Beyond?: Capítulo 17 – Suspeitas.

2
420

Tradução: Pomba
Revisão: P_


“Os Eddin, embora não tenham muito poder de luta, são os melhores curandeiros de Nict. Eles são naturais na cura e magia de cura. As feridas mais horríveis podem ser curadas em poucos minutos. Embora tenha que ser dito que não podem trazer de volta os mortos.

Essa é a razão para sua ascensão no poder. É claro que eles não oferecem suas habilidades excepcionais gratuitamente e alguém deve sempre ter dinheiro suficiente em seus bolsos, se ele pretende se machucar.

 

-Visor Ellenoy, Visitante da grande casa de cura em Penta.

***Cidade Livre Estados de Nict, Capital***

*** Azir ***

Eu bocejo e passo para fora da instalação de pesquisa. É chato que algumas aulas ainda exigem a presença do aluno. Fazer apenas os testes é muito mais do meu agrado.

“Um! Dois! Um! Dois!”

“Corra mais rápido!”

“Ela ainda está respirando!”

Eu pisco. Agora um grupo da faculdade de curandeiro passou por mim. Dois deles estavam levitando uma aluna em uma maca. O rosto estava muito espancado para ser reconhecível, mas eu sabia o cabelo laranja. Tinha que ser Olivia.

Um dos chifres de Olivia estava quebrado e preso em seu peito. Sua cauda estava dobrada em um ângulo de aspecto doentio. Meus olhos vagam até o chão e eu inspeciono o rastro de sangue que foi deixado para trás por sua passagem.

“Azir?”

Os dois que a carregavam eram acompanhados por três curandeiros. Um deles estava carregando um braço e outro tinha uma garrafa em suas mãos com um globo ocular dentro.

[Nota P: PQP q  menina violenta!!!!]

“Azir?”

Estranho… Olivia não me desafiou para um duelo. Então por que ela está machucada? Eu fiz alguma coisa enquanto eu estava dormindo? Isso seria um desenvolvimento assustador. Eu sei que eu tenho um temperamento, mas eu não acho que é tão ruim assim.

Uh… não. Ainda estou com sono. Eu não deveria pensar demais na situação.

“Azir?”

Olho para cima da trilha de sangue e encontro Stella na minha frente.

“Eu acho, eu só vi algo estranho. Era Olivia?”

Stella inclina a cabeça:

“Sim. Encontrei-a no parque. Ela estava em um estado muito ruim, então eu chamei alguns curandeiros.”

“Oooh. Você é generosa. Eu nunca chamo os curandeiros depois que eu bato nela.”

Eu aceno e sorrio:

“Espere, tem algo a ver com as pessoas desaparecidas?”

“Errr… Parecia que ela não iria durar muito mais tempo. Então eu decidi morder a maçã azeda. E eu só a encontrei, então eu não sei nada.”

Stella puxa uma careta:

“Na verdade eu queria te informar que eu vou estar fora por um dia ou dois.”

Arco uma sobrancelha:

“Bem. Não é como eu quero me intrometer, mas posso saber o que você vai fazer?”

A expressão de Stella se ilumina num sorriso deslumbrante:

“Assuntos de família. Meu pai está voltando para casa depois de muito tempo e eu quero passar algum tempo com ele.”

“Hmm. Eu poderia usar isso para me apresentar. Você ainda não me disse onde você mora.”

Eu arranho meu queixo:

“É um pouco constrangedor que eu não sei onde encontrá-la, além da universidade.”

Stella me abraça:

“Vou lhe mostrar outra hora. O que eu quis é que quero passar algum tempo com meu pai. Sozinha.”

[Nota P: Moss quando alguém esconde algo de mais tem caroço em baixo desse angu]

“Você realmente não o vê muitas vezes? Está bem. Tenha um tempo agradável então.”

Eu aceno e Stella.

“Obrigada. Eu voltarei.”

