Beyond?: Capítulo 51 – ~ Um passo atrás. ~

12
485

Tradução: Dantalian
Revisão: Liar


“Os Dwemer são os cidadãos fiéis do país Dwem na Cordilheira Dwem. Menor que as outras raças em altura, eles compensam suas deficiências com astúcia. Usando sua inteligência para construir estruturas formidáveis e cidades, a sua capital Dwem é uma das grandes maravilhas neste continente. Embora tenhamos que admitir que o nosso talento para nomear as coisas não é dos melhores.”

– Os escritos de Dwem.

**Cidade Livres Estados de Nict, Capital**

**Adala**

Uma explosão de luz me desperta do sono. Minha mente ainda está lutando para compreender o que está acontecendo quando eu ouço o vidro quebrando, estremecendo o ambiente, quando uma nova série de explosões ocorre nas proximidades. Finalmente, consigo abrir meus olhos e vejo a ponta de uma lâmina indo contra mim.

Ao me desviar para o lado a arma afiada corta minha bochecha, quase ferindo meu olho esquerdo. Eu avanço para onde eu suponho que meu atacante esteja. Meu pé não encontra o alvo pretendido e continuo a desviar da lâmina, arrastando as cobertas da minha cama comigo. Uma figura escura segue e me corta com uma espada curta. Usando o cobertor como proteção, eu bloqueei a lâmina mais uma vez. Então eu uso a breve pausa para envolver o tecido em torno do meu antebraço. Eu inicio um ritual enquanto continuo desviando da série de ataques do assassino. Alguns dos meus cabelos servem de catalisador necessário para o meu ritual. O cobertor à minha direita e os cabelos na minha esquerda eu comecei a cantar enquanto eu concentro a mana dentro de mim.

“Ieah huul nos ferdent …”

O meu oponente percebe o grosso tecido sobre meu braço, que fornece proteção adequada contra uma lâmina, assim ele muda sua tática para me esfaquear onde não estou protegida. Ele segue-me enquanto eu volto para um canto do meu quarto. Meus olhos se viram em direção a porta e a janela, mas o atacante está em uma posição perfeita para impedir minha fuga.

Eu continuo cantando o feitiço, mas, ele mais uma vez tenta me esfaquear, e eu bloqueio com meu antebraço. A lâmina afunda-se no braço apesar da proteção do cobertor. A dor é horrível, mas não hesito. Se errar uma única silaba no ritual tudo será em vão.

“… sumos el zeench!”

Pressiono meus cabelos contra o cobertor e despejo minha mana em ambos.

Meu atacante recua sua lâmina e o cobertor ganha vida quando meus cabelos entram nele. Ele tenta atacar mais uma vez mais, mas desta vez o tecido se mantém, reforçado pela minha mana. Então a coberta se desenrola do meu braço, guiada por uma vontade própria e dispara, finalizando o homem. Ele balança sua espada de forma selvagem e grita com medo, mas não adianta de nada.

Eu debruço-me de joelhos e me inclino contra a parede, segurando meu braço ferido. A voz do homem fica abafada quando a coberta o cobre completamente. Então, seu grito fica dolorido e o tom vira quase ensurdecedor quando seus ossos se quebram. O sangue começa a escorrer pelo cobertor e o homem fica calado. Então o cobertor o deixa e volta para mim, envolvendo-me.

O Ritual de Grobosch foi nomeado pelo o xamã que o inventou. Ele impele a vida em um objeto e o programa com a vontade do invocador a atacar todos aqueles que ela ou ele vê como uma ameaça. Normalmente, alguém usaria uma boneca feita de argila ou madeira, eles funcionam melhor. Embora em situações terríveis, qualquer coisa de tamanho adequado funciona. O ritual é muito conveniente, uma vez ativo só será desfeito se acabar a sua mana.

Novas explosões ocorrem e eu me levanto. Certamente o assassino não estava sozinho. Saio do meu quarto e encontro Eliot no corredor, ele está lutando com um homem que tem quase o dobro do tamanho dele. Apontando meu dedo para o homem, eu derramo toda a minha raiva e ódio sobre ele. Este ataque noturno nos pegou totalmente despreparados e aqueles bastardos desonestos pensam que simplesmente nos deitaremos e morreremos!

O cobertor responde ao meu desejo e afasta-se de mim, formando uma longa *haste pontiaguda* propulsionando-se para o homem como um animal enlouquecido. Isso o leva para trás. O homem está morto e o cobertor voltou para mim antes de bater no chão.

N/D: Estava escrito espiga. Sendo que não faria muito sentindo no português, por isso mudei para haste. 😀

N/L: Já leu Tower of God? Haste Pontiaguda seria tipo as armas que os pescadores usam, tipo a Março Negro.

“Adala! Você está bem, obrigado deuses!”

Eliot coxeia em minha direção, parece que ele não teve uma boa “conversa”. Então uma porta se abre para o corredor e um dos homens vestidos de um escuro sai. Sua lâmina é sangrenta e meu coração afunda quando percebo que ele saiu do quarto de Nikita. Ele explode e no próximo momento meu cobertor se move sozinho para bloquear sua lâmina. O punho de Eliot se conecta com o queixo do recém-chegado e ele vai ao chão.

