da guerra, agradeça a sua majestade!”

“Kunta, a tia Nina chora todos os dias porque ela sente muita falta de você; seus olhos estão quase cegos por causa disso. Você deve voltar em breve… “

“Irmão, você ainda me reconhece? Eu sou Kyle, Kyle de cabeça cheia. Eu finalmente encontrei você. Você sabia? Depois de você ter desaparecido, o pai e a mãe estavam excessivamente tristes e todos tinham passado… “

Centenas desses tipos de conversas ocorreram na praça.

Nos últimos dois anos, muitos cidadãos de Chambord haviam desaparecido, e isso sozinho havia destruído muitas famílias. As pessoas que ainda estavam vivas sofreram a dor e as consequências. No entanto, eles não esperavam encontrar amigos e familiares perdidos entre os escravos lá. Poderia ter sido o decreto de Deus.

Claro, mais de duzentos escravos da mina tiveram malária devido à sua condição corporal fraca e morreram no calabouço da água antes que Fei chegasse.

Todos reuniram os cadáveres dos escravos da mina de Chambord, que morreram na Fortaleza Blackstone e colocaram todos no “poço do cadáver” nas montanhas de trás. As chamas ardentes que estavam atirando no céu eram como o ódio dos escravos da mina de Chambord. Estas chamas logo envolveram o cadáver ferido e torturado e proporcionaram as almas calor e alivio para quem estava longe de suas casas. Depois que mais de milhares de cadáveres foram queimados até virarem cinzas, eles foram colocados em mais de uma dúzia de grandes cofres. Como o rei de Chambord, Fei prometeu a todos que essas cinzas seriam levadas de volta a Chambord e levadas até o pico da montanha leste e enterradas nos túmulos dos heróis!

“Como o rei de Chambord, prometo a todos vocês que nenhum Chambordiano se tornará um escravo novamente a partir de hoje em diante. Qualquer criminoso que se atreva a prejudicar um Chambordiano receberar o castigo de mim, o rei de Chambord, bem como do deus da guerra. Não importa qual identidade ou status este criminoso tenha!”

Em frente às chamas que podiam engolir o céu, Fei jurou e prometeu aos seus leais seguidores.

Os quatrocentos soldados capturados de Blackstone foram trazidos para a praça do pilar de pedra. Eles foram formados em uma linha, e os escravos da mina de Chambord tiveram a chance de apontar aqueles que os mataram e torturaram. Esses soldados seriam executados no local, e o resto deles tirou suas armaduras e foram expulsos da Fortaleza Blackstone.

A situação finalmente se acalmou um pouco.

Os principais líderes como Fei e Lampard tiveram uma reunião sob o céu e discutiram os métodos e formas de cuidar dos cidadãos que acabavam de resgatar.

A força expedicionária teve que se apressar e chegar a São Petersburgo a tempo para que pudessem participar do Exercício Militar do Zenit de que todos os reinos afiliados do Zenit tiveram que fazer parte. Ainda havia um longo caminho a percorrer, e eles não podiam se atrasar.

“Realmente, eu preciso desses setecentos escravos de minas antigos que estavam exaustos devido ao trabalho a longo prazo e à falta de comida junto com eles. Essas pessoas precisavam de cuidados delicados e um longo período de descanso.”

Depois de um tempo de conversa, a decisão final foi que o segundo guerreiro mais poderoso, Lampard, que estava atrás de Fei, traria Drogba e Pierce junto com vinte e cinco Seiya e cinquenta executores da lei da cidade para proteger e ajudar a levar esses cidadãos pobres e feridos para Chambord. Depois de apresenta-los para o novo chefe de Estado Bast, Lampard lideraria os soldados e correria de volta para tentar alcançar Fei. De acordo com este plano, Fei e Lampard voltariam a reunir forças antes de chegarem à Capital Sagrada.

Depois que a decisão foi tomada, a Força Expedicionária de Chambord decidiu descansar na Fortaleza de Blackstone por uma noite e deixar os pobres cidadãos feridos terem uma boa noite de descanso. Depois de recuperarem a força um pouco mais, Lampard os levaria de volta com os homens previamente decididos.

Fei voltou para o modo druida e convocou quatro lobos brancos e três corvos enormes. Ele espalhou-os pela fortaleza Blackstone para guardar e patrulhar a fortaleza. Isso permitiu que seus soldados pudessem descansar tranquilamente.

“Sua majestade, algo está atacando seu pássaro!”

Drogba de repente gritou com sua voz alta.

Fei não sabia o que dizer. Os corvos agora eram chamados de “pássaros” na boca de Drogba.

Fei levantou os olhos e viu uma enorme águia de asas brancas que saiu do nada e estava perseguindo e atacando os corvos que ele convocou. Esta águia parecia muito viciosa e agressiva.

“Abate-a para mim!”

Fei comandou. Seu guarda-costas pessoal, Fernando-Torres, puxou seu arco enquanto colocava uma flecha nítida nele. A flecha disparou e perfurou com precisão a enorme cabeça da águia. A águia enorme gritou quando caiu no céu enquanto lutava e balançava suas asas.