Beyond?: Capítulo 19 – ~ Apenas uma parte. ~

1
395

Tradução: Pomba
Revisão: P_


 

“Nict é um lugar estranho em comparação com Quinn. É confuso ver que as pessoas que governaram um grande império agora estão concentradas em seus próprios negócios, não se importando com nada fora de seu país. Não entendam mal, eles eram simpáticos e toleravam minha presença em suas ruas. Embora eu sempre tenha sentido que eu não pertencia a aquela cidade. O povo de Nict parece muito frio e calculista em comparação com o que estou acostumado.

 

Suas roupas diferem apenas ligeiramente de cidade em cidade. Calças planas e camisas para homens e vestidos com saias longas para as mulheres são uma visão comum. Seus edifícios são todos feitos de tijolos vermelhos. Há apenas poucas decorações e as ruas são retas sem curvas, parecendo todas iguais para mim. Eu andei em suas cidades por semanas, mesmo usando seus portais. Até agora eu tenho que dizer que as grandes cidades de Nict são apenas uma grande cidade na realidade. Os portais iludem as diferenças entre as suas cidades e uma vez que o seu uso é livre, indo de uma cidade para a próxima leva apenas um passo.

 

Quando entrei neste país, ainda acreditava nos rumores dos magos maus que suprimem as pessoas sem magia. Mas eu tenho viajado Nict por mais de um mês agora e eu tenho que dizer que eu ainda tenho que encontrar um único praticante de magia. Não vi pobreza ou favelas e até os mais pobres pareciam bem alimentados. O único contato que tive com os magos foi quando uma cara carruagem passou por mim e todo mundo nas ruas de repente se ajoelhou. Isso me assustou e quando eu pedi informações eu tenho a resposta que era uma dos protetores da paz.

 

Assim, apesar dos rumores que ouvi em Quinn, tenho que admitir que a regra dos magos em Nict não é de forma alguma ruim. Eu até perguntei o que aconteceria se um mago atacasse alguém sem magia. Tudo o que consegui foi uma expressão estúpida e a resposta de que o agressor seria severamente punido por sua líder do clã.”

 

-Touri, cidadão de Quinn.

 

 

 

***Cidade Livre Estados de Nict, Capital***

***Azir ***

 

 

 

“Então, como é o círculo mágico para a magia de teletransporte?”

 

Professora Agate Eddin me pergunta com as sobrancelhas tricotadas. Ela aponta para o quadro-negro enquanto observa as fileiras de estudantes dentro do auditório.

 

Suspiro e pego um pedaço de giz para desenhar a resposta no quadro-negro. Esta estúpida bruxa é a única professora que ainda insiste na minha presença durante as aulas. Ela até me testa regularmente, fazendo suas perguntas cada vez mais complicadas.

 

Agate está em seus trinta e tem um conjunto escalonado de chifres em sua cabeça. Ela usa seu cabelo vermelho no comprimento dos ombros e sempre tem um conjunto de óculos em torno de seu pescoço. Eu já deduzi que a cor dos óculos que ela usa em seu nariz representa seu humor.

 

Às vezes eu tenho a sensação de que ela deseja que eu falhe. Espero que futuramente ela venha me fizer uma pergunta que ela mesma não sabe a resposta. Então eu vou simplesmente devolver a bola para ela e perguntar se ela pode me dar à resposta.

 

Tenho dezoito anos agora e meu campo de estudo escolhido é para ser um artesão. Karsen e Talia optaram por se juntar aos militares, então eles estão seguindo um caminho diferente do meu. Louise está estudando os mistérios da magia e Stella está agora completamente comprometida com sua pesquisa em medicina e química.

 

Terminando o círculo mágico, eu viro para Agate e aguardo. Ela continua a olhar para o quadro-negro por vários segundos. Finalmente ela se vira para a mesa e marca o meu nome em sua lista.

 

“Tudo bem, você ganhou. Você está livre para ir.”

 

Me curvo para ela e saio do auditório enquanto os outros alunos me olham. Tornou-se um ritual diário para apostar meu conhecimento contra o dela. Se eu tiver sucesso em responder a sua pergunta, estou livre para ir pelo resto do dia.

 

Lá fora já está escuro. Quem pensou que é uma boa ideia para realizar aulas no final da noite deve ser espancado. Não admira que ainda haja pessoas desaparecidas. Houve sete novos casos de alunos desaparecidos. Todos eles aconteceram à noite, mesmo diante de uma constelação de estrelas favoráveis para realizar uma cerimônia de convocação.

 

Portanto, é razoável supor que alguém está mergulhando em algo que é proibido. Eu não tenho nenhuma esperança de encontrar as pessoas desaparecidas vivas. Não é como se eu me importasse com eles, mas desde que meus amigos também estão em risco eu tenho tentado parar isso.

