Beyond?: Capítulo 16 – Universidade.

2
712

Tradução: Pomba
Revisão: P_


 

“A habilidade dos Anja de controlar o Fogo, embora poderosa, não é onipotente. A coisa mais mal compreendida sobre sua habilidade é que eles não podem criar fogo a partir do nada. Eles têm que usar sua própria mana para alimentar um feitiço de fogo, a fim de criar uma chama e mantê-la queimando. Um Anja sem mana e fogo é impotente.

Por outro lado, eles podem controlar todos os incêndios existentes dentro de sua vizinhança. Sua maior batalha incendiou um bairro inteiro de sua própria cidade para impedir uma invasão inimiga. Várias tribos de Nômades se reuniram para atacar Di.

Eu queria poder ter visto seus rostos sorridentes quando viram a cidade sitiada subir em chamas. E eu desejo ainda mais que eu tivesse uma pintura de suas expressões quando essas chamas de repente mudaram para incinerá-los.”

 

-Codex do Fogo, autor desconhecido.

 

 

 

***Cidade Livre Estados de Nict, Capital***

*** Azir ***

 

 

 

Aaah… universidade é simplesmente agradável. Eu finalmente tenho acesso à biblioteca dos rumores e tenho de admitir que é um tesouro. O Império de Nict era uma civilização altamente avançada. Eu encontrei livros sobre mecânica quântica e seus efeitos no espaço e tempo.

 

Bem. Tinha que ser esperado. Eles construíram os portais depois de tudo. O único problema é que a biblioteca não está completa. Isso, é claro, também era de se esperar. Os livros que eu encontro lá são uma variedade aleatória de assuntos diferentes. Muito se perdeu. A destruição naquela época deve ter sido severa.

 

O problema para os sucessores deste conhecimento é que eles não têm as bases para entender o que eles estão segurando em suas mãos. Um livro sobre mecânica quântica é como um texto mítico obscuro para você se você não tem conhecimento da física e matemática necessárias para compreendê-lo.

 

Havia livros sobre física básica e matemática, mas o elo essencial entre os dois foi perdido.

 

Eu viro a página enquanto estou desfrutando do sol em um banco no parque, que está localizado na frente da biblioteca. Claro que eles não me deixam remover os livros originais de lá, mas as cópias são muito boas.

 

“Você tem certeza de que compreende este material enigmático?”

 

Stella olha meu livro ao meu lado. Nós sempre estamos juntos desde aquela noite no telhado e eu tenho que admitir que eu tenho uma coisa por ela. Ainda não oficialmente nomeamos nosso relacionamento. Embora fosse apropriado nos chamar de namorado e namorada.

 

“É compreensível. Estou mais preocupado com seu livro?”

 

Eu olho para o livro sobre química em seu colo. Eu a apresentei para medicina e química explicando alguns dos velhos livros empoeirados para ela. Não era nada especial. Apenas as coisas básicas.

 

De alguma forma ela ficou ligada ao assunto e desde então ela leu essas coisas cada vez mais complicadas sobre o assunto.

 

Ela ajusta uma mecha de cabelo que caiu em seu rosto e sorri:

 

“Está bem. Procurei alguns professores e um deles poderia me ajudar. Ela sugeriu os livros certos e recomendou a melhor ordem em que eu deveria lê-los.”

 

Seus chifres estão agora completamente crescidos. Eles são preta obsidiana e estendem-se para trás em torno de sua cabeça, ventilando em vários pontos. Eles parecem pertencer a um dragão. Seus traços faciais tornaram-se bonitos, mas afiados e ela usa seu cabelo longo hoje em dia.

 

Infelizmente sua cor do cabelo não combina realmente com as vestes azuis escuros que ela está vestindo. Todo estudante tem que usá-los, até eu.

 

Se não houvesse essa sociedade estúpida, não teríamos que esconder nossa relação. Mas se fosse oficializar que Stella e eu somos algo mais do que amigos, ela certamente teria de suportar o desprezo das estudantes.

 

Ofereci-me falar com minha mãe para que ela fosse aceita em nosso clã, mas ela se recusou. Provavelmente eu poderia fazer um acordo com minha mãe se eu enfrentá-la de fato.

 

Stella não estava feliz com a minha sugestão. Ela é uma teimosa e, como ela já chegou até aqui por conta própria, ela disse que queria seguir seu caminho até o fim. Seu plano é tornar-se alguém suficientemente famosa para que se juntar a um clã pareça uma honra para o clã. Caso contrário, parece que o clã acolhe uma órfã aleatória por piedade.

 

Assim, escondemos o nosso relacionamento o melhor possível enquanto estamos em público. Não que haja muito a esconder. Stella não se entregou a nada além de beijar. Mas, wow! Seus beijos são outra coisa.