Ela se vira e me deixa para trás.

Hmm. Na verdade eu ainda quero saber onde ela mora. Ela está muito envergonhada para me mostrar? Eu sei que é perseguir, mas segui-la para descobrir pode ser interessante?

Stella dá meia volta e começo a me mover, seguindo-a rapidamente. Mas ao chegar ao canto eu mesmo acho que ela se foi.

Sumiu?

Eu olho para o céu. Não, ela não voou. Em seguida, ao redor do próximo canto? Eu ando com passos rápidos ao redor do edifício, mas nenhum sinal de Stella:

“Como pode ser? Como alguém pode desaparecer no ar?”

Lançamento de magia de levitação eu deslizo para cima enquanto eu dou uma olhada em toda a área. Hm. Nada que eu possa fazer agora. Ela deve ter tido pressa.

Meus pensamentos voltam para Olivia. Eu realmente não me importo o que aconteceu com ela, mas eu poderia muito bem investigar. Se algo perigoso está acontecendo eu quero saber sobre isso antes que algo ruim aconteça com meus amigos.

Vamos ver. Acho que a faculdade de curandeirismo estava nessa direção. Eu voo descontraidamente enquanto eu aproveito a vista de acima. Alguns outros magos também estão usando um ou outro método para voar a partir do ponto A ao ponto B. Mas não há pessoas suficientes, que são capazes de tal façanha, para causar problemas de tráfego.

Eu pouso na frente do prédio grande, que é usado pelos curadores, e entro. Uma pequena conversa com o recepcionista na entrada me guia para o quarto certo.

Dentro encontro Olivia em uma cama. Talia e Karsen, o Sr. Pendragon e um cara com um vestido muito caro parecem cercá-la. Todos eles se voltam para mim quando entro.

Pendragon tem algumas aulas na universidade também, então sua presença não é tão estranha. Embora eu ainda queira saber por que ele está aqui? Seu cabelo grisalho parece um pouco desarrumado e seus dois chifres retos se assemelham a Olivia. Não me diga que ele é realmente um parente?

Talia usa seu cabelo castanho em tranças. Seus chifres formam dois crescentes, que estão apontando para trás de sua testa. Ela tem a mesma altura que eu e seus olhos sempre parecem um pouco sonolentos porque eles estão ligeiramente inclinados. No entanto, não está fazendo a sua aparência ruim. Isso… se encaixa no seu tipo. Essa é a maneira certa de dizer isso. Ela acena com a mão para mim.

Karsen usa seu cabelo loiro um pouco maior que o meu. Seus traços faciais tornaram-se mais difíceis com o tempo, mas ainda há um toque infantil para eles. Seus chifres correm para frente de sua cabeça e dão uma volta afiada para trás. Ele me dá um aceno de cabeça.

Acho que Louise mencionou que eles estavam aqui. Provavelmente eles viram Olivia sendo carregada em uma maca e ficaram curiosos. O chifre de Karsen não deveria estar quebrado? Os curandeiros fizeram um bom trabalho em junta-lós.

“Agora, quem nós temos aqui?”

Um cara olha com expectativa para mim enquanto rabiscando algo em seu caderno, ele nem sequer olha para baixo enquanto faz isso. Ele tem uns trinta anos e seu rosto parece de um malfeitor. Eu não posso descrevê-lo de qualquer outra forma. Seus chifres se abrem em três picos escalonados acima de sua cabeça.

“Eu sou Ryland, investigador-chefe de todos os eventos estranhos em terrenos da universidade. Não se preocupe com eles. Eu só os entrevistei porque eles pareciam conhecê-la.”

Ele gesticula para Karsen e Talia.

Eu passo mais perto:

“Azir Zait. Eu só queria dar uma olhada no meu autoproclamado rival.”

Eu dou uma olhada para Olivia, que está apenas olhando para cima no teto, segurando com as duas mãos em seus lençóis.

