Beyond: Capítulo 02 – Despertar.

1184

Tradução: Pomba

Revisão: P_


*** Em outro lugar ***

*** Eu ***

DOR!

 

Esta agonia! Por que dói tanto? Abro os olhos. Meu olho? Por que eu tenho apenas um olho? Porra! Parece que algo está esmagando meu corpo e reconstruindo do zero! De longe eu ouço um grito. Mas então eu percebo que é o meu próprio. Não soa como uma voz que pertence a um ser vivo.

Finalmente, a dor diminui e me deixa deitado em um duro chão de pedra, enquanto estou ofegando por falta de ar. Parece que estou em um quarto escuro. As lâmpadas de óleo nas paredes fornecem luz suficiente para eu dar uma olhada ao meu redor.

Há algo como um círculo mágico no chão perto de mim. Estou no centro de um hexágono de cerca de dez metros de tamanho. Em cada extremidade do círculo de convocação encontra-se uma pessoa com suas gargantas cortadas. Que desperdício! Que açougueiro orquestrou esse ritual?

Eu volto minha atenção para mim. Dois braços e pernas rechonchudas. Dois olhos, um nariz, uma boca, dois ouvidos! Pelo menos eu sou simétrico. Embora a arma entre minhas pernas gorduchas pareça um pouco pequena.

Há sangue por todos os lados, mas minha pele não é ferida e macia. Pareço ser uma criança? Sim, acho que me lembro agora, as crianças pequenas devem ser assim. Mas, por que diabos sou uma criança?

Uma pequena voz chorando chama a minha atenção e me viro.

Eu sou cumprimentado por um cara em uma capa preta. Seus olhos são completamente pretos e uma única asa preta emplumada brota de seu ombro direito. Ótimo, outra aberração!

Ele tem um punhal sangrento em sua mão direita e um amuleto reluzente em sua esquerda. As linhas e os círculos do amuleto estão formando o mesmo círculo mágico do que eu estou sentando. Vou chamar esse cara Sr. Black por agora.

Atrás dele está um altar sujo com uma mulher chorando no topo. Ela está chorando e tenta fugir, mas grilhões invisíveis a mantêm no lugar. Há cortes em todo o seu corpo e sua barriga é uma confusão sangrenta. O Sr. Black a escondeu? O que me parece mais estranho, porém, é a cauda giratória que está ligada a ela e os chifres pretos que coroam sua cabeça. A estranha cor de cabelo metálico escuro é apenas um pequeno bônus em comparação com suas outras características. Sinto muito, Sra. Sacrifício. Eu não acho que você vai sobreviver.

Black avança enquanto ele parece confuso comigo. Provavelmente ele esperava algo grande e vermelho, com garras? Ah… acho que matei o que o Sr. Black queria invocar.

Ele sacode seu amuleto para mim. “O que é isso!? Esse fracasso! Muitos sacrifícios! Para uma criança pequena!?”

Seu rosto fica vermelho enquanto ele está gritando comigo, mas eu não entendo sua linguagem. Isso é um problema. Ou não? Não tenho certeza se quero entendê-lo.

Meus olhos vão para outra pilha de corpos enquanto o Sr. Black continua gritando. Parece que essa é a razão pela qual seu ritual de convocação sentiu-se tão cheio de vida. Foram usadas muitas pessoas para o ritual.

Bem, eu não me importo.  Há pessoas reais ao meu redor pelo menos. Não me lembro de quanto tempo foi desde que tive companhia. Não importa se eles estão vivos ou mortos. Pessoas são pessoas.

“Faça você pelo menos algo útil e limpa tudo isso!” Black fala com uma voz dominante e seu amuleto pulsa vermelho.

Eu sinto algo puxando em minha mente. Magia de escravidão? Eu nem entendo o que ele quer. Esse cara é um idiota? Agora me sinto sortudo por não entender sua língua. Sem comandos, sem escravização. Eu sorrio para ele da maneira mais estúpida que eu sou capaz.

Ele pisa no chão. “Graaah! É estúpido também! Isso significa que apenas comandos simples funcionam. LEVANTE!” Ele levanta seus braços em conjunto com o comando.

Infelizmente, o gesto sozinho não é difícil de entender e eu começo a me mover antes que eu possa fazer qualquer coisa contra ele. Porcaria!

Apenas neste momento a porta de madeira pesada que conduz a esta sala explode e se abre e várias pessoas entram correndo. Todos eles carregam armas e têm os mesmos corpos estranhos que a Sra. Sacrifício. Embora eu note que os homens não têm caudas.

O Sr. Black agita a mão e o primeiro grupo de atacantes é jogado para trás por um pulso de poder tele cinético.

“Mate!” O Sr. Black aponta para os recém-chegados e olha para mim enquanto o amuleto brilha.

Eu hesitei por um segundo sobre o que fazer. É óbvio que ele quer que eu faça algo com eles. Há muito esquecido sentimentos de ódio dentro de mim enquanto olho para os recém-chegados. Provavelmente o amuleto é a razão para esses sentimentos.

Por um momento eu vacilo. Mas então eu levanto minha mão e infundo minha mana no sangue ao redor da sala. Outra onda da minha mão força o sangue sob minha vontade e uma névoa vermelha fina se forma entre nós e os recém-chegados. Em seguida, solidifica em uma barreira vermelha transparente e cintilante.

De alguma forma eu não gosto de ser ordenado por Sr. Black. Então eu intencionalmente mal o entendi.

Por outro lado, minha hesitação permitiu que três atacantes passassem pela barreira antes que ela estivesse totalmente formada. Há uma mulher velha com uma equipe e uma mulher mais jovem que parece semelhante a Sra. Sacrifício.