 

 

“Você está tendo fantasias estranhas…”

 

A voz de Stella me acorda. Ela agarra um dos meus chifres e puxa, trazendo-me de volta à realidade. Meus chifres estão dobrando para trás acima da minha cabeça, mas eles não se exibem como os de Stella. Meu cabelo é escuro e tem um brilho metálico como o da minha mãe, mas eu mantenho-o curto.

 

“Ahem. Não nunca. Eu nunca teria pensamentos ilícitos. Temos um acordo depois de tudo.”

 

Eu olho para ela:

 

“Mas você poderia colocar mais esforço em tornar-se famosa.”

 

Stella sopra suas bochechas:

 

“Desculpa. Não sou boa em tudo o que toco.”

 

Meus olhos vagueiam para o livro dela:

 

“Mas você parece ser boa na medicina.”

 

Eu olho pelo caminho que leva ao nosso banco e encontro Louise vindo em nossa direção:

 

“Heyoo! Encontrei vocês dois. Vocês estão sempre juntos recentemente.”

 

Louise nos acena.

 

Seus chifres estão formando uma teia complicada acima de sua cabeça e ela usa seu cabelo castanho escuro curto. Ela também é uma cabeça cheia mais alta do que Stella e seu peito tornou-se enorme! Quero dizer, o peito de Stella não é pequeno, mas também não é grande. Na medida.

 

Louise evoluiu simplesmente demais se você levar sua idade em conta. Faz apenas meio ano que entramos na universidade.

 

Stella fecha o livro:

 

“Onde você deixou Karsen e Talia?”

 

Louise cobre o rosto com ambas às mãos:

 

“Eles estão na enfermaria. Disse-lhes repetidamente que usassem contraceptivos, mas eles não queriam ouvir. Agora eles estão fazendo uma bagunça.”

 

Eu levanto minhas sobrancelhas:

 

“Você está brincando. Se isso é verdade, minha mãe decapitará Talia.”

 

Stella sorri para Louise:

 

“Ela está mentindo. Talia me disse ontem que não deixaria Karsen namorar ela até que ele a apresentasse a seus pais.”

 

“Tch. Bem. Eles estão na enfermaria porque Karsen quebrou um dos seus chifres. Ele tentou usar magia de aceleração em si mesmo e correu a toda velocidade em uma parede.”

 

“Isso soa mais como algo que ele faria mesmo.”

 

Eu volto a estudar meu livro.

 

“Você já ouviu falar do recente desaparecimento?”

 

Louise se senta no banco ao lado de Stella.

 

Stella balança a cabeça:

 

“Não?”

 

“Um aluno do segundo semestre desapareceu. Aparentemente, a universidade está lutando com uma série desses casos. A cada dois ou três meses, alguém desaparece.”

 

Louise se inclina para trás e cruza as pernas:

 

“Alguns dizem que um mago negro está à solta. Talvez você não deva vagar por onde não há muitas pessoas.”

 

Stella franziu o rosto:

 

“A universidade não está investigando esses casos? Os clãs das pessoas desaparecidas não deixarão que isso aconteça.”

 

Louise acena com a cabeça:

 

“Eles estão fazendo, mas não há pista para investigarem. Dizia-se apenas que os alunos desaparecidos eram magos de grande talento. Mas não encontraram nada até agora.”

 

“Parece perturbador.”

 

Stella tem uma expressão preocupada agora.

 

“~ Aziir! Hun! ~ ”

 

Fecho os olhos e sussurro:

 

“Deus! Deixe os magos negros levá-la embora.”

 

… ‘Frio’. Louise olha para mim.

 

“Não deseje algo assim… mesmo que seja ela.”

 

Stella resmunga ao meu lado.

 

Então, Annice chega e se deixa cair no meu colo:

 

“Estou tão feliz por te encontrar tão rápido. Normalmente eu tenho que procurar por um longo tempo antes de encontrá-lo. É quase como se você estivesse se escondendo de mim.”

 

“Eu estou me escondendo de você.”

 

Eu tento afastá-la de mim, mas ela está sabiamente segurando meu livro, ameaçando rasgá-lo se eu usar muita força.

 

“Azir, Azir. Quando você vai finalmente aceitar minha devoção.”

 

Ela balança a cabeça, balançando seus cabelos loiros encaracolados. Seus chifres estão em pé para cima de sua cabeça. Eles não são dobrados em tudo. As características de Annice tornaram-se mais sedutoras nos últimos anos. Se não fosse por sua personalidade.

 

Eu levanto-me, com a intenção de deixá-la cair no chão pela ação.

 

“Acho que vou embora agora. Há uma lição que eu tenho que entender.”

 

Mas Annice evita sua queda graciosamente trazendo em torno de seus pés e levantando-se.

