Beyond?: Capítulo 23 – ~ Escapando. ~

2
399

Tradução: Pomba

Revisão: P_


 

“Aqui na escuridão, você aprende coisas novas sobre si mesmo. Algumas são boas, algumas são ruins. Só uma coisa é certa. Nenhum de vocês retornará como antes.”

-Desconhecido.

***Além, Algum lugar***
***Stella***

Azir está em pé na frente de todo o grupo para explicar como vamos proceder.

“Então aqui estão às regras. Vamos-nos teletransportar para um antigo laboratório dentro de um sistema de cavernas. Não toque em nada e me siga. Sempre fique com o grupo. Se estamos separados por qualquer motivo, fique onde você está desde que você não tem que fugir de alguma coisa. Eu vou te achar, contanto que você não se aventure muito longe do grupo principal. Se afaste de tudo que pareça um lodo preto.”

Ele faz uma pausa e olha para o teto em pensamento.

“E seja o mais silencioso possível. Não fale desnecessariamente, sem qualquer tipo de ruído se você puder evitar. Agora, entre no círculo e certifique-se de que todos estão aqui.”

Azir entra no centro do círculo e se senta. Todo mundo segue suas instruções em silêncio depois de olhar para Ryland e Quarma. Eles ainda são considerados os líderes, mas como eles não se opõem aos comandos de Azir, todos fazem o que ele ordenou.

Eu passo cuidadosamente para o círculo desde que eu não quero destruir as numerosas linhas finas e marcas. Seria horrível se morrermos agora por causa de um erro estúpido como esse.

E eu ainda tenho que dizer a Azir quem eu sou. Se não fosse por esse contrato estúpido que eu tenho teria dito a ele ontem, mas uma palavra errada e poderia quebrá-lo. Eu não vim tão longe para destruir todos os meus esforços para estar com ele por nada. Fiquei muito perto disto dizendo-lhe que eu tinha algum tipo de barganha.

Pelo menos eu posso evitar acionar o contrato parafraseando algumas coisas. Minha mãe não se incomodou com um contrato complicado, portanto, é muito literalmente.

Eu sou chamado de volta à realidade por uma luz intermitente. A luz me cegou por um momento, mas minha visão não retorna. Em vez disso, é substituído pela completa escuridão. Alguém lança um globo de luz e os nossos arredores são banhados em uma luz azul.

Estamos dentro de uma grande sala com dezenas de prateleiras. São preenchidos com frascos e pequenos artefatos. Algumas grandes máquinas também estão aqui. Nenhum deles faz sentido para mim. Tudo é coberto por uma espessa camada de poeira. No chão é um círculo semelhante ao que foi criado por Azir na loja.

Azir se levanta e caminha até uma das prateleiras. Ele pega algo e o leva para uma mesa de trabalho. Alguns toques simples separam o pequeno dispositivo em algumas peças ainda menores. Ele a reorganiza de uma maneira muito profissional. Tudo levou apenas alguns momentos. Em seguida ele caminha para outra prateleira e tira um pequeno conjunto de discos.

[Nota P: Com certeza essa coleção original dos Beatles de 1960 não pode ficar para trás]

Ninguém diz nada e espera silenciosamente em seu lugar. Ele se vira para nós e nos indica que devemos seguir.

Ryland e Quarma seguem-no e eu me junte aos seus calcanhares. Azir nos leva a uma grande porta de ferro. Ela se abre com um pequeno som rangendo e Azir a empurra devagar para ficar o mais silencioso possível.

Encontramos um estreito túnel fora e Azir assume a liderança. Algumas criaturas pequenas, brancas e magras escorrem enquanto passamos. Elas parecem feias e me fazem lembrar de pequenos roedores sem pelos.

Depois de alguns metros chegamos a um cruzamento. Nosso túnel continua a conduzir diretamente para frente, enquanto outro atravessa em um ângulo inclinado da esquerda para a direita. A esquerda leva mais para baixo, enquanto a direita leva para cima.

Azir para por vários momentos e ouve enquanto observa o túnel escuro à nossa esquerda. Então ele pega dois dos discos e os joga no túnel. Eles pousam no chão e uma parede laranja transparente de energia é projetada a partir deles, bloqueando o túnel.

Em seguida, o nosso grupo é conduzido para cima e o frio se foi. Ainda está frio, mas não é assim tão ruim. Embora fique mais frio com cada passo em que vamos para cima.