 

Por essa razão, eu vou patrulhar as ruas novamente esta noite. Eu tenho feito isso há algum tempo. Infelizmente eu nunca encontrei o sequestrador. Eu fecho meus olhos e uso minha habilidade para sentir a mana ao meu redor. Há luzes de rua neste mundo, mas sua luz não é suficiente. Alguém podia se esconder nas sombras dos cantos escuros ou fora das ruas.

 

Eu começo a caminhar enquanto fico longe das luzes. Quem sequestrou aqueles estudantes era hábil suficiente para desaparecer sem um traço. Então, ele tinha a sua confiança, ou ele completamente os dominou.

 

Começo a voar, e alargo a minha área de busca enquanto eu me deslizo lá. A magia da levitação é a forma mais conveniente de viajar de um ponto a outro. Claro que eu também poderia-me teletransportar, mas a crença geral por trás da magia de teletransporte é que é muito perigoso fazê-lo sem uma linha de visão.

 

Os magos deste mundo simplesmente não encontraram um algoritmo para mudar o ponto de saída para uma área vazia.

 

Eu assisto as ruas e os edifícios sob mim. A habilidade do meu clã de controlar a mana requer que se possa senti-lo. Usando este sentido especial, tudo se parece com uma imagem com diferentes tons de azul. Quanto mais profunda a cor azul, mais mana um objeto possui. As plantas, os animais e os povos olham como silhuetas azuis brilhantes. Magos fortes têm uma aura em torno deles. Eu suponho que é mana que está escapando de seus corpos. Os objetos mortos são quase brancos.

 

Meu relógio dura mais de uma hora até que eu finalmente encontro algo de interesse. Eu sinto uma única aura brilhante andar por uma rua para o leste de mim. Outra pessoa forte está seguindo essa aura, mas de uma maneira muito suspeita. Longe o suficiente para manter fora da vista, enquanto ficar perto o suficiente para manter a seguindo.

 

Mudo de direção para observar mais perto. Se for o meu alvo eu quero uma prova concreta antes de agir. Então eu acho que vou esperar até ele atacar.

O jogo de gato e rato continua por mais alguns minutos até que a aura seguinte atinja finalmente uma brilhante aura.

 

Eu fico fora de vista em uma altura de cerca de trinta metros. Depois de um tempo, ambas as auras começam a se mover novamente, embora elas estejam muito próximas umas das outras e parecem quase como uma única aura. Então, um deles está sendo levado. Desço lentamente para o beco escuro.

 

Não há chance de se esconder aqui, então eu cortei o caminho do atacante e criei uma ilusão para ficar despercebido o máximo de tempo possível. Então eu coloco um clone de mim mesmo no chão para atrair a atenção do meu alvo.

 

Se eu lançar algo grande ou reunir muito mana do meu ambiente meu alvo pode sentir que algo está errado e escapar. Então eu espero. Revelar a identidade do inimigo deve ser bom o suficiente. A comunidade mágica é muito pequena para se esconder dentro dela uma vez que seu rosto é conhecido. Ou teria que ser um indivíduo extraordinário para realizar algo assim.

 

Finalmente, sou capaz de distinguir uma pessoa carregando outra sobre seus ombros. Pelo menos eu acho que é um homem. Ele é alto e tem ombros largos. Um capuz está cobrindo sua cabeça. A vítima parece ser uma estudante, usando as vestes das universidades. Consegui um vislumbre da cor da sua túnica quando passaram por uma janela iluminada.

 

Ele finalmente vê a minha imagem de ilusão e para. Eu vou para frente e caminho em direção à figura encapuzada. O homem encapuzado reage sem aviso. Ele ergue uma mão e uma faísca vermelha de energia dissipa minha ilusão.

 

Mas desativei minha magia de levitação ao mesmo tempo e caí no chão atrás dele Cobrindo minha mão em energia mágica eu bati na sua espinha, com a intenção de paralisá-lo das pernas para cima.

 

Meu punho bate algo duro e eu sinto a minha pele romper os meus ligamentos. A mana que concentrei em minha mão explode para fora e aumenta a força de meu ataque. Este não é o efeito desejado. Esse cara está usando armadura?

 

Mas ele não era completamente invulnerável. Ouço um profundo grunhido enquanto ele tropeça para frente e deixa cair sua vítima. Sem perder tempo, eu sigo e pego uma mão em suas costas, colocando uma maldição sobre ele. É uma simples que drena sua mana e desestabiliza seu controle.