N/D: Coxear: andar com dificuldade, apoiando-se e etc.

Eliot não hesitou e se aproveitou do homem desatento para lhe desferir um golpe. Ele se inclina e tira a espada curta do atacante inconsciente, então ele a desliza pela garganta, cortando-a fundo.

Meus pés me levam ao interior do quarto de Nikita. Ela ainda está deitada na cama, com os olhos fechados e dormindo. Se não fosse por todo esse sangue! Eu pulo para o lado dela e pressiono minhas mãos contra a ferida na sua barriga.

De repente, a parede à minha direita explode e uma pessoa vestida de preto emerge. O corpo cai no chão. Uma figura com óculos ameaçadores, brilhantes e sem aro em seu rosto, sai do buraco e nos aponta uma mão enluvada em busca de novos alvos. As faíscas dançam entre os dedos da mão e ela suspira aliviada ao nos ver.

Então, mais cinco atacantes tentam entrar na sala. Dois através da janela e três da porta.

** Cidade Livres Estados de Nict, Capital**

**Azir**

LUZ!

“Acorde! Acorde! Temos de ser rápidos.”

*Tapa!*

Abro meus olhos e encontro Ivy em cima de mim, ela está completamente vestida e tem uma da adaga na mão direita. Stella se move ao meu lado e esfrega os olhos, sentando-se.

“O que está acontecendo?”

“Trinta pessoas de origem duvidosa estão se aproximando da mansão dos Dwemer. Eles estão armados e se aproximam a toda velocidade. Eu já avisei todos usando mana, mas duvidamos que a ajuda chegue a tempo. Somos a única força de luta próxima o suficiente para prestar assistência.”

Eu tiro Ivy de cima de mim e saio da cama. Coloco as primeiras roupas que eu encontro. Stella está fazendo o mesmo ao iniciar uma conversa.

“Como eles poderiam chegar tão perto? Eu pensei que você estava vigiando toda a área com seus controles remotos! E por que eles estão indo atrás dos Dwemer agora!?”

Ivy responde com uma voz sem emoção, esquecendo-se de seu objetivo de imitar os seres orgânicos.

“Eu os vi a dois mil metros de distância, convergindo de várias direções a alta velocidade. Eles não estão tentando fazer isso da maneira discreta.

Os cinco guardas que mantêm nossos pertences seguros já estavam esperando. Gesticulando para avançar na mansão dos Dwemer, vejo as primeiras explosões no final. Porra, esses malditos são rápidos! Eles são algum tipo de equipe suicida? É extremamente estúpido avançar a toda velocidade para um lugar desconhecido. Normalmente, você esperaria que uma força-tarefa avançasse lentamente até encontrar resistência. A menos que a situação não lhes seja desconhecida se for assim então…

Eles estão sendo atacados pelos Magos das Trevas ou seus próprios inimigos são os responsáveis?

Ontem à noite, meu drone sobrevoou Dwem e encontrou uma zona de guerra na fronteira do norte. Pelo menos eu acho que poderia ser sua fronteira, infelizmente, não é tão fácil diferenciar as nações quando você olha para uma fotografia aérea. Embora eu pudesse identificar algo como uma linha de frente clara entre duas partes e uma terra de ninguém entre elas. Não parecia uma guerra civil. Meu drone ainda não conseguiu capturar nenhuma luta real, mas as devastações falaram por si mesmas. A paisagem estava cheia de edifícios destruídos e crateras de gigantes causadas por explosões. Havia mesmo algo que parecia uma máquina de artilharia do lado dos Dwemer. Isso me surpreendeu. Eles parecem um pouco mais avançados do que a Nict atual. Talvez eu não devesse pensar muito sobre isso. Nict era uma vez uma nação que construiu os Portais e esses artefatos ainda estão em de pé até hoje. Talvez Dwem não tenha sofrido uma perda tecnológica tanto quanto Nict.

“Eu irei em frente. Siga-me o mais rápido possível. Eu me concentro para me teletransportar acima da mansão dos Dwemer e ativo minha visão de mana. Se teletransportar sozinho não é tão difícil quanto levar alguém com você, mesmo que a distância seja curta.

Eu assisto a situação enquanto eu tropeço e faço uma careta por causa da dor. Os atacantes cercaram completamente os guardas da mansão, forçando-os a enfrentar duas lutas enquanto os outros passavam por eles e atacaram a mansão. Deve haver nove Dwemer dentro do prédio. Nove pessoas contra quinze… parecem ter dificuldades, então eu decidi ajudar os Dwemer.

Os guardas que colocados na mansão dos Dwemer são foram treinados igualmente a aqueles que guardam a minha casa. Eles devem poder aguentar e ganhar tempo contra seus dez oponentes até chegarem os reforços. Ativando minha visão de mana, mostro meu poder grandioso em termos de habilidade.