Ao entrar em um novo conjunto de corredores Azir dissipa sua esfera de luz e nos sinaliza a fazer o mesmo. Uma a uma as luzes desaparecem à medida que a informação é dada pela linha de pessoas que nos seguem. Alguns segundos depois, estamos em completa escuridão.

Mas então acontece, um por um as luzes pequenas aparecem nas paredes da caverna até que o túnel inteiro seja embebido em uma luz verde fluorescente. Eu percebo que as luzes estão se movendo lentamente sobre as paredes da caverna e quando eu dou um olhar mais próximo, eu encontro insetos brancos pequenos com traseiras incandescentes. Eles não criam muita luz, mas há muitos deles.

Nossa caminhada nos leva através de um labirinto de escuridão verde e caminhos entrelaçados. Eu simplesmente ando enquanto acompanho Azir em transe, tentando manter meus pés afastados de pedras soltas, o que poderia criar ruído ao rolar pelo túnel.

Acordo do meu transe quando me deparo com as costas de Ryland olhando para frente, encontro Azir lá em pé, sinalizando para que parássemos enquanto olhava para um corredor. Eu estico minha cabeça para descobrir o que chamou sua atenção.

Algo está se movendo lá nas sombras. Por um momento eu imagino ver algo como garras e tentáculos, mas então alguém sai das sombras. Ele sorri e estende as mãos em um gesto convidativo. É estranho, eu não conheço essa pessoa. Existem outras pessoas aqui em baixo?

Azir deixa cair um dos discos entre nós e a nova chegada e uma parede azul de energia cintilante nos separa dele. A pessoa pisa adiante, sorrindo, e alcança com uma mão para nós, tocando a barreira. Uma faísca marca a mão do homem e ele assobia enquanto estranhas ondas ondulam sobre sua mão e em direção ao seu rosto. Como se algo estivesse se mexendo sob sua pele!

“Não olhem para ele, se você os observar por muito tempo eles tomam a forma de alguém que você conhece. Não há nada mais assustador do que isso.”

Azir sussurra e continua em seu caminho.

“Pelo menos eles não podem falar”

A coisa recua para as sombras com uma expressão desagradada e eu me apresso a segui-lo enquanto Quarma fica para trás para se certificar de que ninguém é enganado.

Nosso caminho se estreita depois de mais dez minutos de caminhada e Azir bloqueia o túnel através de um dos discos. Em seguida, temos que ficar de joelhos e rastejar. O estreito túnel continua e não tem fim à vista. Finalmente, o teto fica muito baixo para rastejar. É menos de meio metro de altura, por isso temos que rastejar para frente.

Finalmente chegamos ao final e rastejamos cuidadosamente para a frente para encontrar nosso túnel terminando em outro corredor grande. A abertura para nossa caverna é a uma altura de dois metros.

O corredor grande divide apenas alguns metros adiante, mas o que eu encontro lá faz meu sangue congelar. Sete dessas criaturas magras e brancas estão de guarda. Uma luz vermelha está piscando no caminho à nossa direita e podemos ouvir os sons de algo como picaretas. Provavelmente é uma operação de mineração?

“Eles virão em nós como loucos quando tentarmos passar por eles.”

Azir sussurra e coloca sua cabeça sobre a pedra fria.

“Nós temos que tomar o corredor à esquerda. Ele se estreita como este e se transforma em um pequeno poço de mineração. Temos que subir por esse eixo. No final é o nosso destino. Eu só tenho um disco. Eles vão simplesmente bater contra ele até que falhe.”

Ryland acena com a cabeça.

“Nós todos atacaremos, os melhores em lutar devem ir para vir para frente. Tentamos mata-los sem alertar seus camaradas. Então nós vamos fechar o corredor direito até que todos passem.”

Azir concorda e nós nos preparamos enquanto os lutadores em nosso grupo se arrastam para nos encontrar.

Eu preparo uma lança arcana e esperamos. Finalmente Ryland receber a confirmação de que todo mundo com potencial de luta está na frente da linha. Ele sussurra.

“Três!”

“Dois”

“Um!”

Eles alertam as criaturas e começam a se mover, mas felizmente eles não são rápidos o suficiente. Sete magias disparam do nosso esconderijo e as sete criaturas caem mortas. Todos nós escolhemos feitiços como a lança arcana ou uma lâmina de vento para não fazer muito barulho.