 

Ele não me dá uma chance de fazer mais. Sua perna dispara em minha cabeça e eu me afasto, batendo em sua perna de apoio. Desta vez eu sinto carne quando minha mão magicamente aumentada escava em sua perna. Ele grunhiu de dor. Tento criar uma conexão para drená-la de sua mana, sentindo várias almas dentro dele.

 

Uma memória fraca vem à minha mente. Eu já lidei com uma pessoa como esta, uma vez. Um duelo mental curto ocorre, mas desta vez meu oponente parece ser hábil nesta arte. Ele literalmente sacrifica o controle sobre uma de suas almas para usá-la como uma distração contra mim.

 

As memórias de outra pessoa tremulam em minha mente e eu sinto um punho se conectando com a minha mandíbula. A ligação com minha magia está quebrada e o homem encapuzado recua. Ambos atacam um ao outro ao mesmo tempo.

 

Uma esfera azul pequena e uma esfera vermelha de fogo disparam. Meu orbe azul bate o homem em seu ombro, quebrando algum tipo de feitiço de barreira e explodindo seu braço fora. A bola de fogo bate diretamente no meu peito, enquanto eu forço todo minha mana disponível em uma fina camada ao redor do meu corpo.

 

Uma explosão ilumina o beco e eu sou arremessado como um boneco, golpeando a parede de uma casa e perfurando através dela. A parede desmorona acima de mim e eu me sinto sendo enterrado sob tijolos enquanto a poeira enche meus pulmões.

 

Só meu escudo me protege de ser esmagado. Eu fico calmo e me concentro no meu redor. Eu só tenho que continuar respirando agora. Se eu perder o controle, eu vou ser esmagado! Desta vez vou levar meu tempo para recuperar minha mana. A mana em meu ambiente flui para mim e eu sinto meu poder sendo reabastecido. Lentamente empurro a pilha de tijolos acima de mim até que eu tenha limpado uma pequena parte suficiente para sair dali.

 

Uma bolha de mana está me cercando agora. A técnica da minha mãe pode ser grosseira, mas ainda é o melhor método de defesa que conheço. Leva um tempo para configurá-la e você alerta todos dentro de uma centena de metros, mas uma vez que você ativar, você será como um tank.

 

Saio da pilha de tijolos, tirando-os da minha frente. Do lado de fora eu acho quatro pessoas em uma posição protetora contra mim. Meu adversário se foi. Levanto ambas as mãos e solto a mana ao meu redor.

“Eu venho em paz! Não me faça mal!”

 

“Azir?”

 

O inspetor Ryland se aproxima, mas não abaixa sua espada.

 

“Você percebe como isso parece?”

 

O que? Não me diga que você acha que eu sou o agressor? Minha atenção vagueia para as outras três pessoas atrás do inspetor. Eu os conheço.

 

Karsen está segurando a vítima inconsciente de mais cedo como uma princesa. Talia está segurando um arco com uma flecha pronta, mas ela parou de apontar para mim quando eu apareci. Ambos estão tomando classes militares e estão ajudando Ryland como assistentes. Portanto, não é estranho para eles estarem aqui.

 

A terceira pessoa é a avó Quarma… ótimo. O único membro da minha família que me odeia. Ela ainda está apontando para mim com sua quarterstaff.

 

“Só aconteceu de eu encontrar alguém que estava carregando a menina em seus ombros. Quando me aproximei para perguntar o que estava errado, ele atacou sem uma palavra. Nós lutamos e ele me enviou voando para aquela parede.”

 

Aponto atrás de mim.

 

Ryland resmunga:

 

“Você pode provar sua história de alguma forma.”

 

Eu levanto minhas sobrancelhas enquanto estou pensando sobre o problema.

 

“Ah! Eu o feri! Isso é bom o suficiente? Esse é o sangue dele.”

 

Aponto a mão sangrenta que eu segurei na perna do meu adversário.

 

“E eu estraguei seu braço, talvez ainda esteja deitado em algum lugar.”

 

Finalmente Ryland abaixa sua espada um pouco e dá sinais para Talia procurar a vizinhança. Sento no chão enquanto aguento o mau olhar da minha avó. Ryland se aproxima e tira algumas amostras do sangue na minha mão.

 

Talia retorna pouco depois com um braço ensanguentado, segurando o mais longe possível dela. Eu duvido que ela fez a escolha certa quando ela foi para uma educação militar.

 

Ryland agarra o braço como um objeto sagrado.

 

 

“Esta é a melhor prova que tive desse bastardo em muitos, muitos anos! Finalmente uma pista. Resta apenas uma pergunta… ”

 

Ele para pôr um momento.

 

“Onde está o resto dele?”

 

  • Arthur Popuslou

    deve ter uma magia de detecção, n é possivel -_-