Reunir mana tornou-se muito mais fácil graças ao meu treinamento. A partir de agora, posso me concentrar em um objeto do tamanho de uma pessoa, até mesmo vê-lo através de uma parede. Mas está longe da habilidade da minha mãe. Ver diferenças finas dentro de um corpo ou uma formação mágica ainda está longe do meu alcance.

Ao usar magia de levitação, ajusto minha queda para a maior concentração dos Dwemer que posso encontrar. Suas pequenas figuras são fáceis de discernir de seus atacantes. Eu também percebo que nenhum dos assassinos tem a aura brilhante de um mago. Infelizmente, posso ver apenas três deles em pé enquanto alguém está mentindo. Cinco atacantes estão se movendo em sua posição. Dois da janela e três da porta.

Eu puxo a mana reunida mais próxima e me cubro, forçando-a a uma forma mais densa para usá-lo como escudo. Então eu lancei a magia da gravidade para acelerar a minha queda enquanto eu estou apontando para o grupo de três pessoas. Um momento antes do impacto, fecho meus olhos e confio na minha capacidade de sentir a mana.

Eu bato contra o telhado como uma bala, esmagando o próximo andar e aterrando em cima do meu alvo. A sala está cheia de poeira e eu avalio a situação depois de liberar a magia de gravidade. Um dos oponentes estava caído, esmagado sob os destroços que vieram comigo. Um segundo está deitado ao meu lado, sua cabeça virada de forma doentia. O terceiro está de joelhos tossindo, ele ainda estava afastado no corredor quando eu fiz a minha entrada.

Eu corro em direção a ele e dou um soco rápido em sua garganta, a tosse se transforma em gorgolejos. Ele cai e eu balanço meu pé contra a cabeça dele. Touchdown! Ahem. Essa não era a maneira correta de comentar a situação. Eu deveria ser mais cauteloso quando estou usando minha habilidade. Sua cabeça saiu do corpo e voou direto pela janela.

Dirigindo-se, descubro que um dos Dwemer lidou com os outros dois atacantes. A poeira abaixou e me deu visão livre do ambiente. Um dos atacantes está sob Eliot enquanto Padma toca o outro com uma mão enluvada. Ele está se contorcendo enquanto as faíscas azuis dançam sobre ele. Desagradável, ela construiu uma versão mais poderosa de um stunner.

N/L: Stunner seria algo como “Atordoador” algo utilizado para atordoar algo ou alguém.

Adala estava sentada em cima de outra Dwemer enquanto tentava parar o sangue que fluía de uma ferida no peito. Eu ando até ela e a empurro, sem pestanejar, da menina e percebo que é Nikita. Coloco a mão na ferida e despejo toda minha mana em um feitiço de cura, tentando sentir sua alma.

“O que você acha que está fazendo!?”

Adala salta, mas Eliot a segura.

“Ele está tentando curá-la.”

**Cidade Livres Estados de Nict, Capital**

**Stella**

Eu me apresso em direção à mansão com Ivy e os guardas atrás de mim. Chegando lá, encontramos um campo de batalha e três guardas que estão tentando segurar o chão contra seis atacantes. Eu canto minha magia e lanço uma lança misteriosa formando as runas adequadas. A lança cintilante acaba com a vida de um assassino e surpreende os outros. Eles tentam assumir melhores posições para a nova situação, mas naquele tempo Ivy e os guardas já haviam chegado neles e os mataram.

Os atacantes parecem ser lutadores fortes, mas eles obviamente não estão no nível de nossos guardas. Parece que dez deles não foram suficientes para dominar os cinco guardas que estavam guardando os Dwemer, mas eles compensaram com seus números. Comecei a lançar outra lança quando seu foco se virou para mim.

“O mago! Tire-a!”

Um dos atacantes tira algo de seu cinto e joga-o para mim. Eu transformo a minha pele em metal por instinto e ativo a runa passiva definida para fortalecer meu corpo. Assim eu relaxo. O que esse garoto jogou de qualquer maneira? Ele até mesmo jogou em forma de arco! De jeito nenhum, algo como isso não me machucaria.

Um flash de luz e uma explosão me mostram o contrário. Estou voando pelo ar e por um momento o mundo gira em torno. Aterrando nas minhas costas, o ar é pressionado para fora dos meus pulmões e eu suspiro. Que feitiço é esse? Eu não senti nada, até onde sei, ele me lançou algo em forma de arco. Depois de alguns segundos, eu me sento. Meus ouvidos estão zumbindo, mas, de outro modo, eu pareço estar bem. Os feitiços de defesa fizeram o trabalho corretamente, apesar do meu erro.

Minha atenção retorna ao campo de batalha, mas meus companheiros já eliminaram os invasores. Ivy está correndo em minha direção com lágrimas nos olhos.

“Toda poder-“

Eu pulei para fora por reflexo e coloco meu pé em suas tripas.

“Este apelido é proibido!”

Ivy se endireita.

“Estou tão feliz que você esteja bem. É uma pena que eu não possa puni-los mais. “

“Esqueça. Temos que eliminar as forças inimigas restantes na mansão.”

Aponto para a casa danificada e avisto fogo atrás de algumas janelas. Juntos, corremos para salvar o que ainda pode ser salvo.