Começamos a nos mover e eu ativo meu conjunto de runas passivas para melhorar meus movimentos. Depois de sair do esconderijo, eu giro no meio do ar para pousar em meus pés e correr para as criaturas para ter certeza de que eles estão mortos.

Depois de uma breve confirmação eu vou para o lado do corredor e espero pelos outros. Estou acompanhada por Azir, Ryland e Karsen. Lentamente, os outros saem do túnel.

É irritante quanto tempo demora, mas há vinte e um alunos, dez dos subordinados de Ryland, eu, Azir, Karsen, Talia, Ryland e Quarma. Trinta e sete pessoas rastejando atrás umas das outras. Vai demorar um pouco até que a última saia.

Todo mundo que não é bom em lutar vai diretamente para o túnel esquerdo para continuar a nosso destino. Aguardo impacientemente enquanto olho o corredor do qual posso ouvir os sons metálicos.

Apenas algumas pessoas a menos de tirar todo o mundo do estreito túnel nossa sorte se esgota. Uma criatura anda em torno do canto do corredor e deixa para fora uma orelha que quebra o uivo antes que fosse atingido por diversos feitiços.

O uivo é respondido mais adiante no corredor e momentos depois várias das criaturas aparecem. Azir joga seu último disco dez pés na nossa frente e bloqueia o corredor enquanto nosso povo se apressa para sair do túnel.

As criaturas correm e o primeiro atinge a barreira cintilante, sendo transformado a uma coisa carbonizada dentro de um segundo. Outros se jogam contra a barreira e sofrem o mesmo destino. Mas o fluxo de monstros não para e o corredor do outro lado da barreira se transforma em uma turbulenta massa de corpos. As coisas estão realmente batendo com tudo contra o disco, uns sobre os outros enquanto eles estão tentando chegar até nós.

A barreira de Azir começa a piscar e desaparece enquanto as criaturas estão pressionando os cadáveres de seus companheiros contra ele.

Karsen dispara um turbilhão de chamas pelo corredor enquanto todos nós lançamos feitiços para parar o ataque. Mas o ataque louco não pode ser interrompido. Não há fim para essas coisas!

Finalmente, um último aluno passa por nós.

“Eu sou o último! Quarma está presa! Ela disse para ir sem ela!”

Ela corre pelo corredor, seguindo os outros.

“Entrem no corredor!”

Azir avança e uma teia cintilante de mana dispara de suas mãos e bloqueia o corredor como uma teia de aranha. A carga é interrompida em outro momento, enquanto as coisas tentam rasgar a teia.

“Não sem você vovó!”

A irmã de Azir pisa a seu lado e tenta ajudá-lo.

Azir forma um punho e bate nela. Valéria cai como uma árvore derrubada. Ele olha para Ryland.

“Pegue ela, eu vou vir depois.”

Ryland puxa Valéria e a leva para o corredor.

O resto também se retira, mas meus pés estão congelados. Eu não posso me mover. Ele se vira para mim.

“Você também não. Não posso teletransportar duas pessoas.”

“Se você não nos seguir, eu vou caçá-la e puni-la na próxima vida.”

Eu giro e corro o mais rápido que posso. Eu não quero, mas eu faço isso.

Então uma explosão quebra o corredor atrás de mim. Eu caio plana no chão enquanto a poeira está correndo sobre mim.

***Além, Algum lugar***

***Azir ***

Eu rastejo para frente, tossindo. Comprimir a teia de mana sobre seu limite não era uma boa ideia. Quase me matei com esse truque. Pelo menos eu desmoronei o corredor fazendo isso. Deus, eu inalei muita poeira.

Colocando uma mão no meu peito, lancei outro feitiço de cura. Eu tusso mais uma vez e parece que algo sai dos meus pulmões. Eu vomito e cuspo preto, lodo sangrento fora de minha boca. Não. Eu definitivamente não farei isso novamente.

Alguns metros mais adiante eu encontro a gorda, velha bruxa. Ela está presa em uma das partes mais estreitas da passagem, apontando para mim.

“Você? Por que você voltou? Eu disse que você deveria continuar sem mim.”

Ela deixa seu quarterstaff com uma expressão cansada e ri.

“Não me diga que você está fazendo isso porque somos família.”

“Cale-se! Eu não estou fazendo isso por você! Mamãe vai me decapitar se eu não a trouxer pelo menos seu corpo para enterrar!”

Eu agarro sua mão e tento puxa-la, mas ela não se move.