“Parece que eles o juntaram.”

“Então você sabe sobre o que aconteceu? Você viu alguma coisa?”

Ryland me olha da cabeça aos pés.

“Ouvi dizer que vocês dois se feriram frequentemente?”

Levantando um dedo, corrijo suas informações.

“Isto está errado. A que ficou ferida foi sempre ela.”

Aponto para Olivia, que ainda está olhando para o teto:

“O que há de errado com ela?”

“Ela não reage. Os curandeiros não sabem o que está errado.”

O Sr. Pendragon responde um pouco devastado.

Ryland murmura e dá uma olhada em suas notas:

“Os curandeiros disseram que alguém a levou muito habilmente à beira da morte, evitando matá-la. Segundo eles, tinha de ser feito por alguém que conhecesse muito bem o campo da anatomia.”

Eu ando até Olivia e cutuco sua bochecha com meu dedo.

“Choque? Alguém a confundiu com um quebra-cabeça depois de tudo.”

Nenhuma reação.

“Devo acordá-la?”

“Você pode?”

Pendragon olha para mim esperançosamente. A expressão de Ryland é duvidosa.

“Por que você deve ter sucesso onde os curandeiros falharam?”

“Por quê?”

Porque eu sou um praticante do mal das artes das trevas?

“Porque eu sou um prodígio?”

Porque eu sou um demônio chamado de outro mundo?

“E porque eu provavelmente sei mais sobre magia do que todos os meus professores juntos?”

Eu torço meus dedos na minha frente.

“Primeiro passo. Tratamento de choque. Apenas para confirmar seu status!”

Eu concentro mana na ponta dos meus dedos e me concentro em criar dois polos giratórios de poder. Uma faísca começa a cintilar entre meu dedo indicador e meu polegar.

Sem hesitar, afago minha mão no lado de Olivia, que treme sob a corrente elétrica.

“KYAAA!”

Ela se senta, ofegante, olhando para a esquerda e para a direita, com os olhos arregalados.

Eu resmungo:

“Ah … que chato. E eu pensei que eu poderia fazer algumas coisas mais avançadas com ela.”

“Olivia!”

Pendragon abraça Olivia de lado. Então ele é realmente um parente? Tio? Muito velho para ser seu pai.

Ryland anda até Olivia.

“Sabe o que aconteceu com você?”

“Claro! Aquela puta…”

Seus olhos se arregalam e ela segura ambas as mãos na frente de sua boca. Então ela olha ao redor mais uma vez. Olhando Pendragon, Talia, Karsen, Ryland e eu, seus olhos se arregalam por um segundo.

“… Me encontrou.”

Então ela parece se acalmar e limpa a garganta.

“Não me lembro.”

Ryland para de rabiscar e olha para cima:

“O que você quer dizer? Você não se lembra.”

“O que eu disse. Não me lembro. Eu estava andando no parque e depois acordei aqui. O que aconteceu?”

Olivia balança a cabeça.

“Você acabou de dizer que alguém te encontrou? Então você se lembra pelo menos de alguma coisa.”

Ryland aponta com seu lápis para Olivia.

Ela inclina a cabeça:

“Sim, eu me lembro de acordar e tudo estava doendo. Aquela cadela mais comum, Stella, estava inclinada acima de mim. Então ela fugiu, pedindo ajuda.”

Olivia acena com a cabeça enquanto foca em seus lençóis.

“Hmmm. Já falei com aquela. Por favor, melhore seu tom com o nome das pessoas quando falar comigo no futuro.”

Ryland retorna a seus rabiscos.

“Você pode ir agora. A vítima precisa descansar e eu não preciso de você aqui.”

  • Não gosto da Stella… Prefiro a Louise mesmo, Ela tem peitos grandes pelo menos. xD

    • Arthur Popuslou

      poxa, acho Stella massa, meu gosto de gente diferente talvez, mas depois dessas coisas ae bateu medo ;-;