 

Annice suspira:

 

“Eu acho que não há realmente nenhuma chance de tentar dessa maneira. Talvez eu deva passar por outras estratégias.”

 

“Isso não vai mudar nada. Procure por outro alvo.”

 

Esta garota tem alguns parafusos soltos se ela acha que ficar dando em cima de mim ela vai conseguir qualquer coisa.

 

Louise ergue a mão:

 

“Se eu pudesse sugerir. Há um sujeito em seu terceiro semestre que pode cumprir suas exigências como um alvo.”

 

Annice inclina a cabeça:

 

“O nome dele?”

 

“Alphonse.”

 

Louise agarra a mão de Annice e a leva embora:

 

“Eu ouvi que ele tem uma coisa para…”

 

Eu massageio ambos os minhas têmporas enquanto meus olhos começam a contrair-se:

 

“Eu juro. Um dia eu irei ter um ataque de raiva. Essas dores de cabeça estão me matando. Matar alguém pode ser a coisa certa a fazer.”

 

 

 

***Cidade Livre Estados de Nict, Capital***

*** Stella ***

 

 

 

Azir se vira e anda pelo caminho estreito e empedrado do parque em direção às instalações de pesquisa. Eu odeio vê-lo assim. Por que essas idiotas não podem ficar longe dele. Não é como se ele não tivesse dito a eles que deveriam manter distância.

 

Uma rajada de vento move as folhas das árvores, enquanto ele está desaparecendo fora da vista.

 

Eu retorno a minha atenção para o meu livro, mas em algum lugar em minha mente o problema com Annice não sai dela. E se ela usar o poder de seu clã para estabelecer algum tipo de contrato de casamento entre ela e ele?

 

Talvez eu devesse simplesmente tentar levar as coisas para o próximo estágio com ele? Mas ainda é muito cedo. Eu gosto da nossa vida atual. Estamos felizes se você não levar Annice em conta.

 

“Onde está Azir?”

 

 

 

Droga! Esqueci-me dele. Olho com os olhos entreabertos e tento sorrir para Olivia. Usa seu cabelo longo e liso como um nó atrás de sua cabeça. Os chifres dela se transformaram em dois apêndices semelhantes a lâminas que estão correndo em toda a extensão de sua cabeça.

 

Eu encolho os ombros.

 

“Não o vi.”

 

Olivia olha para mim com consternação.

 

“Ouça plebeia. Eu sei que você está sempre com ele. O que você é? Sua concubina? É impossível que você não saiba onde ele está.”

 

Eu mantenho minha máscara sorrindo:

 

“Mesmo se eu soubesse, não tenho nenhuma obrigação de lhe dizer. Apenas desista. Você é muito fraca para ele.”

 

Ela chuta o banco, mal evitando bater em mim. O banco quebra e eu sou forçado a me levantar para evitar cair no chão.

 

“Ei!”

 

Olivia cruza os braços em frente ao peito:

 

“Só para você saber. Vou mostrar aos meus pais que sou capaz de lidar com ele. E então eles forçarão os Zait a entregá-lo a nós de uma forma ou de outra.”

 

Minha expressão cai:

 

“Que maneira doida de pensar é essa? É essa a razão para todos os seus desafios?”

 

Olivia pisca. Provavelmente ela não esperava que eu falasse:

 

“Bem, claro. Uma mulher tem que ser capaz de manter seus homens sob controle. Não há nenhum ponto em tê-los por perto, se você não pode subjugá-los.”

 

Ela quer levá-lo embora! Meu amor! Por quê. Isso é muito cedo. Ele é meu… Eu ainda não tenho…

 

Olivia tenta ir embora, mas eu bloqueio seu caminho:

 

“Acho que precisamos conversar.”

 

“Fora do caminho, plebeia.”

 

Ela rosna e tenta empurrar-me, mas eu agarro sua mão e ativa o conjunto passivo de runas de aprimoramento que eu sempre preparei.

 

Eles brilham por todo o meu corpo.

 

“~ Eu acho que precisamos conversar. ~”

 

Ela tenta se afastar, mas eu não a deixo ir:

 

“Não se atreva plebia! Você superou seus limites desta vez!”

 

Ela lança um conjunto de encantamento e eu a sinto me empurrando de volta. Meu oponente está usando sua habilidade, não há nenhuma chance de que eu possa fazer isso com magia rúnica sozinha.

 

Uma rápida olhada nos arredores confirma que não há ninguém à vista. Eu ativo minha própria habilidade e sinto os músculos em minha mão flexionar. Alguns sons de rachaduras podem ser ouvidos pela mão de Olivia e seu rosto distorce de dor. Mas ela não cede ou grita enquanto eu estou forçando-a a seus joelhos.

 

“~ Eu acho que precisamos conversar. ~”

 

Seus olhos se arregalam.

 

“Quem é você!?”