“Eu estava errada. Você não é um demônio, mas você tem um mau caráter.”

Ela suspira:

“Eu não posso sair. Nem para frente nem para trás. Nada funciona.”

“Você é muito gorda! Eu vou ter que te teletransportar.”

Eu fecho meus olhos para me concentrar e encontrar a caverna plana com forma de cúpula com meu círculo de convocação.

“Vou tentar fazer algumas coisas diferentes se sobrevivermos a isso.”

Quarma reclama com uma expressão agitada.

“Silêncio. Preciso me concentrar.”

Mais uma vez, tento imaginar o necessário círculo de teletransporte e recolher a mana necessária. Pelo menos não sentiremos nada se eu estragar tudo. Então eu ativo o feitiço.

Nós dois caímos no chão, exatamente onde eu queria. Sento e olho em volta.

“Perfeito! Tudo ainda está aqui! Até eu!”

“O que você quer dizer? Até você?”

Quarma olha para cima, só para encarar meu velho corpo congelado, ajoelhado na frente dela.

“HIIIIII!”

[Nota Pomba: YODA? EOQ?]

Ela grita e se arrasta para trás.

Eu dou outro olhar para mim mesmo.

“Vamos. Eu não pareço tão ruim! Esse corpo chegou à idade orgulhosa de oitocentos e setenta e cinco!”

“~ Irmão! ~”

Eu ouço a voz de minha irmã e me viro, só para testemunhar o pé de minha irmã que impacta minha barriga.

“Ouf!”

Eu fico de joelhos e agachado.

“~ Maior punição espera por você em casa! ~”

“Eu fiz isso para te salvar.”

“~ A forma como você fez isso era inaceitável! ~”

“Não houve tempo.”

“~ Você nem tentou! ~”

De repente eu estou abraçado do lado, Stella está quase me esmagando.

“Eu pensei que eu tinha perdido você!”

Seus olhos caem em meu corpo velho:

“Uwah! Tão feio!”

Karsen caminha até nós e inspeciona meu corpo.

“Que cruel vai manter esta coisa viva? Parece que ele lutou até o fim amargo. Não há uma única parte sem cicatrizes.”

Talia se esconde atrás de Karsen:

“É assustador. E muito grande! Não voltará vivo e tentará nos comer?”

Bem, lamento que minha antiga raça fosse um pouco maior. Não aguento mais:

“Não fale assim sobre…”

“Sobre o quê?”

Karsen olha para mim com olhos interrogativos.

“… está tudo bem. Apenas tire-o do caminho.”

Eu gesticulo para o meu velho corpo.

Karsen caminha em direção a ele e eu estremeço com um som de quebra é ouvido. Ele joga um braço fora do círculo.

Eu me viro e tento me concentrar no círculo de convocação. Já está sintonizado com meu novo mundo. Alguns pequenos ajustes devem ser suficientes para criar um portal de volta para a capital. Me ajoelho e começo a trabalhar.

Com a habilidade deste corpo para coletar mana, deve ser um pedaço de bolo para alimentar o feitiço. Vai levar um tempo, mas isso não é o problema.

“Todos conseguiram?”

Stella me responde:

“Sim. Conseguimos fazer com que todos sobrevivessem.”

Depois de um tempo eu estou pronto e verifico o meu trabalho mais uma vez. Os procedimentos de convocação são removidos e substituídos por seus equivalentes apropriados. A segmentação é melhorada. Parece bom.

“Ei! Veja! Esse sujeito tinha caninos afiados e longos! Desagradável!”

Karsen volta com a cabeça, apontando para os dentes.

Olho para Quarma com uma expressão de súplica:

“Eu nunca teria pensado que eu descobriria como os mortos se sentem quando seus corpos são profanados!”

Quarma vira a cabeça de Karsen e a coloca na pilha de partes do corpo na parede. Então ela incinera tudo com seu feitiço de raio de luz.

Depois que eu terminar de verificar o círculo mais uma vez, eu me levanto e suspiro.

“Próxima parada. Nict, Capital!”

Começo a coletar mana e depois de alguns minutos eu ativo o feitiço.

Um grande portal vermelho aparece, uma visão familiar que nos espera na outra extremidade.

 

  • emerick

    Ai é tenso ve os outros falando mal do seu antigo corpo

  • Arthur Popuslou

    uma pena, tava esperando algo mais profundo, mais triste, mais mortes, ele falando de seu sofrimento que passou, essa novel é uma obra de arte