Um homem com uma lança também conseguiu passar a minha barreira no tempo. “Valda!” Ele grita de raiva enquanto encontra a Sra. Sacrifício no altar.

As pessoas trancadas estão batendo em vão em meu selo de sangue. Embora cada um de seus golpes crie pequenas aberturas na barreira transparente de sangue. Os furos fecham imediatamente após serem criados. Estranho. Eu pareço ser muito fraco. Eles não deviam ser capazes de fazer nada contra a minha barreira.

As três pessoas que conseguiram passar pela barreira sem hesitação e o Sr. Black os força para trás com outra onda de poder.

O Sr. Black levanta o amuleto outra vez. “K … Aargh!”

O cara da lança jogou sua lança em Sr. Black e bateu no meio de sua mão morta. O amuleto voa pelo quarto e para perto do Altar.

Tento mover-me para destruir o objeto amaldiçoado, mas estou preso à minha posição. A ordem anterior ainda está em vigor e recuperar o amuleto para mim não tem nada a ver com manter os atacantes na baía.

O cara da lança nos ataca junto com a mulher mais nova, mas um balanço da asa do Sr. Black o limpa como uma mosca irritante.

“Yoran!” A mulher grita para o portador da lança. Então o Sr. Black arranca a mulher mais nova do ar como um brinquedo. Uma onda de forças de força de vida para frente e para trás entre eles. Mas a mulher está sendo carregada com facilidade.

A garota grita enquanto está sendo segurada em sua garganta e Sr. Black está sugando algo como uma névoa verde fora dela com sua asa como um condutor. Eu estremeço. O Sr. Black parece ser um mago da alma e eu não posso me opor a ele enquanto estou sob a influência desse maldito amuleto!

Examino o quarto e encontro a velha parada de novo. “Demônio! Suma!” Ela levanta seu bastão e um raio de luz atirando em direção ao Sr. Black. Ele o desvia com facilidade e envia a avó para o chão com outro pulso de poder. Suponho que ele não usou todos os sacrifícios para minha cerimônia de convocação. Ele usou pelo menos alguns deles para se fortalecer.

Sr. Black deixa a garota cair no chão e zomba do cadáver.

Então, algo me puxa a mente e eu chamo a atenção. Virando-me para o altar, encontro a Sra. Sacrifício no chão. Ela está segurando o amuleto que foi voo mais cedo para o chão com ambas as mãos. Sua expressão é desesperada enquanto ela olha para mim. “Nos salve. Nos salve. Por favor!”

Eu não entendo o que ela quer, mas eu posso adivinhar.

A atenção do Sr. Black se volta para a Sra. Sacrifício. “Não!” Ele move-se para frente, mas eu o puxo com telecinese e vou até ele.

O sangue no chão ainda está infundido com minha mana e um mero pensamento é suficiente para formar um longo pico onde o Sr. Black aterrissa no chão. Penetra seu peito e sai em suas costas. Ele olha para mim com olhos chocados enquanto entro em sua direção e toco sua bochecha, fazendo contato com sua mente.

Um grito sai dele quando eu começo a drenar sua força vital. Finalmente seu controle desliza e todas as almas que estavam contidas dentro dele escapam. Dezenas de luzes saem dele e eu pego um deles. Tem o sentimento direito a ele. E está em sintonia com o cadáver da jovem.

A alma está em tumulto, então eu forço meus próprios sentimentos de calma sobre ela. Eu tento com dificuldades, absorver lentamente a alma a fim de não sobrecarregá-la. Afinal, é uma alma jovem.

Tem sido um longo tempo desde que eu fiz isso, mas acho que tenho o caminho certo. Caminho com meus pés gordinhos até o cadáver da jovem e me sento ao lado dela. A alma entra em seu corpo com facilidade e eu eletrocuto a mulher. Ela ofega e abre os olhos.

Bom, não demorou muito tempo desde que a sua alma foi tomada. Enquanto se ela for devolvida em um determinado período de tempo, não deve haver problemas.

Eu acaricio sua testa para tranquilizá-la, deixando uma mão sangrenta impressa lá. Ah, esqueci que ainda estou sujo. Ela está apenas olhando para mim, espantada.

Isto está feito. Mais uma tentativa em sair daqui…Mas a força do amuleto não me solta e eu volto para a Sra. Sacrifício quando a jovem fica de joelhos.

O homem da lança está segurando-a com lágrimas nos olhos. Ela está sussurrando algumas palavras para ele. Provavelmente suas últimas. Pego sua mão e começo a derramar a força vital que roubei do Sr. Black dentro dela.

É um saco fazê-lo, mas eu continuo assim mesmo. A ferida em sua barriga fecha e os cortes desaparecem. Finalmente alguma cor retorna ao seu rosto. Ah, eu sinto tonturas. Esta maneira de curar é incômoda, mas é a mais eficaz que eu conheço.

Ambas a Sra. Sacrifício e o homem da lança olham-me maravilhados.

“Não!” De repente, a Sra. Sacrifício dispara para frente e me agarra, protegendo-me com seu corpo contra algo.

“Saia do meu caminho! Temos de lidar com esse monstro!”

A voz da velha fala, mas estou cansado demais para ouvir. Ela parece irritada e é perigosa. Eu tenho um tempo difícil ficar acordado desde que eu já enganei o ceifador de duas vidas.

“Meu filho não é um monstro!”

A mulher está chorando acima de mim. Eu alcanço e enxugue as lágrimas, sem entender o que está errado. Eu não a salvei? Não há necessidade de derramar lágrimas. Como um desperdício de recursos. Fecho os olhos para finalmente dormir…